Pais e filhos que já disputaram a Premier League

Confira nossa lista de atletas pais e filhos que já entraram em campo na Premier League

0
209
kasper schmeichel
Crédito: Leicester City FC

A paixão que o futebol desperta nas pessoas é inegável. Em muitos casos esse sentimento passa de uma geração a outra. No entanto, a oportunidade de poder viver dessa paixão, atuando profissionalmente em uma das principais ligas nacionais é um privilégio para poucos. Apresentamos alguns exemplos de pais e filhos jogadores que puderam atuar na Premier League.

Gustavo e Diego Poyet

No primeiro caso, o pai Gustavo é o nome mais conhecido da família. O ex-meia chegou à Inglaterra em 1997 após vários anos no futebol espanhol.

Com passagens por Chelsea e Tottenham, Gus Poyet somou 187 partidas na Premier League, disputando a liga por sete temporadas.

O hoje técnico que, na Inglaterra, já dirigiu Brighton e Sunderland tem em seu currículo o Bordeaux como último clube comandado.

Já seu filho Diego tem uma carreira mais modesta, mas ainda assim com passagem pela elite inglesa. Foi atuando pelo West Ham que o uruguaio disputou apenas três partidas na Premier League.

Diego Poyet foi a campo pelos Hammers na temporada 2014/2015. No país, ainda jogou nas divisões inferiores defendendo Charlton, Huddersfield e Milton Keynes. A exemplo de seu pai, atualmente se encontra sem clube após passagem pelo futebol cipriota.

Steve e Alex Bruce

Mais um caso em que o pai, ao se aposentar como jogador, decidiu se manter próximo dos gramados, agora na função de treinador.

Enquanto jogador e disputando a era Premier League, Steve Bruce atuou como zagueiro e vestiu apenas a camisa do Manchester United, clube pelo qual atuou por quatro temporadas, disputando 148 partidas.

Steve é uma figura carimbada quando o tema é técnico inglês. Com mais de 20 anos na função, o experiente treinador soma passagens por Sheffield United, Birmingham City, Sunderland, Aston Villa entre outros.

Recentemente ele foi anunciado como novo treinador do Newcastle. Filho de Steve, Alex Bruce tem um currículo sem nenhum clube de ponta.

Revelado pelo Birmingham, onde foi comandado pelo seu pai, o defensor possui também uma passagem pela elite da Inglaterra atuando pelo Hull City, quando também treinado por Steve.

No total, Alex esteve apto a disputar sete temporadas da Premier League. No entanto, acabou indo a campo em apenas 54 partidas. Após se desligar do Hull ao final da temporada 2016/2017, o jogador passou pelo Bury, Wigan e Kilmarnock, clube que atuou na última temporada.

Entre outras equipes pela qual passou estão Oldham, Ipswich, Huddersfiled e Leeds United.

Alan e Jack Cork

Crédito: Burnley FC
Crédito: Burnley FC

Nesse caso, um exemplo onde o pai possui um menor número de jogos na Premier League. No entanto, tal fato se pode justificar em razão de Alan Cork ter iniciado sua carreira muito antes da criação do atual torneio.

Jogando como atacante, Alan teve uma marcante passagem pelo Wimbledon, equipe na qual permaneceu por 14 temporadas, com exceção do período em que foi empréstimo para o Örebro, da Suécia.

Pelo Wimbledon, foram 430 partidas e 145 gols até que, na temporada inaugural da Premier League, se transferiu para o Sheffield United.

Atuando pelos Blades, Alan Cork foi a campo em 26 partidas, marcando cinco gols somando as duas temporadas em que permaneceu no clube. Com a idade avançada, jogou sua última temporada pelo Fulham na Thrid Division, o equivalente à quarta divisão.

Encerrada sua carreira como jogador, ainda comandou como treinador Swansea, Chesham United e Cardiff City. Do outro lado, temos uma figura atual e conhecida para quem acompanha o futebol inglês.

Jack Cork ainda está na ativa e presente há algumas temporadas da Premier League. Revelado nas categorias de base do Chelsea, o meio-campista joga no Burnley, equipe que defende desde a temporada 2017/2018.

Antes de chegar aos Clarets, o jogador passou por Southampton e Swansea. Até o momento, Jack Cork soma 264 aparições na Premier League com oito gols marcados.

Paul e Tom Ince

Paul Ince é um dos jogadores que simbolizam a era de ouro do Manchester United. Pelos Red Devils foram sete temporadas. Em seus anos como jogador do United, conquistou dez títulos, atuando em mais de 200 partidas.

Após sair de Manchester, o volante passou pelo futebol italiano até voltar para a Inglaterra e defender dessa vez o maior rival do United.

Foram duas temporadas atuando pelo Liverpool. Depois de deixar Anfield, ainda passou por Middlesbrough durante três anos até se transferir ao Wolvehmpton, então na Championship.

Paul Ince ajudou a equipe subir para a elite inglesa após ficar longe da primeira divisão por 19 anos.

Sua última temporada na Premier League foi em 2003/2004 quando passou a atuar por equipes de divisões inferiores. No total, Ince disputou na Premier League 306 jogos, marcando 42 gols.

Chegou a ser técnico/jogador de Swindon e Macclesfield. Já na função exclusiva de treinador, dirigiu MK Dons, Blackburn Rovers, Notts County e Blackpool, sua última equipe.

