‘North London Forever’ é a música que virou hino arrepiante da torcida do Arsenal

6 minutos de leitura

Se no Highbury Stadium, o Arsenal tinha na sua arquibancada a sua aura, no Emirates, o cenário envolvente e intimidador ficou só na memória do antigo estádio. Por muitos anos, torcedores rivais debocharam da torcida gooner no Emirates, pela falta de um clima mais quente e mais participativo.

Recentemente, o Arsenal parece enfim ter deixado para trás o estádio que parece uma biblioteca para criar uma atmosfera mais viva e vibrante. E é uma nova música tem ajudado a fazer parte dessa transformação que conecta time e torcida.

“The Angel: North London Forever”, do jovem cantor Louis Dunford, foi lançada em 2022 e, em pouco tempo, fez grande sucesso. Ela transmite o significado e o que representa o Norte de Londres por alguém que nasceu e cresceu na região.

Dunford é torcedor do Arsenal e revelou ter se emocionado ao ver que a canção passou a ser cantada no Emirates Stadium desde o lançamento. A música também faz referência ao Highbury Stadium, histórica casa do Arsenal que foi demolida em 2006 para virar um conjunto de apartamentos.

A música que virou hino do Arsenal

North London forever
Whatever the weather, these streets are our own
And my heart will leave you, never
My blood will forever, run through the stone

Tradução:

Norte de Londres para sempre
Seja qual for o tempo
Essas ruas são nossas
E meu coração nunca te deixará
Meu sangue para sempre
Vai correr pela pedra

A história de como a música foi adotada pela torcida é contada de forma breve no último episódio da série “All or Nothing”, da Amazon Prime Video.

O técnico Mikel Arteta conta ao elenco sobre a origem da música e do cantor, que se emociona ao ver do camarote do Emirates Stadium os torcedores do Arsenal cantando.

“Estou impressionado com o amor que The Angel está recebendo hoje”, Dunford tuitou em 29 de abril de 2022. “Muito obrigado a todos por compartilhar e twittar para o Arsenal. Não parem agora. Norte de Londres para sempre.”

O Arsenal não foi fundado no Norte de Londres, mas se mudou para lá em 1913. Originalmente, o clube era de Woolwich, ao sul do Rio Tâmisa, que corta a capital inglesa. É a partir de 1913 que se inicia a rivalidade com o agora vizinho Tottenham.

A letra completa em inglês de “The Angel: North London Forever”, agora hino do Arsenal:

As I walk these streets alone, through this borough I call home
Upon the baron fields of Highbury ‘neath the stadiums of stone
Through the turnstiles at The Angel, see the homeless on the green
From The Cally to The Cross, and every shithole in between

Pass the church, the mosque, a crack den, and the offie on the corner
See the brasses from the brothel that pretends to be a sauna
Watch the bedlam in the bookies, see the winners and the losers
Seeking solace from their sorrow in the local battle cruisers

Through the madness in the market, weathered faces turn to greet ya
“‘Ello gov’nor, how’s your mother?”
“You alright, son, be lucky, geezer”
Double pie and mash and liquor, a Cuppa Rosie Lee up chap
Or watch retired gangsters bicker, every day in Arthur’s café
The little fuckers causing trouble, for the cozzers make you smile
You meet ya muckers for a couple, forget your troubles for a while
From The Thornhill to The Hemmy, all the faces are the same
‘Cause the manor might be changing, but the people still remain

North London forever
Whatever the weather, these streets are our own
And my heart will leave you, never
My blood will forever, run through the stone

As I walk these streets alone, through a kingdom made of chrome
I see them ripping up the cobbles, and tearing down our childhood homes
I see the architecture changing, watch the history disappear
And the skyline rearranging into towers of veneer

But I see the remnants of a London that they thought they could erase
Every time I hear the old school talk about the good old days
Or every time I watch the football and have a ruby with the lads
See an hoister selling clobber or a dealer shooting bags

It’s in the single mothers juggling a baby and a job
In every single brother struggling that wound up in the dock
It’s in the roots and the foundations, still clinging to the land
It’s in the bricks that built the Morland and Popham that still stand
It’s in my family and my friends, in every gram and every Benz
It’s in the roots that we inherit when a generation ends
It’s in the ruins of your youth and the faces of your past
‘Cause the manor might be changing, but the people always last

North London forever
Whatever the weather, these streets are our own
And my heart will leave you, never
My blood will forever, run through the stone

Pedro Ramos
Pedro Ramos

Editor da PL Brasil entre 2012 e 2020 e subcoordenador na PL Brasil desde 2023. Passagens pelo jornal Estadão e o canal TNT Sports. Formado em Jornalismo e Sociologia. Ex-pesquisador do GEMAA (Grupo de Estudos Multidisciplinar da Ação Afirmativa).

E-mail: [email protected]