Por que os moradores de Liverpool são considerados ‘scousers’

4 minutos de leitura

Quem acompanha a Premier League já viu os torcedores e jogadores de Everton e Liverpool, oriundos da mesma cidade, serem chamados de “scousers” tanto pela imprensa quanto pelas torcidas de outros clubes. Mas de onde vem o apelido?

O “scouser” faz referência a um aspecto cultural e histórico de Liverpool, que fica na região noroeste da Inglaterra. A cidade portuária está localizada bem no encontro do rio Mersey com o Mar da Irlanda, o que a tornou um importante ponto de comércio e, obviamente, casa de muitos marinheiros.

O apelido tem ligação com essa função comercial da região. Embora faltem registros oficiais, a teoria mais aceita é que a palavra é uma abreviação de “lobscouse”, o nome de um guisado que tem origem em países escandinavos como Dinamarca, Suécia e Noruega.

O prato é uma receita de carne (porco ou boi) e legumes como batata, cebola e cenoura, tudo cortado em cubos e servido cozido numa cumbuca, normalmente com pão de acompanhamento. A refeição era muito comum para a parte mais pobre da população, em especial marinheiros, que viviam e passavam aos montes por Liverpool. Por isso os cidadãos da cidade ganharam esse apelido.

Obras inglesas sobre dialetos, tradições e folclores sugerem que o termo se popularizou através de uma série de comédia da BBC, “Till Death Us Do Part”, que foi ao ar entre 1965 e 1975 e era sobre a relação de um socialista de Liverpool e um conservador de Londres.

“Scouser” é pejorativo?

Embora o apelido seja muito usado em cânticos de torcidas rivais para diminuir os habitantes de Liverpool, o termo não é considerado provocativo por quem é da cidade. É mais um sinônimo de identidade e orgulho.

Há torcedores do Everton, inclusive, que preferem o termo “scouser” do que “liverpuldiano”, o outro gentílico da cidade que, por razões óbvias, remete muito mais ao nome do rival vermelho.

Relação com a identidade de Liverpool

De quebra, o termo ainda acabou se valorizando na cultura local como uma forma de diferenciar o habitante de Liverpool de outros ingleses, especialmente da região de Londres. “Não somos ingleses, somos scousers“, diz uma faixa que costuma aparecer em Anfield.

A relação distante, também por motivos geográficos, com a capital da Inglaterra tem origem na formação de Liverpool como uma cidade que abrigou imigrantes irlandesas em séculos passados. A cidade se formou como trabalhista, sindical e com uma cultura própria, diferente do centro político e real do país.

A situação se deteriorou a partir de momentos como o governo de Margaret Thatcher, primeira-ministra conservadora que atuou fortemente contra os sindicados da região e que influenciou até na tragédia de Hillsborough e suas consequências.

É por esses e outros motivos que as torcidas de Liverpool e Everton vaiam o “God Save The King, hino da Inglaterra que faz referência à monarquia do país.

Diogo Magri
Diogo Magri

Jornalista nascido em Campinas, morador de São Paulo e formado pela ECA-USP. Subcoordenador da PL Brasil desde 2023. Cobri Copa América, Copa do Mundo e Olimpíadas no EL PAÍS, eleições nacionais na Revista Veja e fui editor de conteúdo nas redes sociais do Futebol Globo CBN.

Contato: [email protected]