O primeiro título da Copa da Inglaterra do Chelsea

Blues levaram o título pela primeira vez em 1970

0
262
O primeiro título da Copa da Inglaterra do Chelsea

Do atual Big 6, grupo formado por Arsenal, Chelsea, Liverpool, Manchester City, Manchester United e Tottenham, os Blues foram os últimos a conquistarem a Copa da Inglaterra. O título só veio em 1970.

O Chelsea havia chegado a duas finais e perdido ambas. A primeira, em 1915, para o Sheffield United; a segunda, para o Tottenham, em 1967. Os Blues precisavam desse título. E ele veio.

No dia 29 de abril de 1970, o Chelsea venceu o Leeds United por 2 a 1 e conquistou o torneio mais antigo do mundo pela primeira vez. Quer saber como essa taça tão especial foi vencida? A PL Brasil relembra!

Caminho até a final

A caminhada do Chelsea rumo ao primeiro título da Copa da Inglaterra começou no dia 3 de janeiro de 1970, diante do Birmingham. Com gols dos atacantes Peter Osgood e Ian Hutchinson (2), os Blues venceram por 3 a 0 e avançaram à próxima fase, onde enfrentariam o Burnley.

E mesmo em um Stamford Bridge com cerca de 42 mil pessoas, o Chelsea não passou de um empate em 2 a 2 diante do Burnley, levando a partida para replay. Os gols dos Blues na peleja foram marcados pelo meia John Hollins e o atacante Peter Osgood.

No jogo de volta, em uma partida dificílima, o Chelsea venceu o Burnley por 3 a 2 e avançou às oitavas de final da Copa da Inglaterra. O meia Tommy Baldwin e o ponta Peter Houseman (2) marcaram os gols da partida. O adversário da próxima fase seria o Crystal Palace.

E o Chelsea deu um baile. Aplicou um 4 a 1 com autoridade e carimbou o passaporte para as quartas de final, onde enfrentaria o Queens Park Rangers. O zagueiro John Dempsey, o ponta Peter Houseman, e os atacantes Peter Osgood e Ian Hutchinson marcaram os gols dos Blues na goleada.

Brilho de Peter Osgood

Nas quartas de final, Peter Osgood teve uma das maiores atuações de sua carreira. O atacante marcou três gols e o Chelsea venceu o Queens Park Rangers por 4 a 2. O lateral direito David Webb marcou o outro tento dos Blues. Hora de enfrentar o Watford na semifinal.

E em um White Hart Lane lotado, com cerca de 55 mil torcedores, o Chelsea aplicou um 5 a 1 histórico no Watford. David Webb, Peter Houseman (2), Peter Osgood e Ian Rutchinson marcaram os gols que colocaram os Blues em sua terceira final de Copa da Inglaterra da história, onde enfrentariam o Leeds United, do lendário técnico Don Revie.

A grande decisão

A finalíssima de 1970 colocou frente a frente Chelsea e Leeds United, dois clubes que ainda não tinham sido campeões da Copa da Inglaterra. Pelo lado dos Blues, vice em 1915 para o Sheffield United e em 1967 diante do Tottenham.

Já o Leeds havia chegado a decisão apenas uma vez, onde perdeu para o Liverpool na prorrogação, em 1965. A competição mais antiga do mundo ganharia um campeão inédito.

A decisão entre Chelsea e Leeds United foi marcada para o dia 11 de abril de 1970, no antigo Wembley. O motivo: como era ano de Copa do Mundo, a ideia era ter a seleção da Inglaterra sentindo a atmosfera da torcida dias antes de embarcar para o México.

Mesmo com um gramado bem desgastado, o Wembley estava bonito. Cerca de 100 mil torcedores nas arquibancadas. Um público digno do que um título da Copa da Inglaterra representa.

O Leeds começou melhor a partida. E abriu o placar aos 20 minutos da primeira etapa. Após o escanteio, o zagueiro Jack Charlton aproveitou a saída precipitada do goleiro Peter Bonetti e o antecipou cabeceando a bola para o gol. A zaga do Chelsea até que tentou afastar, mas não deu. 1 a 0 Leeds.

Leia mais: O primeiro time inglês campeão da Europa

Após tomar o gol, o Chelsea saiu mais para o ataque. E conseguiu o empate aos 41 minutos do primeiro tempo. O ponta Peter Houseman acerta um chute de fora da área e o goleiro do Leeds, Gary Sprake, falha de forma bizarra e acaba cedendo o empate. 1 a 1 e fim da etapa inicial.

