Os 10 piores jogadores alemães da era Premier League

Listamos atletas germânicos que jogaram abaixo das expectativas

0
1754
piores jogadores alemães
Martin Rose/Bongarts/Getty Images

A Alemanha forneceu grandes nomes para a Premier League. Michael Ballack, Jens Lehmann, Jürgen Klinsmann e Robert Huth foram alguns exemplos de atletas que se destacaram bastante no futebol inglês, sejam com gols ou títulos. Nós, da PL Brasil, listamos 10 jogadores alemães que não tiveram muito sucesso em suas passagens pela Terra da Rainha e contar por onde andam nos dias atuais.

Os 10 piores jogadores alemães da era Premier League

Lewis Holtby

piores-jogadores-alemaes
Alex Livesey/Getty Images

O meio-campista chamou atenção após boas atuações com a camisa do Schalke 04. Com partidas com a camisa da seleção principal da Alemanha em algumas ocasiões, chegou com boas credenciais aos Tottenham no início do ano de 2013, para suprir a séria lesão sofrida pelo brasileiro Sandro.

Porém, sua passagem inicial pelo futebol inglês acabou marcada pela irregularidade. Após meia temporada no clube do norte de Londres, onde fez 11 jogos, foi emprestado ao Fulham, onde encontrou o treinador e compatriota Felix Magath, com quem não teve boa relação desde os tempos de Schalke. Após retornar a Alemanha em 2015, mais especificamente para o Hamburgo, atualmente defende o Blackburn Rovers na Championship.

Leia mais: 5 alemães que passaram pela Premier League e talvez você não sabia

Jan Kirchhoff

OLI SCARFF/AFP via Getty Images

O versátil zagueiro, que também joga de volante, chegou ao Sunderland na janela de inverno de 2016. Revelado pelo Mainz, fora contratado pelo Bayern de Munique e emprestado posteriormente ao Schalke 04. Após um início ruim, com diversas falhas, se fixou jogando como volante e contribuindo para evitar o rebaixamento dos Black Cats na temporada 2015/2016.

Na temporada seguinte, a equipe do norte da Inglaterra não teve a mesma sorte e foi rebaixada. Kirchhoff fez apenas sete jogos em 2016/2017, sendo dispensado ao final dela. Depois de passagens pelo Bolton e FC Magdeburg, desde 2019 defende o KFC Uerdingen, time da terceira divisão da Alemanha.

Lars Leese

Em junho de 1997, o então terceiro goleiro do Bayer Leverkusen chegou ao Barnsley, recém-promovido à Premier League pela primeira vez em sua história, chegou à equipe de Yorkshire por 250 mil libras. Novamente seria reserva, dessa vez de Dave Watson, titular da equipe no acesso à elite.

O goleiro fez apenas nove jogos na Premier League, sofrendo 16 gols e tendo dois clean sheets, um deles diante do Liverpool. Em entrevista , ele afirmou que apesar do carinho da torcida do Barnsley, o estilo e a adaptação ao futebol inglês, sobretudo na forma de treinamentos e no relacionamento com comissão técnica/companheiros de time pesou.

Em 1999, retornou a Alemanha, aposentando-se em 2005. Atualmente é diretor esportivo do DSK Köln, equipe semiprofissional alemã.

Leia mais: A única participação do Barnsley na Premier League

Marko Marin

piores jogadores alemães
Ian Walton/Getty Images

O talentoso meio campista chegou ao Chelsea em abril de 2012 como uma das grandes promessas do futebol alemão. Após boas temporadas no Werder Bremen, que o credenciaram a fazer parte da seleção alemã que disputou a Copa do Mundo em 2010.

No Chelsea, fez uma primeira temporada bem abaixo das vistas no futebol alemão: 19 jogos, três gols e duas assistências em todas as competições disputadas. Na Premier League, apenas um gol e uma assistência. Por isso, integra a lista dos piores jogadores alemães.

Sem convencer, foi emprestado a Sevilla, Fiorentina, Anderlecht e por fim Trabzonspor, até que em 2016 foi contratado em definitivo pelo Olympiacos da Grécia. Atualmente defende o time do Al-Ahli da Arábia Saudita.

Philipp Wollscheid

Richard Heathcote/Getty Images

Comparado a Per Metesacker, o zagueiro foi contrato inicialmente por empréstimo pelo Stoke City junto ao Bayer Leverkusen. O jogador viveu momentos de altos e baixos em uma temporada e meia no time comandado por Mark Hughes.

Após ser emprestado ao Wolfsburg, em agosto de 2017 assinou com o Metz. Aposentou-se em 2019 do futebol profissional, citando que os altos e baixos do futebol não eram interessantes para ele e que havia perdido a vontade, bem como a emoção em ser profissional.

