Os 7 piores holandeses da história da Premier League

Depay, Klaassen e Blind são alguns casos que chegaram como solução e foram coadjuvantes na PL

Imago Images

Atletas de diversos continentes e países desfilam sob gramados ingleses. Devido a globalização da Premier League, tornou-se muito comum a internacionalização de atletas na Inglaterra — sobretudo de jogadores europeus. E quando pensamos em holandeses na Premier League, nossa memória assimila a nomes de sucesso, como Edwin van der Sar, Bergkamp, e Robin van Persie. Contudo, não é só recordações de sucessos de atletas da Holanda em solos ingleses.

Visto que existe um hiato entre jogadores de sucesso e péssimas recordações de atletas holandeses na Inglaterra, a PL Brasil lista os 7 piores holandeses na Premier League.

Acompanhe a PL Brasil no YouTube!

  • 8 SURPRESAS DA PREMIER LEAGUE 2020/21

Os piores holandeses da história da Premier League

Maarten Stekelenburg

Após destacar-se na Copa do Mundo de 2010 com a Holanda, Maarten Stekelenburg chamou a atenção de diversas equipes europeias. Em 2011, o goleiro fechou com a Roma e atuou na Giallorossi por duas temporadas. Foi a partir da temporada 2013/2014 que o arqueiro começou a migrar para alguns clubes da Premier League.

Na janela de inverno de 2013, Stekelenburg desembarcou em Londres e fechou com o Fulham. Em apenas um ano nos Whites, o arqueiro disputou somente 21 jogos e concluiu sua transferência ao Monaco por empréstimo.

Na temporada 2015/2016, o goleiro teve seu destino longe do Craven Cottage. Com o Fulham na Championship naquela ocasião, Stekelenburg retornou à Premier League para defender a camisa do Southampton. Nos Saints foram apenas 25 jogos e mais uma passagem apagada em um clube inglês.

Por fim, o último clube do arqueiro holandês na Premier League foi a longa passagem no Everton. A pedido do técnico Ronald Koeman, Stekelenburg chegou na janela de inverno na temporada 2016/2017 e ficou nos Toffees até agosto de 2020. Durante os quatro anos que permaneceu no Goodison Park, o goleiro entrou em campo somente em 26 oportunidades.

Foto: Lynne Cameron/Sportimage

Ao todo, pelos três clubes, em seis temporadas, Stekelenburg disputou 55 jogos na Premier League e venceu somente 14 jogos que disputou. Além disso, o goleiro holandês sofreu 86 gols e alcançou clean shetts em somente dez partidas.

Vincent Janssen

Vincent Janssen foi um pedido do treinador Mauricio Pochettino. Dessa forma, o Tottenham desembolsou cerca de 17 milhões de libras para contratar o atacante holandês. Contudo, a passagem de Janssen pela terra da rainha foi um fracasso.

Assim que chegou, na temporada 2016/2017, o holandês disputou 39 jogos e balançou a rede em somente seis ocasiões. O atacante se transferiu ao Fenerbahçe por empréstimo no ano seguinte de sua contração após uma média de 0,15 gols por partida com a camisa dos Spurs.

Logo após um ano no clube da Turquia, o atacante retornou ao clube londrino e não foi aproveitado. Na temporada 2018/2019, Janssen chegou a atuar em quatro jogos pela equipe sub-23 do Tottenham. Já pela equipe principal, foram apenas três jogos e nenhum gol marcado.

Dessa forma, o Monterrey do México em julho de 2019 comprou o atacante em julho de 2019. Janssen defende o clube mexicano até hoje. Decerto que não deixou saudades à torcida dos Spurs e nem justificou o valor investido.

Foto: Action Foto Sport

Leia mais: As 10 piores contratações do Tottenham na era Premier League

Daley Blind

É inevitável falar de Daley Blind e não recordar-se do lançamento antológico do meio-campista para Van Persie na Copa do Mundo de 2014. Foi justamente após aquele mundial que o Manchester United desembolsou quase 14 milhões de libras para tirar o atleta do Ajax.

Ao longo das quatro temporadas que defendeu a camisa dos Red Devils, o jogador chegou a ter lampejos de bom futebol, mas suas atuações despencaram. Entre as 141 partidas que disputou no Manchester United, o holandês atuou no meio-campo, na lateral-esquerda e como zagueiro.

A passagem de Blind na Inglaterra deu-se fim na temporada de 2018/2019. O atleta acertou seu retorno ao Ajax, clube que o projetou para o futebol. O holandês conquistou todas as copas domésticas da Inglaterra com o United, além a Uefa Europa League, mas não superou às expectativas nos Diabos Vermelhos.

