O Novo Neymar precisa se inspirar no antigo

O Novo Neymar precisa se inspirar no antigo

Neymar pode não agradar a todos, mas o seu potencial não pode ser discutido de forma alguma. Desde muito novo, o craque já liderava um dos clubes mais tradicionais do Brasil e já mostrava ser um jogador diferenciado. Todavia, nos últimos meses, o brasileiro apresentou a sua pior versão desde o início da carreira. A única esperança de conquistar a Copa do Mundo e com o nosso camisa 10 atuando em alto nível. Além disso, vencer a Copa é a única chance dele se tornar o Melhor do Mundo. Como resultado, ele precisa se inspirar no jogador que pode ser e que já foi.

NEYMAR SEMPRE FOI GIGANTE

Desde muito novo, as faltas e perseguições da imprensa eram frequentes. Com 17 anos, o então garoto franzino, de cabelo moicano, liderava uma das equipes mais prazerosas de assistir. O Santos de 2010 jogava um futebol alegre, com muitos gols, um espetáculo. Neste ano, Neymar já conquistou o inédito título da Copa do Brasil e o dramático Campeonato Paulista, marcado gol na final em ambos.

A mídia só falava no atacante, mas não era só pelo bom futebol. No dia 16 de setembro de 2010, Ney discutiu com Dorival Junior, na beira do campo, porque o treinador não o deixou bater o pênalti. Na época, o então camisa 11 era o batedor oficial do Santos, no entanto não vinha batendo bem. O veto do treinador irritou o craque e esse desentendimento acabou acarretando na demissão do técnico. Isso fez com que toda a imprensa julgasse o caráter de Neymar.

Após a partida, René Simões disse a famosa frase em referência ao craque: “estamos criando um monstro“. No caso, ele estava se referindo a caráter. Entretanto, o garoto acabou se tornando um monstro em outro sentindo. Aos 19 anos, Neymar liderou o Santos na conquista do tri da Libertadores, um título que não era conquistado pelo clube desde 1963. Na campanha, o jovem liderou o time, em muitos jogos sem seu principal parceiro, Paulo Henrique Ganso. O garoto foi o primeiro atleta com 20 anos a conquistar o prêmio de ‘Rei da América' (melhor jogador do Continente).

A HORA DO VAMO VER

O atacante encerrou sua trajetória no Santos em 2013, com 134 jogos, 70 gols e 35 assistências. Desde seus primeiros meses como profissional, muitos clubes europeus tentavam contrata-lo. Entretanto, Neymar foi muito cauteloso e ficou até seus 21 anos no Brasil, dando show e se tornando ídolo de uma equipe. No dia 25 de maio de 2013, o grande talento nacional fechou com o Barcelona.

A ida do atacante gerou muito debate, porque alguns achavam que ele não ia dar certo em um plantel muito coletivo, como era o Barcelona. A equipe catalã era conhecida pela posse de bola, a maioria dos atletas tocavam a bola após dois toques. A imprensa titulou esse estilo de jogo como “tiki taka“, mas o Pep Guardiola, em seu livro “Guardiola Confidencial“, disse que esse estilo de jogo é uma bobeira. O jogo do Barça é um toque de bola em busca do gol, desde os tempos de Johan Cruyff. Por outro lado, o “tiki taka” é apenas manter a posse de bola, sem objetivo algum.

Além do estilo de jogo, cultura e tática serem bem diferentes, muitos acreditavam que o brasileiro não teria uma boa relação com os “medalhões” do elenco catalão. Na época, o plantel contava com Lionel Messi, Gerard Piqué, Xavi Hernandés, Andrés Iniesta e entre outros.

NEYMAR SE TORNOR ÍDOLO EM BARCELONA

A temporada de 2013/14 foi muito difícil para todo o elenco. Tata Martino não conseguiu comandar o time da melhor maneira e o único título foi a Recopa da Espanha. Em 41 jogos, Neymar marcou 15 gols e deu 15 assistências. O seu melhor momento nessa época foi entre dezembro de 2013 e janeiro de 2014, quando liderou a equipe na ausência de Messi. Entretanto, no dia dia 17 de janeiro sofreu uma lesão no tornozelo direito e ficou fora por oito partidas. A contusão “esfriou” a boa fase do brasileiro.