No segundo tempo, o Leeds voltou melhor. A equipe de Don Revie teve duas oportunidades com o ponta Eddie Gray. A primeira, obrigou o goleiro Peter Bonetti a fazer uma defesaça após um chutaço de fora da área; A segunda, em mais um belo chute de média distância, acertou a trave.

A pressão foi tão grande que a recompensa veio. Aos 40 minutos do segundo tempo, o atacante Allan Clarck acerta uma cabeçada na trave e, no rebote, o também atacante Mick Jones aproveita o rebote e acerta um chute forte rasteiro e rápido, deixando a bola indefensável para o goleiro Peter Bonetti.

Leia mais: O primeiro título de Copa da Inglaterra do Tottenham 

Entretanto, dois minutos depois, aos 42′, o Chelsea conseguiu empatar. Na cobrança de falta do meia John Hollins, o atacante Ian Rutchinson cabeceou para o fundo das redes, levando a partida para a prorrogação.

Durante o tempo extra, o placar não foi alterado. Em uma partida com muita pancadaria, o 2 a 2 se manteve. E como o regulamento não previa pênaltis após o fim da prorrogação, a final seria decidida em um replay – algo que não acontecia desde 1912.

O palco do replay da decisão da Copa da Inglaterra de 1970 foi o Old Trafford, que recebeu cerca de 62 mil torcedores. O antigo Wembley recebeu, de 1923 até 2000, todas as finais de Copa da Inglaterra – incluindo os replays.

Mas, devido ao péssimo estado do gramado, a decisão foi transferida para o Teatro dos Sonhos. De acordo com o jornal Daily Mail, cerca de 28 milhões de pessoas assistiram a decisão, fazendo com que se tornasse o sexta maior audiência televisiva da história da Grã-Bretanha até 2005.

Leia mais: O que esperar do treinador Frank Lampard no Chelsea?

Em uma época onde menos pessoas tinham acesso aos aparelhos televisivos, a Copa da Inglaterra conseguiu promover uma audiência deste tamanho.

Com a bola rolando, muita pancadaria. Essa decisão foi, sem sombra de dúvidas, uma das mais violentas da história da Copa da Inglaterra. E, por mais bizarro que isso possa parecer, o árbitro da final, Eric Jennings, que também apitou no 2 a 2 em Wembley, só aplicou um cartão amarelo, para o atacante Ian Rutchinson.

Anos depois, Eric reviu à partida e disse que, no atual futebol, a peleja teria no mínimo 20 expulsões.

Aos 35 minutos da primeira etapa, o atacante Mick Jones faz uma bela jogada individual, entra na área do Chelsea e solta uma bomba que estufa as redes dos Blues. 1 a 0 Leeds.

A final seguiu com o mesmo roteiro: pouca bola jogada e muita pancadaria. E nada do árbitro tomar uma providência. Aos 33 minutos da etapa final, Peter Houseman faz um lançamento espetacular para Peter Osgood completar de cabeça e empatar a decisão.

Leia mais: O primeiro título de Copa da Inglaterra do Arsenal 

peter osgood chelsea 1970-min (1)

A partida foi reiniciada e ninguém conseguiu desempatar, levando a decisão para outra prorrogação. Faltando um minuto para a primeira etapa do tempo extra terminar, o Chelsea fez o gol.

O lateral-esquerdo Eddie McCreadie bateu um lateral longo na área, o zagueiro Jack Charlton tentou afastar, mas acabou atrapalhando o goleiro David Harvey, e a bola sobrou para David Webb, que se antecipou e marcou o gol do título

O Chelsea conseguiu suportar a pressão no segundo tempo da prorrogação e finalmente conquistava a Copa da Inglaterra. Também foi o primeiro título dos Blues após 1955, quando ganharam pela primeira vez o Campeonato Inglês.

Uma final épica. Foto: MightyLeeds

Na volta para Londres, muita festa. O Chelsea, sob o comando do técnico Dave Sexton, conquistou a Copa da Inglaterra de forma incrível. O artilheiro Peter Osgood terminou como artilheiro do torneio, com oito gols, e também se tornando o último jogador a marcar em todas as fases da competição.

Foto: ArchivoFutbol