Foto: Raddad Jebarah/Imago Images

Leia mais: A renovação do elenco do Manchester United nos últimos anos

Leroy Fer

Leroy Fer entra na nossa lista dos piores holandeses da Premier League por uma façanha tanto quanto negativa. Ao longo de cinco temporadas distintas, Fer defendeu as camisas do Norwich City, Queens Park Ranger e Swansea City. O meio-campista esteve longe de obter sucesso nas respectivas equipes, mas surpreendentemente ficou marcado por ser rebaixado na PL por cada equipe.

O primeiro descenso de Fer na elite do futebol inglês foi pelo Norwich City, na temporada 2013/2014. Posteriormente, um ano mais tarde, o meio-campista fez parte do plantel do Queens Park Rangers que caiu à segunda divisão. Por fim, o holandês também foi rebaixado pelo Swansea City em 2017/2018.

Foto: Imago Images

Ao longo das cinco edições que o jogador disputou na Premier League, foram 123 jogos, 16 gols e somente oito assistências. 

Leia mais: 10 jogadores que passaram pelo Norwich e você talvez nem saiba

Siem de Jong

Siem de Jong foi mais uma promessa que chegou do Ajax à Inglaterra e não vingou. O meio-campista chegou ao Newcastle em 2014/2015 e assinou um contrato de seis anos. Surpreendentemente, logo após sua chegada, Alan Pardew definiu-o como segundo capitão dos Magpies.

A passagem de de Jong no Newcastle foi marcada pelo excesso de lesões. O jogador chegou a disputar jogos pela categoria sub-21 da equipe. Em duas temporadas, o meio-campista atuou em apenas 26 jogos e balançou as redes em duas ocasiões.

Após o rebaixamento dos Magpies à Championship na temporada 2015/2016, de Jong foi emprestado ao PSV. Com o fim do empréstimo, o jogador não estava mais nos planos do Newcastle e retornou ao Ajax sem nenhum custo.

Foto: Imago Images

Davy Klaassen

Uma das maiores revelações do Ajax dos anos 2010, Davy Klaassen chegou ao Everton como grande aposta e solução para o meio de campo. O clube de Liverpool pagou mais de 23 milhões de libras pelo jogador. Contudo, durante a disputa da temporada provou-se que a compra do holandês foi um péssimo investimento.

A passagem de Klaassen no futebol inglês foi extremamente apagada, principalmente pela falta de oportunidade. Durante um ano que defendeu o Everton, o holandês disputou apenas 16 jogos. Somente sete dessas partidas foram pela Premier League.

Na janela de inverno da temporada 2018/2019, o meio-campista foi negociado com o Werder Bremen por 12 milhões de libras. Klaassen não trouxe apenas prejuízos, mas, sobretudo, dentro de campo. O holandês foi embora de Goodison Park sem sequer balançar as redes.

Foto: David Klein/Sportimage

Leia mais: As 10 piores contratações do Everton na era Premier League

Memphis Depay

Por fim, para finalizar a lista de piores holandeses na Premier League, chegou a vez de Memphis Depay. Revelado pelo PSV, o atacante foi outro holandês que chegou ao Manchester United sobre o pedido do técnico Louis van Gaal. Na janela de inverno de 2015/2016, os Red Devils desembolsaram 25 milhões de libras pelo atleta.

A princípio, o negócio pareceu pechincha para o time de Manchester. Afinal, Memphis vinha de grandes apresentações com a camisa do PSV e foi o artilheiro da Eredivisie na temporada 2014/2015, balançando as redes em 22 ocasiões em 30 partidas. Dessa forma, o holandês chegava com grandes esperanças para herdar a mística camisa sete do United. Desde a passagem de Cristiano Ronaldo na Inglaterra, nenhum suplente da camisa obteve sucesso.

Eric Verhoeve/Imago Images

Leia mais: A camisa 7 do Manchester United está amaldiçoada

Ainda que a primeira temporada em solo inglês fosse discreta, havia otimismo na recuperação do bom futebol de Memphis com a camisa do Manchester United. Contudo, com a chegada de José Mourinho no comando do clube em 2016/2017, o holandês encontrou-se em situação delicada no clube. Com o comando do técnico português, Depay disputou somente oito partidas e não balançou a rede em nenhuma ocasião.

Visto que o então camisa 7 não tinha oportunidades em campo com o novo treinador, o clube negociou-o, em janeiro de 2017, com o Lyon. Ainda que o atleta esteja longe dos gramados ingleses, o acordo entre os clubes estabeleceu que o Manchester United tem preferência na recompra do atacante. Nos Red Devils, Memphis disputou 53 partidas e marcou apenas sete gols.

Leia mais: Cavani no United: menos do que se queria, mais do que se espera