O começo foi bom, no entanto sabíamos que Neymar tinha potencial de dividir o protagonismo com Lionel Messi. Em uma entrevista para Glenda Kozlowski, em 2019, o craque contou como o argentino foi importante em seu começo na Europa. O camisa 10 catalão incentivou Ney a jogar da mesma maneira que jogava no Santos. O Barça precisa disso, de um jogador com individualismo forte, para superar barreiras defensivas.

Após um temporada boa para um estreante, com o apoio de Messi e todo elenco, Neymar se tornou um dos pilares da equipe. Dessa vez sob comando de Luis Enrique, o clube teve a melhor temporada dos últimos anos. Com a chegada de Luis Suárez, a equipe formou um dos grandes trio de ataque da história, o famoso MSN (Messi, Suárez e Neymar).

Foram grandes anos e vimos uma das melhores versão do brasileiro. Entretanto, a passagem teve um fim. Ao todo foram, 186 jogos, 105 gols e 76 assistências. Ademais, conquistou duas La Liga, três Copa del Rey, uma Champions League, um Mundial de Clubes e se tornou o brasileiro com mais gols pelo Barcelona. Ney marcou gol nas três finas da Copa da Espanha e na decisão da Liga dos Campeões.

Neymar
Reprodução/ Barcelona

FIM DE UM LINDO CICLO

No dia 3 de agosto, Neymar fechou com o PSG por 222 milhões de euros, a transação mais cara da história do futebol. A notícia chocou o Mundo do Futebol, porque o craque era amado em Barcelona, pela torcida e pelo grupo. Além disso, Lionel Messi já estava passando o “bastão”, aos poucos, para o até então camisa 11. Um jogo que prova isso foi a grande virada sobre o próprio Paris Saint-Germain, na Champions League, em que Ney foi o protagonista naquele 6 x 1.

Paris entrou em ritmo de festa com a chegada do atacante. A festa foi tão grande, que a Torre Eiffel ficou verde e amarela e apresentou o nome do brasileiro. Além disso, ele passou a usar a camisa 10, mesmo número que usa na Seleção Brasileira. A sua vinda e de Kylian Mbappé elevaram o patamar dos parisienses no cenário europeu.

Neymar
Divulgação/ Barcelona

ALTOS E BAIXOS

O começo da trajetória de Neymar em Paris foi lindo. A torcida passou a acreditar que o título da Champions League poderia ser real, porque o brasileiro junto com Mbappé faziam uma grande temporada. Entretanto, o craque teve sua pior lesão na carreira. No dia 25 de fevereiro de 2018, ele fraturou o quinto metatarso no pé direito e perdeu grande parte da temporada. Nesta época, ele registrou 28 gols, 16 assistências em 30 partidas pelo clube francês.

Ney retornou aos gramados bem próximo da Copa do Mundo. O craque conseguiu jogar, marcar gols, ser decisivo, no entanto era nítido que não estava 100%. O Mundial deixou o atacante em baixa por conta dele ser criticado por simular faltas ou então por exagerar em suas reações ao sofre-las. Todavia, dar a volta por cima sempre foi o forte do camisa 10.

A temporada 2018/19 começou de forma muito positiva, no entanto mais uma vez as lesões frearam o atacante. No dia 23 de janeiro de 2019, fraturou o quinto metatarso novamente, no mesmo pé. Assim, ficou de fora das oitavas da Champions League de novo e o PSG foi eliminado mais uma vez.

Os torcedores do PSG começaram a cobrar mais do ponta-esquerda, porque ele não estava presente nos momentos mais decisivos. Nesta época, ele marcou 23 gols e deu 13 assistências em 28 partidas. Grandes números, mas esteve fora de muitos confrontos, inclusive dos mais decisivos.