LEIA MAIS: PL Brasil entrevista Emerson Palmieri: ‘Chegada ao Chelsea foi impacto tremendo’

Já seu filho Tom ainda dá seus primeiros passos na divisão de elite. Formado no Liverpool, o meia-atacante já atuou por diversas equipes. No entanto, entrou em campo em partidas da Premier League defendendo o Crystal Palace, Hull City e com mais notoriedade, o Huddersfield Town.

Tom Ince integrou o elenco dos Terries que voltou a disputar a primeira divisão após mais de 40 anos perambulando entre as ligas de acesso da Inglaterra.

Na última temporada, acabou se transferindo para o Stoke City, que se encontra na Championship. Até o momento, Tom tem em seu currículo 48 partidas disputadas na Premier League e três gols assinalados.

Ian Wright e Bradley e Shaun Wright-Phillips

Crédito: Arsenal TV

Uma família cujo sobrenome é sinônimo de futebol. O patriarca Ian Wright está na história como um dos principais nomes da Premier League.

Apesar de ter se tornado jogador profissional no Crystal Palace, equipe que defendeu no período antecedente à atual divisão de elite, foi com a camisa do Arsenal que o atacante alcançou a fama internacional. No total, foram sete temporadas pelos Gunners, sendo seis de Premier League.

Somente em 1997/1998, em sua última temporada em Highbury é que Ian conseguiu conquistar o título do campeonato. Após sagrar-se campeão, se transferiu para o West Ham, passando ainda por Notthingham Forest, Celtic e Burnley.

Ian Wright soma 213 aparições na Premier League e a expressiva marca de 113 gols. Sua trajetória no futebol serviu de inspiração em seu lar, fazendo com que alguns de seus filhos resolvessem seguir seus passos dentro dos gramados.

O filho mais novo, Bradley, teve uma passagem curta pela Premier League. Formado na base do Manchester City, Bradley Wright-Phillips disputou somente pelos Citizens a Premier League.

LEIA MAIS: O Big 6 da Premier League precisa usar melhor a base?

Em apenas duas temporadas, foram 32 jogos disputados, com dois gols marcados. Ainda passou por equipes como Southampton e Charlton. Desde 2013 atua na MLS onde defende o New York Red Bulls.

Já seu irmão mais velho Shaun possui uma carreira de mais destaque, seja no âmbito nacional como internacional. Formado no Nottingham Forest, Shaun transferiu-se ainda jovem para o Manchester City.

Pela equipe azul de Manchester foram quatro temporadas até que em 2005/2006 transferiu-se para o Chelsea. Foi atuando pelos Blues que Shaun Wright-Phillips alcançou o feito de seu pai, sagrando-se campeão da Premier League logo em sua temporada de estreia pela equipe.

Shaun ficou no clube londrino até a temporada 2008/2009 quando retornou para o City. Em 2011/2012 transferiu-se para o Queens Park Rangers, sua última equipe da Inglaterra.

No total, Shaun tem 316 participações no principal campeonato da Inglaterra, número superior ao de seu pai, tendo o meia marcado 32 gols em todo o período. A exemplo de seu irmão caçula, partiu rumo ao futebol dos Estados Unidos onde atuou até se aposentar.

Peter e Kasper Schmeichel

Fechando a lista de pais e filhos jogadores temos outros nomes bastante conhecidos e que também sagraram-se campeões ingleses. Peter Schmeichel é o nome que inicia qualquer escalação do Manchester United que fez história durante os anos 1990. O dinamarquês foi um dos pilares da equipe, na qual chegou em 1991.

Durante sua passagem, os Red Devils viveram seu melhor momento conquistando, entre tantos outros títulos, cinco Premier League, três Copas da Inglaterra, além da épica conquista da Champions League em 1998/1999.

Assim, após inúmeros títulos, a passagem de Peter por Old Trafford chegava ao fim. No entanto, sua história no futebol inglês ainda tinha capítulos a serem escritos.

Depois de duas temporadas no futebol português, Schmeichel voltou à Inglaterra e à Premier League. O goleiro atuou por mais duas temporadas, defendendo as cores do Aston Villa e o antigo rival local de sua ex-equipe, o Manchester City, então recém promovido à elite.

LEIA MAIS: 10 times com mais jogadores brasileiros na história da Premier League

Foi pelos Citizens que atuou pela última vez em sua carreira. No total, Peter Schmeichel somou 310 partidas na Premier League, com a impressionante marca de 128 clean sheets.

kasper schmeichel leicester
Crédito: LCFC

No entanto, a história da família continuou vinculado ao lado azul de Manchester. Seu filho Kasper iniciou sua carreira na base do clube, contudo foram poucos jogos pela equipe, sendo que o jovem goleiro seria emprestado a diversas equipes antes de se afirmar em um grande clube.

Após causar boa impressão defendendo o Leeds United, Kasper Schmeichel foi contratado pelo Leicester City em 2011. Foi pelos Foxes que assumiu a figura de um líder em campo, conquistando o acesso para a Premier League na temporada 2013/2014.

Atuando pelo Leicester, conquistou o improvável e histórico título da Premier League em 2015/2016, quebrando a hegemonia que havia no torneio.

Kasper está se encaminhando para sua sexta temporada pela equipe, tendo disputado até o momento 171 partidas .