Alex Scott: uma lenda para o Arsenal e para a seleção inglesa

Conheça a trajetória de uma das atletas mais talentosas da história do futebol inglês, agora apresentadora esportiva

0
630
Alex Scott campeã da Copa da Iglaterra pelo Arsenal
Ben Hoskins/Getty Images

Cria da Arsenal Academy, Alex Scott conquistou oito ligas nacionais, sete Copas da Inglaterra, uma Liga dos Campeões e duas Supercopas da Inglaterra pelas Gunners. E em campo, além da solidez defensiva, a zagueira também sempre se destacou ofensivamente. Desse modo, teve méritos para receber a faixa de capitã por onde passou e hoje, já fora dos gramados, comanda programas esportivos na BBC e na Sky Sports.

Arsenal desde criança

Alex Scott nasceu no dia 14 de outubro de 1984, em Londres, na Inglaterra. Criada por mãe solteira, desde criança já jogava futebol com seu irmão e os vizinhos do condomínio. E em 1992, com apenas oito anos de idade, assinou seu primeiro contrato com o Arsenal.

Ela inicialmente jogava como atacante, mas logo se converteu para a zaga. Assim, nas Gunners, passou para a equipe profissional uma década depois, em 2001/2002. Já na temporada 2004/2005, transferiu-se ao Birmingham City, através de um empréstimo, jogando apenas um ano pelos Blues.

Alex Scott na final da Women's Champions League 2006/2007
Ian Walton/Getty Images

Na temporada seguinte, de volta a Londres, ajudou as Arsenal Ladies a conquistar o double inglês: a FA Women’s Premier League e a FA Women’s Cup. Na sequência, em 2006/2007, o Arsenal conquistou o quadruple, vencendo todas as competições que disputou, incluindo a UEFA Women’s Cup, a atual Women's Champions League. E mais, a autora do gol da vitória na final contra o clube sueco Unea IK foi justamente Alex Scott.

Leia Mais: O sucesso do futebol feminino na Inglaterra

Mudança de Alex Scott para os EUA

Saindo do clube londrino, Alex Scott atravessou os mares rumo aos Estados Unidos: em 25 de setembro de 2008, veio o anúncio de que Scott assinaria com o Chicago Red Stars, por causa da treinadora Emma Hayes. Entretanto, o destino foi outro. Isso porque, no dia 6 de janeiro de 2009, o Boston Breakers que apresentou a jogadora. Pelo clube americano, participou de 55 jogos, sem conquistar títulos.

Contudo, após a desintegração da Women’s Professional Soccer, em 2012, a jogadora retornou para o Arsenal, sua última passagem pelas Gunners. De volta, foi escolhida capitã do time, permanecendo em Londres até 2018, quando se aposentou do futebol.

Alex Scott campeã da Copa da Iglaterra pelo Arsenal
Ben Hoskins/Getty Images

Seleção Inglesa e a conquista do MBE

Scott deu o pontapé inicial na seleção inglesa em 2002 no Mundial sub-19 da Fifa, sediado no Canadá. Ademais, esteve presente nas Eurocopas de 2005, 2009, 2013 e 2017 e nas Copas do Mundo de 2007, 2011 e 2015. Já pela seleção unificada da Grã-Bretanha, participou dos Jogos Olímpicos de 2012, em sua cidade natal.

Assim sendo, foram 140 jogos vestindo a camisa branca, vermelha e azul, tornando-se, à época, a segunda jogadora com mais aparições pela seleção. E em consequência a esse grande destaque pelo National Team, recebeu um título de Ordem do Império Britânico (MBE) em 2017.

Leia mais: Lucy Bronze: a melhor jogadora inglesa da atualidade

Vida pessoal de Alex Scott e fora dos gramados

Naomi Baker/Getty Images

Atualmente, Scott é apresentadora esportiva do Match of the Day da BBC e co apresentadora do Goals on Sunday da Sky Sports. Aliás, foi a primeira mulher a participar como Sky Pundit no Super Sunday e a comentar jogos da Copa do Mundo nos canais televisivos.

Além disso, é embaixadora da Nike, da Coca Cola e da Mastercard e é também muito engajada em projetos de caridade. Alguns dos que ela participa, por exemplo, são o Comunidades da Premier League, o Sky Ocean Rescue e o Desafio de Contaminação Plástica da Premier League. Ademais, possui a sua própria escola preparatória de futebol para jovens mulheres, a Alex Scott Academy, em parceria com a Kingston e a Puma.

Alex Broadway/Getty Images

Por fim, é uma ex-jogadora muito importante no que se refere a representatividade e visibilidade, não só no futebol feminino, mas no futebol no geral. Mas, essencialmente, inspira várias meninas a seguirem seus passos, seja como jogadora de futebol seja como apresentadora, e realmente faz investimentos para que isso seja possível.

Leia mais: Os desafios de Sarina Wiegman na seleção inglesa feminina