Até ex-participante de reality show: Onde estão os jogadores do Arsenal dos Invencíveis?

16 minutos de leitura

O dia 15 de maio de 2004 estará para sempre na memória dos fãs do futebol inglês, principalmente dos torcedores do Arsenal. Além do título, a equipe confirmou a campanha invicta na Premier League, algo inédito na competição.

O feito inédito deu o apelido de “Invencíveis” ao esquadrão da temporada 2003/2004. O clube também igualou a marca do Preston, que foi campeão invicto em 1888/1889, sendo os únicos que não perderam em uma temporada da primeira divisão do futebol inglês.

Em 2024, completam-se 20 anos da campanha invicta do Arsenal. Por isso, a PL Brasil relembra os principais nomes da conquista histórica e mostra onde estão atualmente.

Onde estão os jogadores do Arsenal Invencíveis

Jens Lehmann

O talentoso goleiro alemão passou por Schalke 04, Milan, Borussia Dortmund e Stuttgart, mas se destacou muito no Arsenal. A primeira passagem de Jens Lehmann pela Inglaterra começou de forma espetacular. O jogador chegou ao clube em julho de 2003 para substituir David Seaman e correspondeu em campo, sendo campeão da Premier League de forma invicta.

Lehmann permaneceu no Arsenal até 2008, quando se transferiu para o Stuttgart e se aposentou em 2010. Mas retornou aos gramados um ano depois para defender novamente os Gunners, que enfrentavam uma crise de goleiros lesionados. O alemão assinou o contrato até o final da temporada e, em abril de 2011, contra o Blackpool, se tornou o jogador mais velho a atuar pelo clube na Premier League.

O alemão se aposentou de vez no final da temporada e retornou ao Arsenal em 2017, dessa vez como preparador de goleiros. Em 2019, fez parte da comissão técnica do Augsburg e, em 2020, foi nomeado como conselheiro do Hertha Berlim, mas acabou demitido um ano depois ao enviar mensagens racistas para o ex-jogador e hoje comentarista da “Sky Sports” Dennis Aogo.

Lehmann também se envolveu em outras polêmicas. O alemão foi acusado de não pagar duas taxas no aeroporto de Munique, insultar policiais e utilizar o celular enquanto dirigia. Em 2023, foi condenado pelo tribunal de Stranberg, da Alemanha, a pagar 420 mil euros (R$2,2 milhões) de indenização por destruir a garagem de seu vizinho de 91 anos com uma motosserra em julho de 2022.

Lauren

Lauren defendeu o Levante e o Mallorca até chegar ao Arsenal em 2000. Com pouco mais de 150 partidas e sete gols marcados, foi fundamental para a campanha invicta da temporada 2003/2004.

O lateral camaronês permaneceu nos Gunners por sete anos e, em 2007, assinou com o Portsmouth. Três anos depois, retornou para a Espanha, dessa vez para jogar pelo Córdoba antes de se aposentar.

Depois de pendurar as chuteiras, Lauren continuou no futebol. O ex-jogador é comentarista de La Liga e embaixador do Arsenal no continente africano. Além disso, desde 2022, é especialista técnico da Fifa com o desenvolvimento de jovens talentos da África.

Kolo Touré

Com uma passagem histórica pela Inglaterra, Kolo Touré chegou ao Arsenal em fevereiro de 2002, sendo contratado por 150 mil libras na época, vindo do modesto ASEC Mimosas, da Costa do Marfim. Entretanto, a estreia foi apenas em agosto contra o Liverpool.

Touré permaneceu nos Gunners até 2009, mas seguiu na Inglaterra, dessa vez para defender o Manchester City. Quatro anos depois, foi anunciado pelo Liverpool. Em 2016, foi para o Celtic e encerrou a carreira em 2017.

O costa-marfinense não abandonou os gramados depois de se aposentar. Em agosto de 2017, integrou a comissão da Costa do Marfim sub-23, mas um mês depois se juntou à equipe técnica de Brendan Rodgers no Celtic e posteriormente no Leicester. Em novembro de 2022, aceitou o convite para ser o treinador do Wigan, porém foi demitido em janeiro de 2023. Desde então, está sem clube.

Foto: Icon Sport

Sol Campbell

Sol Campbell defendeu o Tottenham de 1992 até 2001, quando deixou os Spurs para defender o maior rival. O zagueiro foi considerado uma das principais contratações do Arsenal e correspondeu em campo com uma ótima parceria com Kolo Touré.