Sean Dundee

Nascido na África do Sul, Dundee iniciou sua carreira no Stuttgarter Kickers e após passagem destacada no Karlsruher, acabou contratado em julho de 1998 pelo Liverpool por dois milhões de libras. Gerard Houllier via o jogador como uma boa reposição para o lesionado Robbie Fowler, o que não veio a ocorrer por conta do bom momento da dupla de ataque formada entre o também alemão Karl-Heinz Riedle e Michael Owen.

Foram apenas cinco jogos para o alemão em toda a temporada, sendo três da Premier League, um na Copa da Liga e um na Copa da Uefa (atual Liga Europa). Retornou em julho de 1999 ao futebol alemão, mais especificamente para o Stuttgart, passando ainda por Austria Viena, Karlsruher novamente, AmaZulu da África do Sul, entre outros. Seu último clube foi o amador FV Grünwinkel na temporada passada, aos 47 anos.

Ron Robert Zieler

Julian Finney/Getty Images

Revelado nas categorias de base do Manchester United, Zieler chegou a ser emprestado ao Northampton Town em um curto período quando ainda estava nos Red Devils, mas sua carreira só veio a decolar após o retorno para o futebol alemão, mais especificamente para o Hannover.

Inicialmente na equipe reserva, se destacou e desbancou o então titular Florian Fromlowitz. As boas atuações o levaram para a seleção alemã e fez parte do elenco campeão do mundo em 2014.

Na temporada 2016/2017 foi contratado pelo Leicester City por quatro anos, um ano após a conquista da Premier League pelos Foxes. Apesar das oportunidades em campo, que não foram muitas por conta da presença de Kasper Schmeichel, Zieler deixou o clube um ano depois, após 11 partidas assinando com o Stuttgart. Atualmente defende por empréstimo o Stuttgart, clube de sua cidade natal.

Erik Durm

Richard Heathcote/Getty Images

Revelado no Mainz, chegou ao Borussia Dortmund com status de promessa, mas foi um dos piores jogadores alemães da PL. Versátil, fazendo as duas laterais, até teve bons momentos no clube aurinegro, que o levaram a fazer parte do elenco da Alemanha na Copa do Mundo de 2014. Porém, sempre sofreu com irregularidade e lesões.

Em julho de 2018, assinou contrato de um ano com o Huddersfield Town e fez 30 jogos, 28 na Premier League, não evitando o rebaixamento dos Terriers em sua segunda temporada na elite. Após deixar o clube, assinou com o Eintracht Frankfurt, clube no qual permanece até a atual temporada.

Stefan Wessels

Stu Forster/Getty Images

O primeiro jogador alemão da história do Everton chegou ao clube em agosto de 2007 para ocupar a vaga de reserva do titular absoluto Tim Howard. Com passagens pelo Bayern de Munique e Colônia, chegava com boas credenciais para brigar por posição e ser um reserva confiável. Seu contrato foi de apenas uma temporada.

Após uma lesão na mão do goleiro norte-americano, Wessels teve sua primeira oportunidade como titular na Premier League, onde fez duas partidas e fora derrotado em ambas (para Manchester United e Aston Villa). Ainda fez dois jogos da Copa da Liga Inglesa, dois da Copa da Uefa e um da Copa da Inglaterra, conseguindo apenas dois clean sheets.

Dispensado em 2008, passou pelo Vfl Osnarbrück, Basel e encerrou sua carreira no Odense, da Dinamarca. Hoje, atualmente, é preparador de goleiros da seleção masculina sub-20 da Alemanha.

Bastian Schweinsteiger

piores jogadores alemães
Martin Rose/Bongarts/Getty Images

O volante multicampeão com o Bayern de Munique chegou ao Manchester United em julho de 2015 com boas credenciais, custando cerca de 9 milhões de euros. O objetivo era agregar experiência e qualidade ao time então treinado por Louis van Gaal.

Em sua primeira temporada, foram 31 jogos e apenas um gol marcado, diante do Leicester. Após a saída de van Gaal e a chegada de José Mourinho, Basti passou a treinar pela equipe sub-23 do clube, o que gerou certa revolta por parte de muitos jogadores.

Com chances limitadas no time principal, fez seu primeiro gol em Old Trafford em jogo da Copa da Inglaterra diante do Wigan, quando acabou eleito o homem do jogo. Em março de 2017, deixou o clube inglês rumo ao Chicago Fire, onde encerrou sua carreira em outubro de 2019. Atualmente é comentarista esportivo na TV alemã.

Leia mais: Os cinco maiores jogadores alemães da era Premier League

Não há posts para exibir