Napoli contrata treinador ‘inimigo’ de jogadores brasileiros

5 minutos de leitura

O Napoli anunciou nesta quinta-feira (15) a contratação do treinador francês Rudi Garcia, que foi demitido recentemente do Al Nassr, time de Cristiano Ronaldo na Arábia Saudita.

Garcia passou uma temporada no futebol saudita e saiu após não conseguir tornar o Al Nassr campeão nacional — o time do craque português ficou cinco pontos atrás do campeão Al Ittihad, que já acertou a chegada de Benzema para a próxima temporada.

Ele chega para assumir o cargo deixado por Luciano Spalletti, que acabou com um jejum de 30 anos sem Scudetto em Nápoles e formou um dos times mais agradáveis de se ver jogar na Europa.

O francês venceu a concorrência de Luis Enrique, ex-treinador da seleção espanhola, e Vicento Italiano, comandante da Fiorentina, que eram outros cotados pelo presidente Aurelio De Laurentiis.

Problemas com Juninho e Bruno Guimarães no Lyon

Rudi Garcia volta à Europa após uma passagem polêmica pelo Lyon, que dirigiu entre 2019 e 2021. O treinador francês teve muitos problemas com Juninho Pernambucano, então diretor do clube, e foi acusado de não dar muito espaço aos brasileiros do elenco.

Ele foi demitido em maio de 2021 e, um dia depois, deu uma longa entrevista ao jornal francês “L'Équipe” para expor os problemas internos no clube.

Descobri que quando os brasileiros contratados não estavam jogando, ele (Juninho) não ficava feliz. Ele preferia vencer com seus jogadores. Ele investiu muito e isso é uma qualidade, mas certamente prometeu a eles que seriam escalados — alegou Garcia.

Naquela temporada, o Lyon tinha no elenco Marcelo, Marçal, Bruno Guimarães, Thiago Mendes, Jean Lucas, Camilo e Lucas Paquetá. Segundo ele, o diretor do clube reclamou principalmente sobre as situações de Jean Lucas, que não tinha espaço e foi emprestado, e Guimarães, que em alguns momentos foi opção no banco de reservas.

— O Paquetá foi indispensável e continuou (no time). Mas quando o Bruno jogou um pouco menos, isso criou um problema. Tive que administrar. Ele (Juninho) faz as coisas pelas minhas costas, fala com os jogadores pelas minhas costas, permite que alguns me critiquem, como Jean Lucas. Faltou objetividade e um tratamento justo — pontuou o treinador.

Juninho e Rudi Garcia na época de Lyon - Foto: Icon Sports
Juninho e Rudi Garcia na época de Lyon – Foto: Icon Sports

Poucos dias depois, Juninho usou a TV oficial do clube para rebater o ex-colega e afirmou que “Rudi era forte só com os mais fracos. Temos que ser fortes com os mais fortes”.

— Rudi mostra que é forte, duro, dá respostas erradas. Ele tem prazer em se ver falando. Se ele pudesse se ver falando, ele adoraria. Acho que minha maneira de ser incomodava o Rudi. Ele é realmente frio como ser humano, não tem sentimento. Rudi tem o hábito de cansar as pessoas, de se impor. Eu aceito as coisas, mas em um momento eu explodo. Foi o que aconteceu — justificou Juninho.

O brasileiro também reclamou que o treinador dizia que Jean Lucas “tinha deficiências táticas e que não era inteligente” enquanto o diretor defendia que o volante era “um monstro nos treinos”.

Bruno Guimarães foi outro que comprou a briga de Juninho e chegou a se manifestar nas redes sociais: “Tudo começou a não funcionar quando faltou coerência da sua parte“, escreveu o volante que hoje está no Newcastle.

No Napoli, Garcia comandará apenas um brasileiro: o zagueiro Juan Jesus.

A carreira do novo treinador do Napoli

A escolha foi considerada surpreendente porque Rudi Garcia não vive uma carreira em ascensão. O treinador teve bons momentos no Lille, Roma e Olympique de Marselha, mas só encontrou espaço na Arábia Saudita após uma passagem decepcionante pelo Lyon.

Além disso, tem um estilo de jogo considerado diferente do proposto por Spalletti, que foi responsável pelo sucesso do Napoli em 2022/23.

O principal título de Garcia foi há 12 anos: o título francês com o Lille em 2010/11. Ele também venceu a Copa da França na mesma temporada, numa época em que o futebol francês ainda não era dominado pelo bilionário PSG. Aquele elenco do Lille tinha Hazard, Tulio de Melo e Cabaye como principais estrelas.

Diogo Magri
Diogo Magri

Jornalista formado pela ECA-USP, campineiro e repórter na PL Brasil. Passagens por EL PAÍS, Revista Veja e Futebol Globo CBN.

Contato: [email protected]