Demolição do Old Trafford? Novo dono do United pode tomar atitude drástica em relação ao estádio

5 minutos de leitura

A venda de uma parcela do Manchester United ao empresário inglês Sir Jim Ratcliffe enfim foi oficializada. Na véspera de Natal (24), foi concluída a compra de 25% do clube pelo bilionário, que, apesar de se tornar sócio minoritário, será o comandante do departamento de futebol.

Entre as mudanças que já estavam previstas quando Ratcliffe assumisse seu novo cargo, havia o direcionamento de um valor para a reforma do Old Trafford, a casa dos Diabos Vermelhos. Porém, se antes a construção de um novo estádio estava descartada, agora essa não parece uma ideia tão distante.

Ratcliffe pode mudar de ideia sobre ‘abandonar’ Old Trafford

O jornal inglês “The Telegraph” noticiou, nesta terça-feira (26), que a empresa de arquitetura contratada para viabilizar as mudanças no Teatro dos Sonhos, está cogitando a demolição do estádio.

Inicialmente, a promessa é de que Ratcliffe direcionaria 237 milhões de libras apenas para uma reforma estrutural no estádio e nos arredores do Old Trafford, que acabou ficando “ultrapassado” em relação aos rivais do Big-6.

— Fontes próximas a Ratcliffe disseram ao Telegraph Sport que teria que haver um ‘exercício de definição muito detalhado sobre o que precisa ser feito em Old Trafford’ e que o bilionário britânico reconheceu que o estádio exigiria um investimento muito maior no futuro — relata a matéria do Telegraph.

O time escolhido para realizar essa reforma é formado pela Populous, a mesma empresa de arquitetura por trás do Tottenham Hotspur Stadium, e os consultores de gestão da Legends International. Ambas as empresas foram nomeadas em abril de 2022 para criar o plano de transformação.

De acordo com o jornal, as três opções que estavam sendo discutidas eram um pequeno projeto de reforma, a expansão da arquibancada sul sobre a ferrovia que fica próxima ao local ou algo mais radical: a demolição do Old Trafford e a construção de um estádio inteiramente novo.

Em entrevista ao veículo, Chris Lee, diretor-executivo da Populous, disse que o Teatro dos Sonhos atingiu um ponto em que “tudo está próximo do prazo de validade” e o clube corre o risco de ficar ainda mais atrasado em relação aos rivais se não houverem atualizações “cruciais”. Por isso, ele acredita que o United deve considerar seriamente a demolição do estádio e a construção de um novo.

Questionado sobre qual seria sua preferência, Lee respondeu que “a nova construção pode muito bem acabar sendo a solução mais econômica”.

— Sim, o desembolso inicial é obviamente o mais elevado das três opções, mas há muitos terrenos disponíveis para desenvolver por lá. Eles [United] poderiam continuar usando o terreno existente enquanto as obras estão em andamento, o que significa que não haverá queda de receita nos dias de jogo.

— Arquitetonicamente, no espaço disponível você poderia fazer algo realmente inovador e emocionante. Não haveria restrições de espaço. Fizemos o trabalho com a Legends para analisar todas as opções, várias versões diferentes de reformas de Old Trafford e também como uma nova construção poderia ser. Tudo focado em como podemos criar uma experiência incrível para os torcedores. O Manchester United está muito focado nisso.

“Fim do prazo de validade” para o dono do United

A cada jogo, novos relatos surgem entre torcedores nas redes sociais de goteiras e pedaços de concreto caindo nas arquibancadas do Old Trafford. E Lee confirmou que a situação é realmente complicada.

— O edifício está chegando ao fim de sua vida natural. A fiação, o fornecimento de eletricidade, tudo está próximo do prazo de validade. E as partes internas são muito apertadas. Eu diria que a atualização é crucial não apenas para manter a posição do clube, mas para manter o local funcional.

A contratação da Populous foi feita pela família Glazer, antes da chegada de Ratcliffe. Porém, o planejamento para a reforma ficou parado nos últimos meses. Lee disse que a empresa tem esperado “pacientemente” para descobrir a próxima fase do processo.

— Pelo que entendemos, os planos ficaram suspensos durante o processo de venda. Mas acreditamos que as ideias que apresentamos são muito robustas.

Segundo o Telegraph, a estimativa é de que apenas a reforma e expansão do Old Trafford custaria mais de 800 milhões de libras “e foi citada internamente como um projeto de oito anos”. Um novo estádio, porém, pode custar até 2 bilhões de libras. A Populous ainda aguarda a resposta de Ratcliffe para saber qual será a opção escolhida.

Maria Tereza Santos
Maria Tereza Santos

Jornalista pela PUC-SP. Na PL Brasil, escrevo sobre futebol inglês masculino E feminino, filmes, saúde e outras aleatoriedades. Também gravo vídeos pras redes e escolhi o lado azul de Merseyside. Antes, fui editora na ESPN e repórter na Veja Saúde, Folha de S.Paulo e Superesportes.