Campbell foi contratado pelo Portsmouth em 2006 e, três anos depois, assinou com o Notts County. Em 2010, retornou aos Gunners, mas alguns meses depois fechou com o Newcastle, encerrando a carreira no ano seguinte.

Depois de se aposentar, o ex-jogador ficou afastado do futebol por alguns anos, retornando em 2017 como assistente técnico de Dennis Lawrence na seleção de Trinidad e Tobago. Um ano depois, iniciou a carreira como treinador do Macclesfield Town e, em 2019, mudou-se para o Southend United e deixou o clube em 2020.

Desde então, se afastou dos gramados e se dedica a carreira política, chegando a ser candidato a prefeito de Londres.

Em novembro de 2023, Campbell concedeu entrevista ao jornal “The Mirror” e revelou que trabalha para retornar ao futebol como treinador.

Ashley Cole

Formado nas categorias de base do Arsenal, Ashley Cole permaneceu na equipe até 2006, mas a saída do clube foi conturbada. A equipe acusou o jogador de entrar em contato com o Chelsea sem informar a diretoria dos Gunners. Além disso, em sua autobiografia, afirmou que foi utilizado como “bode expiatório”.

Depois do Chelsea, Cole jogou por Roma, Los Angeles Galaxy e encerrou a carreira em 2019 no Derby County. Em 2021, retornou ao futebol, dessa vez como auxiliar de Lee Carsley na Inglaterra sub-21. Um ano depois, integrou a comissão de Frank Lampard no Everton. O último trabalho foi ao lado de Wayne Rooney no Birmingham.

Freddie Ljungberg

O meio-campista sueco chegou ao Arsenal em 1998 e defendeu a equipe por nove temporadas. Depois de deixar os Gunners, Ljungberg continuou em Londres, mas dessa vez para atuar pelo West Ham. Além disso, passou por Seattle Sounders e Chicago Fire dos Estados Unidos, Celtic, Shimizu S-Pulse do Japão e encerrou a carreira no Mumbai City, da Índia, em 2014.

Dois anos depois de se aposentar, Freddie Ljungberg retornou ao Arsenal, dessa vez como treinador. O sueco comandou o sub-15 e sub-23 da equipe. Em 2017, foi auxiliar de Andries Jonker no Wolfsburg, mas um ano depois foi recontratado pelos Gunners e chegou a ser treinador interino em dezembro de 2019.

Na temporada seguinte foi nomeado para a comissão técnica de Mikel Arteta, porém deixou o cargo no final das competições. Desde então, trabalha como comentarista e apresentador do serviço de streaming “Via Play”.

Patrick Vieira

Considerado uma lenda do futebol francês, Patrick Vieira defendeu Cannes e Milan antes de chegar ao Arsenal em 1996. O meio-campista defendeu o clube por nove temporadas e retornou para a Itália, dessa vez para jogar com as camisas da Juventus e Inter de Milão. O ídolo dos Gunners retornou para a Inglaterra para jogar pelo Manchester City e encerrou a carreira em 2011.

Vieira ficou longe do futebol por alguns anos e retornou ao esporte em 2016. O agora treinador iniciou a carreira no New York City FC e, em 2020, chegou ao Nice. Um ano depois, acertou o retorno para a Inglaterra, dessa vez para comandar o Crystal Palace.

Não suportou as críticas pela instabilidade apresentada e deixou a equipe em 2023, mas em julho foi anunciado pelo Strasbourg, onde está atualmente.

Edu Gaspar

Revelado no Corinthians, o então meio-campista foi contratado pelo Arsenal em 2001. Edu Gaspar permaneceu na equipe até 2005, quando foi anunciado pelo Valencia. Quatro anos depois, retornou ao Brasil, para defender novamente as cores do Timão e encerrar a carreira em 2010.

Depois de se aposentar, Edu passou por muitas áreas do futebol. Primeiramente foi nomeado como diretor de futebol do Corinthians e, em 2014, integrou a comissão técnica de Carlos Queiroz no Irã na Copa do Mundo.

Dois anos depois, foi contratado pela CBF como coordenador técnico de seleções. Desde 2019, é diretor técnico do Arsenal e tem desempenhado um papel fundamental na reconstrução da equipe.

Edu Gaspar no Emirates Stadium (Foto: Reprodução/Arsenal)

Robert Pirès

Destaque no Metz e Olympique de Marseille, Robert Pirès foi contratado pelo Arsenal em 2000 e colecionou títulos durante os seis anos que passou no clube. Depois de deixar os Gunners, atuou por Villarreal e Aston Villa antes de encerrar a carreira em 2015 no FC Goa, da Índia.

