Os jogadores franceses que podem marcar a história da Copa do Mundo

2 minutos de leitura

A Copa do Mundo está chegando ao seu final, com isso várias Seleções já deixaram o Catar e voltaram aos seus países de origem, mas França e Argentina seguem no país e vão fazer uma final histórica, com ambas buscando o seu terceiro título mundial, entrando para o seleto grupo de quem já levantou a taça da Copa do Mundo três vezes.

Dessa forma, alguns jogadores podem fazer história, não só pelo título mundial, que já é um feito que poucos atletas conseguiram em quase 100 anos de Copas do Mundo, mas também por sus proezas individuais.

Assim, essa geração da França pode trazer vários feitos que serão falados e lembrados durantes vários e vários anos, contados de boca em boca, jornal em jornal, além dos outros meios de comunicação.

Possíveis fatos históricos caso a França seja campeã da Copa do Mundo 2022

Primeiramente, é bom deixar claro que essa deve ser uma das finais mais disputadas dos últimos anos, com duas Seleções de grande valor técnico, tático e com grande peso na camisa.

Com isso, caso a França consiga o feito do seu bicampeonato seguido e do seu tricampeonato, vai levar com isso fatos que vão estar nos livros de história.

Thuram pai e Thuram filho no topo do mundo

Começando por feito que une duas gerações bens distantes, unindo pai e filho e os país e filhos que são amantes do futebol, pela primeira vez na história do futebol pai e filho podem ser campões mundiais de seleções.

Tudo isso começou ainda na Copa do Mundo de 1998 na França, onde Lilian Thuram conquistou o primeiro título mundial da história da anfitriã, sendo importante marcando na semifinal da competição.

Dessa maneira, o seu filho, Marcus Thuram pode repetir o feito, basta vencer a Argentina na grande decisão, o jogador ainda não marcou na competição, mas ainda pode balançar as redes na final deste domingo 18 de Dezembro.

Irmãos Hernandez e a Copa do Mundo

Já que já estávamos falando de um caso de família, que pode acontecer nesse torneio, por que não mostrar outro?

Os irmãos Theo e Lucas Hernandez já foram campeões do mundo na Copa do Mundo da Rússia de 2018, o que por si só já é um fato absurdo, que chegou a acontecer poucas vezes na história.

Entretanto, ambos não se deram satisfeitos com isso e estão em busca da sua segunda conquista da competição, mesmo com Lucas Hernandez tendo se machucado na competição, o mesmo já disputou um jogo do torneio e segue inscrito no campeonato.

Ambos, os jogadores seguem na primeira prateleira do futebol europeu, com Lucas Hernandez atuando pelo Bayern de Munique, enquanto o seu irmão mais novo Theo Hernandez atua pelo Milan, onde é um dos principais jogadores da equipe.

Camavinga e seu vício por títulos

Edouard Camivinga certamente é um dos melhores jogadores do mundo, sendo uma das principais promessas do globo terrestre, acumulando grandes atuações por onde passa, com o carinho de quem acompanha o futebol e principalmente dos franceses e dos torcedores do Real Madrid.

Dessa forma, o jogador é mais que está disposto a estar marcado na história do futebol de maneira absurda e completamente fora dos padrões desse esporte, tendo uma chance absurda de ser campeão da Champions League e da Copa do Mundo no mesmo ano.

Entretanto, não é só isso, e mesmo se fosse já seria assombroso se a gente parasse para pensar que uma pequena porcentagem dos jogadores conseguiram tal façanha tão longe do normal no mundo da bola.

E ainda assim, não satisfeito com isso, o atleta seria o mais jovem a vencer tanto a Champions League como a Copa do Mundo em único ano, entrando de vez nos livros de história do futebol.

Final da Copa do Mundo

Para que todos esses craques possam levantar o trofeu da Copa do Mundo e, ao mesmo tempo, entrar na galeria dos grandes feitos da bola, eles têm apenas uma missão, bater a Argentina de Lionel Messi.

Assim, partida decisiva acontece neste domingo (18), as 12h (horário de Brasilia), com o jogo ocorrendo no luxuoso e, ao mesmo tempo grandioso Lusial Iconic Stadium, com todas as atenções voltadas para os 22 jogadores que vão estar em campo durante os 90 minutos mais importantes dos últimos quatro anos.

 

 

Igor Manoel
Igor Manoel

Jornalista, apaixonado por futebol tanto dentro como fora de campo, em busca do meu lugar nesse meio.