NEYMAR SUPERA TODA A POLÊMICA EXTRA CAMPO

Desde o fim da época 18/19, a mídia passou a especular que Neymar deixaria o PSG e voltaria para o Barcelona. Os atletas catalães eram totalmente a favor do retorno do craque, porque desde sua saída, o Barça nunca conseguiu substituí-lo. O brasileiro também tinha esse desejo e fez de tudo para se transferir. Todavia, a diretoria parisiense não liberou de forma alguma. Ney chegou a negociar até com o Real Madrid. Os Galácticos fizeram uma proposta oferecendo três jogadores e mais um valor pelo ponta-esquerda, mas foi recusada.

A torcida do PSG não gostou nada do desejo de seu craque. No dia 14 de setembro de 2019, Ney estreou na temporada. O brasileiro foi muito vaiado, mas deu a resposta da melhor forma. A partida estava 0 x 0 e nos acréscimos da última etapa, Neymar marcou um belo gol, o da vitória. O atleta mostrou que estava focado em jogar futebol e deixar tudo para trás.

Nesta temporada, ele perdeu alguns jogos por conta de uma lesão na coxa. Entretanto, ele voltou jogando muito bem. Nos duelos pelas oitavas de finais, contra o Borussia Dortmund, o camisa 10 liderou o Paris, com dois gols, um em cada confronto, e o clube finalmente passou para as quartas de finais. O momento era bom, no entanto a pandemia do Covid-19 obrigou que a época fosse paralisada.

O PAI TA ON

O Campeonato Francês foi cancelado e o PSG foi decretado campeão, a terceira vez consecutiva. A equipe estava classificada para as quartas de finais da Champions League, que só aconteceria em agosto. Os fãs não vinha a hora de ver o brasileiro em campo novamente. Antes da partida contra a Atalanta, no dia 12 de agosto, o plantel de Thomas Tuchel encarou duas finais, das duas Copas que são disputadas na França.

Na Copa da França, encarou o Saint-Étienne e venceu por 1 x 0, gol de Neymar. Já na Copa da Liga Francesa, superou o Lyon nos pênaltis, em uma boa atuação do brasileiro. Os parisienses chegariam para o ‘Super Agosto' atuando apenas dois jogos oficiais desde o começo da pandemia.

Kylian Mbappé não tinha condições físicas de jogar os 90 minutos contra a Atalanta, porque sofreu uma dura entrada contra o Saint-Étienne, era um milagre ele ter condições de jogar alguns minutos. Além disso, Di Maria estava suspenso. Assim, Neymar teria a responsabilidade de liderar o time nas quartas de finais.

No duelo contra a Atalanta, o camisa 10 fez um jogo brilhante, foi o melhor em campo, deu assistência e foi crucial na virada. Ele perdeu um gol incrível no começo do duelo, mas por sorte não fez falta. Na semifinal, o adversário foi o RB Leipzig. Ney foi bem novamente e ajudou com uma assistência para Di Maria na vitória por 3 x 0. Essa vitória foi histórica, porque foi a 1ª vez que o Paris chegou em uma final de Champions League. Todavia, acabou perdendo a final para o Bayern de Munique, por 1 x 0.

Neymar
Divulgação/ Champions League

O NEYDAY TEM QUE ACABAR

A temporada 2020/21 começou difícil para o PSG. O clube era muito irregular na Ligue 1 e teve um começo muito difícil na Champions League, em um grupo forte com Manchester United e RB Leipzig. No returno da Liga dos Campeões, o Paris precisava vencer as três para não depender de ninguém. Neymar estava zerado até o momento na competição.

Os grandes jogadores gostam dos momentos críticos, em que eles precisam ser o milagre. Nesses três jogos, que foram vencidor pelo PSG, Ney marcou seis gols (um no Leipzig, dois contra o Manchester United e três contra o Basaksehir). Sendo assim, foi um dos grandes responsáveis pela reação do plantel. No mata-mata, Neymar iria reencontrar o Barcelona logo na 1ª fase. Todavia, uma lesão do adutor, tirou o craque do confronto.