Um ano depois de pendurar as chuteiras, Pirès retornou ao Arsenal, mas dessa vez em outra função. O francês aceitou o convite de Arsène Wenger para iniciar a carreira de treinador. Mas, desde então, está sem equipe.

Dennis Bergkamp

A lenda do futebol holandês defendeu apenas três clubes na carreira. Com passagens por Ajax e Inter de Milão, Dennis Bergkamp ganhou destaque com a camisa do Arsenal, clube onde passou 11 anos até se aposentar em 2006.

Bergkamp retornou aos holofotes apenas em 2011 e foi nomeado como assistente técnico do Ajax, deixando o cargo em 2017. O último trabalho do ex-jogador foi como treinador voluntário do Almere City.

Sylvain Wiltord

Com passagens por Rennes, Deportivo La Coruña e Bourdeux, Sylvain Wiltord se destacou com a camisa do Arsenal, clube no qual defendeu de 2000 até 2004. O atacante retornou a França para jogar por Lyon, Metz, Olympique de Marseille e Nantes, e encerrou a carreira em 2012.

Em 2015, Wiltord participou do reality show “Dropped”. O programa deixava oito esportistas em ambientes inóspitos para ver como cada um iria reagir. No entanto, dez participantes do programa faleceram após a colisão de dois helicópteros na Argentina. O jogador só não estava na viagem porque já havia sido eliminado.

Depois, o ex-atacante iniciou a carreira de consultor esportivo.

Thierry Henry

Um dos principais nomes não apenas do Arsenal Invencíveis, como da história do futebol. Thierry Henry é um dos maiores ídolos da França e com uma passagem histórica pelos Gunners. O ex-atacante jogou por Monaco e Juventus antes de chegar à Inglaterra em 1999, além de passagens por Barcelona e New York Red Bulls, se aposentando em 2014.

Henry continua ligado ao futebol e em diferentes funções. O francês trabalhou como técnico do Monaco e CF Montréal, além de ser auxiliar técnico da Bélgica. Desde 2023, comanda a seleção francesa sub-21. Além disso, é comentarista em jogos da Champions League na “CBS Sports”.

Foto: Icon Sport

Gilberto Silva

Outro brasileiro que fez parte do time histórico dos Invencíveis é Gilberto Silva. Ele iniciou a carreira por América-MG e Atlético-MG, chegou ao Arsenal em 2002, permanecendo no clube por seis temporadas. Depois de deixar os Gunners, assinou com o Panathinaikos e retornou ao Brasil em 2011 como reforço do Grêmio. Dois anos depois, retornou ao Galo e encerrou a carreira como atleta.

Gilberto Silva continua no futebol, mas dessa vez atua mais nos bastidores. Em maio de 2016, foi nomeado diretor técnico do Panathinaikos, porém deixou o cargo em dezembro do mesmo ano. Atualmente, dirige uma empresa voltada para consultoria de futebol e é representante de Fred, jogador do Fenerbahçe.

Martin Keown

O defensor conta com duas passagens pelo Arsenal. A primeira de 1984 até 1986, enquanto a segunda foi de 1993 até 2004. Além dos Gunners, Martin Keown jogou por Brighton, Aston Villa, Everton, Leicester, Reading e Wembley FC, no qual encerrou a carreira em 2005.

Após a aposentadoria, Keown se juntou à comissão técnica do AFC Newbury e, em 2007, treinou o time dos Blues da Universidade de Oxford. O ex-defensor não seguiu a carreira de treinador, mas continua ligado ao futebol. Atualmente, é comentarista da “BBC” no programa “Match of the Day” e trabalha na cobertura da Champions League pela “TV3”.

Ray Parlour

Revelado nas categorias de base do Arsenal, Ray Parlour foi promovido ao time principal em 1992 e se despediu da equipe após o título invicto em 2004. Em seguida, defendeu Middlesbrough e Hull City e anunciou a aposentadoria em 2007. Mas em 2012 retornou aos gramados para disputar uma partida pelo Wembley na Copa da Inglaterra. O time perdeu para Langford por 3 a 2.

Parlour participou do programa “Harry's Heroes” da IVT em 2019 e 2020. Mas, desde 2007, trabalha como comentarista da Setanta Sports, além de apresentações da BBC Radio 5 Live e Talksport.

Gael Clichy

A passagem de Gael Clichy pelo Arsenal começou da melhor forma. Destaque do Cannes, o defensor chegou aos Gunners em 2003 e permaneceu na equipe por oito temporadas. Em 2011, assinou com o Manchester City e ficou no clube até 2017, quando assinou com o Istanbul Basaksehir.

