A inesperada boa fase do Newcastle na Premier League

Magpies têm conseguido brigar no meio da tabela

Newcastle Lascelles Ian MacNicol Collection Getty Images Sport
Ian MacNicol Collection Getty Images Sport

A campanha do Newcastle, até esse momento, vem sendo uma surpresa para grande parte de seus torcedores. Um início de temporada com a saída do técnico Rafa Benítez e de jogadores como Ayoze Pérez e Salomon Rondón credenciavam o time para o pelotão que lutaria contra o rebaixamento.

A chegada de Steve Bruce ao comando dos Magpies soava como a confirmação da iminente queda. No entanto, com 12 partidas disputas até aqui, o clube ocupa a modesta 13ª posição na tabela. Porém, com o equilíbrio na atual Premier League, o Newcastle está apenas dois pontos da 5ª posição, lugar que lhe garantiria uma vaga na próxima Liga Europa.

Além disso, o time já conseguiu abrir sete pontos para o Watford, primeiro time dentro da zona de rebaixamento à Championship. Dentro desse cenário, como explicar a até aqui surpreendente campanha do Newcastle?

LEIA MAIS: Mason Greenwood: como a joia inglesa pode ajudar o Manchester United

Forma de jogar

O estilo de jogo proposto por Steve Bruce é aquele esperado pela mídia e torcida. O técnico não preza pela posse de bola, renunciando aos ataques, preocupando-se primeiro em não sofrer gol para então tentar marcá-lo. Sua forma de enxergar futebol, inclusive, lembra a de vários treinadores do futebol brasileiro.

Com essa maneira de jogar o time teve seus altos e baixos. Houve partidas em que a equipe foi facilmente dominada, o que levou a derrotas categóricas contra Norwich, Liverpool e Leicester, mas também a inesperadas vitórias. Os dois primeiros triunfos dos Magpies nessa edição da Premier League foram logo contra clubes do Big 6: Vitórias magras contra Tottenham e Manchester United.

Ataque pouco eficiente

Em 12 rodadas disputadas, a equipe marcou somente 11 gols. Com o posicionamento da equipe em campo, o atacante acaba ficando isolado, sendo pouco acionado durante os jogos, pouco podendo contribuir com gols.

O único gol marcado por um jogador da linha de frente foi feito por Joelinton. O atacante brasileiro, inclusive, vem tendo dificuldades em sua adaptação ao novo país e à forma de atuar na Inglaterra.

Outro recém-chegado, Allan Saint-Maximin tem causado boa impressão. Ainda que não tenha marcado nenhum gol, o francês, com sua rápida movimentação, tem dado trabalho para os zagueiros rivais, ajudando a criar boas oportunidades no ataque.

O paraguaio Miguel Almirón, até então maior contratação do clube, ainda não conseguiu desencantar com a camisa Geordie. Desde janeiro no clube o jogador não chegou perto de repetir as atuações pelo Atlanta United, que lhe renderam a transferência para a Premier League. A falta de gols e a ansiedade em fazê-los tem atrapalhado a jornada do atleta.

Andy Carroll, substituto imediato de Joelinton, ainda não se firmou em seu retorno ao Newcastle, tendo contribuído pouco nos jogos. Em meio às lesões, o inglês tem ajudado e incentivado o brasileiro durante os treinos da equipe, de forma que o mesmo consiga se sentir mais à vontade e preparado para os jogos.

LEIA MAIS: Ipswich Town, o clube que foi campeão inglês logo em sua estreia na elite

Defesa em alta

Newcastle Lascelles Ian MacNicol Collection Getty Images Sport
Ian MacNicol Collection Getty Images Sport

Se o Newcastle vem conseguindo obter resultados positivos, muito disso se deve à sua defesa.

Grande parte dos gols marcados pela equipe foram graças a seus jogadores de defesa. Ciaran Clark, Jamaal Lascelles e Fabian Schär têm garantido tanto na função de defender, como também de ir às redes.

Graças às jogadas de bola parada com a participação de seus jogadores de defesa, os Magpies têm conseguido conquistar suas vitórias, garantindo o distanciamento das últimas posições.

Necessidade de novas estratégias

Com essa confusa e eficiente receita, o Newcastle tem conseguido ir além do projetado no início da temporada. No entanto, não é possível afirmar até onde o atual esquema continuará eficiente.

A equipe não poderá depender apenas de bolas aéreas e da fase artilheira de seus zagueiros para conquistar os pontos.

Para se afirmar em uma colocação mais confortável na tabela, Steve Bruce terá de buscar alternativas para o esquema tático do time, incrementando o seu repertório para o restante da temporada. Dessa forma, o Newcastle talvez consiga se manter até o fim do campeonato nessa atual “calmaria” na classificação.