Osasuna vota a favor do plano “La Liga Impulso”

0
306
Divulgação/The Stadium Guide

Antes de mais nada, na tarde dessa quinta-feira (12), o Osasuna votou a favor do plano de entrada do fundo CVC na La Liga. Assim, foram 38 votos positivos e quatro negativos para o investimento bilionário no futebol nacional.

O que é o Plano “La Liga Impulso”?

Primeiramente, a 1ª e 2ª divisão do Campeonato Espanhol terão um investimento de 2,7 bilhões de euros, visando uma melhora significativa no futebol do país com o decorrer dos anos. Sendo assim, os 42 clubes, incluindo o Osasuna, receberão uma quantidade de dinheiro previamente definida, que será reembolsado dentro de 40 anos.

A princípio, esse valor deve ser devolvido sem taxas de juros, mas se houver um aumento na receita dos clubes de 15% ou mais, terá que ser paga uma Euribor mais 3%. Em contrapartida, visando a quantia que será emprestada a cada clube, o juros não afetará os cofres dos times espanhóis.

Benefícios para o Osasuna

Neste ínterim, para os Rojillos, esse empréstimo será fundamental para o pagamento de investimentos feitos pelo próprio clube há pelo menos três temporadas. Além disso, o dinheiro também ajudará o clube em uma questão muito importante: reformas do El Sadar Stadium (casa do Osasuna).

Por outro lado, todo esse investimento está diretamente ligado ao crescimento da La Liga fora da Espanha. Sendo assim, o acordo fechado com a CVC, obriga os clubes a aumentarem seus compromissos com os departamentos de marketing e comunicação.

Além disso, segundo o site oficial do Osasuna, apesar do prejuízo causado pela COVID-19, o clube obteve um superávit de 35 milhões de euros nos últimos seis anos. Portanto, o voto do time para a aprovação do projeto não é uma necessidade financeira, mas, sim, um incentivo para criação de estruturas mais profissionais para seus torcedores.

Em conclusão, o plano passará por votação na assembleia do clube e acreditam que passará. Sendo assim, a La liga informou que a primeira quantia chegará em outubro, no valor de 17,3 milhões de euros. Em seguida, mais três parcelas de 11,5 milhões de euros, todas no mês de junho, nos anos de 2022, 2023 e 2024.