Ao contrário de outros nomes do Arsenal Invencíveis, Clichy está em atividade. Desde 2020, defende as cores do Servette, clube da primeira divisão da Suíça.

José Antonio Reyes

Formado no Sevilla, José Antonio Reyes viveu o auge da carreira com o Arsenal. O espanhol assinou com os Gunners na janela de inverno da temporada 2003/2004 e permaneceu na equipe por três anos. Em 2007 retornou à Espanha, dessa vez como reforço do Real Madrid por empréstimo, mas foi comprado no mesmo ano pelo Atlético de Madrid. Também defendeu as cores do Benfica, Córdoba, Espanyol, Xinjiang Tianshan Leopard e Extremadura.

Em junho de 2019, Reyes sofreu um trágico acidente de carro enquanto viajava de Utrera para Sevilha. O jogador não resistiu e acabou falecendo.

Cesc Fábregas

A participação de Cesc Fábregas no Arsenal Invencíveis é discreta, mas o jogador estava presente na campanha histórica. O espanhol chegou aos Gunners em 2003 como uma das grandes revelações do Barcelona.

Fábregas ganhou espaço com a camisa do Arsenal e se tornou um dos grandes jogadores do clube. Em 2011, acertou o retorno ao Barcelona, dessa vez pelo time principal. Depois de três anos voltou para a Inglaterra, dessa vez para defender o Chelsea. O espanhol ainda jogou por Monaco e encerrou a carreira em 2023 pelo Como, da Itália.

Logo após encerrar a carreira como jogador, Fábregas iniciou a trajetória como treinador. O ex-meio-campista assumiu o comando do time B do Como, além de integrar a comissão técnica da equipe principal.

Pascal Cygan

Destaque do Lille, Pascal Cygan foi contratado pelo Arsenal em 2002. A passagem pela Inglaterra durou apenas quatro anos, sendo anunciado pelo Villarreal em 2006. Três anos depois, acertou a transferência para o Cartagena e ficou no clube até a aposentadoria em 2011.

Assim como a maioria dos ex-atletas, Cygan não permaneceu muito tempo longe do futebol. O francês iniciou a carreira de treinador, mas não comandou uma equipe de expressão. Atualmente, trabalha com as categorias de base do Royal Excel Mouscron, da Bélgica.

Foto: Divulgação/Arsenal

Jeremie Aliadiere

O atacante francês jogou pelo Arsenal de 2001 até 2007, mas enfrentou altos e baixos na equipe. Nesse tempo, foi emprestado para o West Ham, Celtic e Wolverhampton até ser contratado pelo Middlesbrough. Em 2011, Jeremie Aliadiere foi contratado pelo Lorient e ficou até 2017, quando encerrou a carreira.

Aliadiere retornou ao Arsenal depois da aposentadoria para desempenhar uma nova função. O ex-atacante trabalha com a produção de conteúdo de mídia do clube.

Nwankwo Kanu

O carrasco do Brasil nos Jogos Olímpicos de 1996 pela Nigéria ingressou ao Arsenal em 1999 depois de se destacar com as camisas do Heartland, Ajax e Inter de Milão. O ex-atacante permaneceu nos Gunners até 2004 e acertou a transferência para o West Bromwich. Em 2006, chegou ao Portsmouth e anunciou a aposentadoria dois anos depois.

Nwankwo Kanu permaneceu longe do esporte, mas retornou ao futebol em 2023. O ex-atacante foi nomeado presidente do Enyimba, clube da Nigéria.

Arsène Wenger

A icônica equipe foi comandada por Arsène Wenger. O lendário treinador passou por Nancy, Monaco e Nagoya Grampus, mas a história está ligada diretamente ao Arsenal. O francês chegou ao clube em 1996 e permaneceu na equipe até 2018.

Nos 22 anos no comando dos Gunners, Wenger passou por altos e baixos, mas escreveu o nome na história do futebol inglês com o Arsenal Invencíveis. Desde novembro de 2019, é diretor de Desenvolvimento Global de Futebol da Fifa.

Arsene Wenger é diretor de desenvolvimento global de futebol da Fifa (Foto: Icon Sport)
Gabriel Lemes
Gabriel Lemes

Me formei em Jornalismo pela Univap em 2019 e sou redator da PL Brasil. Já escrevi para o Quinto Quarto, Minha Torcida, Futebol na Veia e Portal Famosos.