‘Merece mais créditos’: famoso site inglês exalta Neymar após atuação contra a Bolívia e cita Ganso

3 minutos de leitura

Amado por uns, odiado por outros. Assim é Neymar Jr., agora maior artilheiro da história da seleção brasileiro em jogos oficiais, com 79 gols. Além do recorde, a partida contra a Bolívia na última sexta-feira (8) gerou inúmeras discussões e reflexões sobre o jogador. Enquanto uns menosprezaram a marca, outros exaltaram o craque e tudo que ele já construiu.

Esse é o caso de Michael Cox, jornalista do site inglês “The Athletic”. A partir dos dois gols diante dos bolivianos, ele esmiuçou a carreira de Neymar em um profundo texto e chegou a uma conclusão: “Ele deveria ser considerado um dos grandes”.

Neymar merece mais reconhecimento?

Segundo a opinião de Cox, o camisa 10 do Brasil deveria ser melhor creditado por tudo que fez em sua carreira. Ele ressaltou que, muitas vezes, Neymar é posto em cheque por conta de seus fracassos, lesões e escolhas errados. No entanto, ponderou que a trajetória do atleta também é repleta de episódios positivos e que existe uma certa má vontade do cenário geral do futebol em reconhecer isso.

— Mas há também uma recusa intencional em dar o devido crédito a Neymar. O brasileiro pode ser um jogador frustrante em campo e, por diversos motivos, é difícil de se aquecer fora dele. Mas ele merece mais crédito, especialmente tendo em conta que ultrapassou o recorde brasileiro de 77 gols de Pelé na noite de sexta-feira. Neymar marcou dois gols na vitória por 5 a 1 sobre a Bolívia, em Belém, elevando seu total pela seleção nacional para 79. Ele deveria ser considerado um dos grandes –, comentou.

Cox ainda lembrou do gol que o atacante marcou diante da Croácia, na última Copa do Mundo. Para ele, foi um dos maiores gols individuais da história do futebol, mas que acabou caindo em esquecimento após o Brasil sofrer o empate e ser eliminados nas penalidades máximas.

Neymar comemora gol pela seleção brasileira na Copa do Mundo - Foto: Icon Sport
Neymar comemora gol pela seleção brasileira na Copa do Mundo – Foto: Icon Sport

‘Supera tudo o que foi alcançado por qualquer outro atacante brasileiro’

A ousada afirmação de Michael Cox levanta uma polêmica. Para ele, Neymar teve uma carreira na Europa melhor que a dos outros grandes atacantes brasileiros no século. Sim, ele considera Ronaldo, Rivaldo, Ronaldinho e Kaká. Mesmo com o trio tendo conquistado a Bola de Ouro, o jornalista prefere a passagem de Neymar pelo Velho Continente.

— Qualquer crítica ao “original” Ronaldo é considerada um sacrilégio, em parte devido aos seus problemas com lesões. Este é um jogador que conquistou um único título da liga em 14 anos de futebol europeu. Ronaldo só chegou a uma semifinal da Liga dos Campeões e nunca chegou à final (…) A carreira europeia de alto nível de Rivaldo durou apenas cinco anos, no Deportivo e depois no Barcelona. Ele foi fraco em sua última temporada no Camp Nou e, em uma passagem normal pelo Milan, superou as necessidades.

Ronaldinho estava praticamente acabado aos 28 anos, após um sensacional período de brilhantismo de meia década, embora mereça crédito por seu canto de cisne com o Atlético Mineiro, levando-o à Copa Libertadores em 2013. E depois há Kaká, brevemente o melhor jogador de futebol do mundo. Porém, ao se transferir para o Real Madrid , aos 27 anos, ele se perdeu gravemente, lutou para encontrar uma vaga no time e acabou na MLS aos 32 –, argumentou.

O texto prefere tratar Neymar por suas páginas históricas positivas, como os títulos de Libertadores e Champions League, além dos gols em ambas as finais. Ele brilhou no Barcelona e, mesmo com a decepções, jogou muita bola no PSG e conseguiu levar o clube à inédita final da Champions, em 2020. Para Michael Cox, apesar dos pesares, o craque merece ser exaltado.

Neymar, Ganso, Lewandowski e Benzema… uma reflexão sobre tempos

Já em contra-argumento a quem possa utilizar Robert Lewandowski e Karim Benzema como exemplos que poderiam ser seguidos por Neymar, já que viveram os auges de sua carreira após os 30 anos, Cox traz uma lembrança. O brasileiro começou mais cedo e aos 19 anos já era campeão da Libertadores e o melhor jogador da América do Sul.

Para ele, é totalmente injusto dizer que o novo jogador do Al-Hilal desperdiçou seu talento. O jornalista traz à tona Paulo Henrique Ganso, dupla do astro nos tempos de Santos e de quem também se esperava muito. Cox acredita que Ganso sim é um exemplo de quem poderia ser mais e não conseguiu.

O texto veiculado no “The Athletic” é finalizado em cima, lembrando Neymar como um ídolo que atingiu marcas históricos e está gravado para sempre no futebol.

— O maior artilheiro de todos os tempos do Brasil e o único homem que marcou em finais da Liga dos Campeões e da Copa Libertadores deve ser lembrado como um dos melhores que o jogo já viu –, terminou.

A carreira de Neymar em números

  • Santos: 225 jogos, 136 gols e 72 assistências
  • Barcelona: 186 jogos, 105 gols e 76 assistências
  • PSG: 173 jogos, 118 gols e 77 assistências
  • Brasil: 125 jogos, 79 gols e 32 assistências
  • 30 títulos
Neymar Barcelona
Neymar em ação pelo Barcelona – Foto: Icon Sport
Lucas Barbosa
Lucas Barbosa

Redator da PL Brasil. Foi por meio da Premier League, na tela do antigo Esporte Interativo, em 2007, que o Jornalismo entrou na minha vida. Duas paixões que abriram portas e me fazem realizar sonhos todos os dias. Passei pelos portais Mais Minas e Esporte News Mundo.