O dia em que o Portsmouth dificultou a vida do Milan

Na Copa UEFA de 2008, ingleses e italianos disputaram até os acréscimos quem levaria a vitória para casa

0
598
Portsmouth Milan
Paul Gilham/Getty Images

Quando se fala do Milan dos anos 2000, é fácil imaginar as conquistas, o elenco de estrelas e o desenvolvimento do futebol italiano. Entretanto, em 2009, o Portsmouth arrancou pontos da equipe na Copa da Uefa. O clube italiano tinha conquistado a Champions recentemente e o Pompey não fazia uma boa campanha na Premier League.

O contexto da Copa da Uefa

Com oito grupos, o Portsmouth caiu no E. Naquela fase, o clube inglês disputaria com Wolfsburg, Milan, Braga e Heerenveen as três vagas para permanecer na competição.

Os primeiros jogos foram difíceis para o Portsmouth, que demonstrava ser uma equipe fragilizada. Na estreia, perdeu para o Braga por 3 a 0. Porém, na segunda rodada, o Pompey assustou o Milan e arrancou um empate dos Rossoneri em casa.

Na ocasião, Dida foi muito acionado e o dono da casa saiu na frente. Na terceira rodada, o empate trouxe coragem para o jogo contra o Wolfsburg. No entanto, veio a derrota por 3 a 2 para os alemães. Já na última rodada, o Portsmouth venceu o Heerenveen por 3 a 0 e saiu da competição.

Quiz: adivinhe todos os times que foram rebaixados da Premier League

portsmouth milan
Paul Gilham/Getty Images

A batalha contra o Milan

No primeiro tempo, o Portsmouth pressionou o Milan e acionou o goleiro Dida com frequência. No entanto, foi o time italiano que criou as principais chances de perigo. Na melhor oportunidade, Inzaghi acertou o travessão após uma cobrança de falta. Ele tinha o gol aberto e estava cara a cara com o goleiro David James.

Apesar de trazer perigo, o Portsmouth conseguia segurar o Milan. Já no segundo tempo, o Pompey abriu o placar com Younes Kaboul. O zagueiro venceu a marcação de Zambrotta e cabeceou para dentro do gol.

No entanto, o Portsmouth permaneceu inspirado e ampliou o placar aos 28 minutos. Nwankwo Kanu recebeu o cruzamento de Glen Johnson e manteve o dono da casa em vantagem.

A reação dos Rossoneri aconteceu

O que fazer quando seu elenco milionário está atrás no placar? Carlo Ancelotti precisava descobrir como resolver a situação para não perder a invencibilidade na competição.

Já que havia a necessidade de encontrar a fórmula para melhorar o resultado, Ancelotti tirou Pato e Ronaldinho do banco. Eles entraram no lugar de Kaká e Shevchenko que, apesar de terem chances individuais, não conseguiram o resultado.

Foi então que Ronaldinho cobrou uma falta decisiva e diminuiu o resultado. Em sua especialidade, o “Bruxo” mandou a bola no ângulo esquerdo do goleiro. Apesar de bonito, o gol ainda deixava o Milan atrás no placar.

Logo nos acréscimos, o time italiano descontou mais um gol e conquistou o empate fora de casa. Zambrotta recuperou a bola na intermediária e encontrou Inzaghi para marcar aos 47 minutos do segundo tempo. O Portsmouth, rendido pelo futebol mágico da squadra do Milan, viu a primeira vitória e possível reação na Copa da Uefa desaparecer.

O Portsmouth foi valente e buscou as oportunidades. O jogo foi bem gerenciado e a equipe aproveitou a oportunidade de mostrar bom futebol fora do Big 6. Porém, o esporte prega peças e o momento do Milan falou mais alto que a entrega do Portsmouth.