O camisa 10 iria retornar contra o Bayern de Munique, era a chance da revanche. O brasileiro vivia um momento de baixa, porque o Paris não vinha jogando bem e ele foi expulso no confronto direto contra o Lille, dias antes do jogo decisivo. Entretanto, mais uma vez respondeu dentro de campo e jogou muito bem nos dois confrontos. No 1º deu duas belas assistência e no 2º foi o principal jogador do PSG, mas perdeu gols que não costumava desperdiçar.

Por fim, o Paris acabou perdendo para o Manchester City, nos dois duelos, na semifinal e foi eliminado. O Neyday foi um movimento nas redes sociais em que os fãs colocavam a foto de perfil do craque em forma de apoio. Entretanto, desde que começou, Neymar não marcou mais em confrontos de mata-mata de Champions League, já são sete jogos. Muitos torcedores do craque desejam o fim disto, porque acreditam que isso “zika” o jogador.

NEYMAR SABE QUE PODE RENDER MAIS

Após uma temporada frustante, o PSG contratou muito bem na última janela de transferência. O clube sabia que precisava de reforços, para não serem dependentes da dupla Neymar e Mbappé. O principal reforço foi Lionel Messi, que deixou o Barcelona após 21 anos de clube (contanto os tempos de base).

A chegada do argentino era um desejo de Neymar, porque Messi foi um de seus grandes parceiros de sua carreira. Além disso, são amigos pessoais. Sob muita expectativa, o Paris Saint-Germain começou a temporada bem, mas sem empolgar. O clube teve boas atuações em alguns jogos, como contra o Lyon e Manchester City. Entretanto, é nítido que o time ainda não encaixou.

O camisa 10 teve uma queda de rendimento comparado com as últimas temporadas. Além de estar mais lento, o jogador parece estar desligado em alguns jogos e perdeu o “faro de gol”. A questão física e tática também são um problema. Ney não consegue ter grandes sequências de jogos e vem sendo muito sacrificado por Maurício Pochettino no esquema tático. Para piorar, no dia 28 de novembro de 2021, o craque sofreu uma lesão no tornozelo direito e ficará de fora por até oito semanas dos gramados.

2022 PODE SER DIFERENTE E SÓ DEPENDE DELE

2022 terá muitos desafios para os atletas de alto nível, porque é ano de Copa do Mundo. O Brasil não vence a Copa desde 2002, há 20 anos atrás. A geração não é fraca como dizem, no entanto nunca tivemos um plantel tão dependente ofensivamente como este. É nítido, o Brasil só tem chances de vencer o Mundial, se Neymar jogar tudo que pode e claro o elenco ajudar. Além disso, que esteja feliz para desempenhar o seu futebol alegre e ousado.

Os brasileiros criticam muito o seu melhor jogador. Entretanto, dentro de campo e principalmente pelo Seleção Brasileira, não se pode contestar o potencial do atacante.Ele é o 2º maior artilheiro em jogos oficiais pelo Brasil, com 70 gols, sete a menos que Pelé. Além disso, é o maior assistente da história da Seleça. Como resultado, é sim um dos maiores da história do país.

A Seleção Brasileira não é favorita a vencer a Copa do Catar, no entanto não era para vencer a de 1994 e 2002. Futebol não se vence nas apostas, palpites e bastidores, mas sim dentro de campo. Tudo é possível e se o plantel se preparar bem e Neymar retomar a sua melhor versão, o título é possível. Ademais, se o camisa 10 reencontrar a sua melhor fase, o PSG terá ainda mais chances de conquistar a Europa pela 1ª vez. Portanto, Ney precisa se inspirar em tudo que já conquistou e ser decisivo nos próximos desafios de 2022.

Foto Destaque: Reprodução/ Neymar Jr