Mundial de Clubes: qual time brasileiro jogou melhor contra os gigantes da Premier League?

7 minutos de leitura

Manchester City e Fluminense realizam a final do Mundial de Clubes nesta sexta-feira (22), a partir das 15h, na Arábia Saudita. Não se trata, porém, de um simples confronto entre dois clubes. Vai além disso e põe, frente à frente, duas cidades, dois países, dois continentes e dois modos diferentes de pensar o jogo.

Desde 2005, o Mundial de Clubes mantém initerruptamente o mesmo formato. Times de Brasil e Inglaterra decidiram o título em quatro oportunidades, com dois títulos para cada lado. A PL Brasil se debruçou sobre todos e analisou cada nuance das atuações dos times brasileiros diante dos gigantes da Premier League.

Palmeiras 1×2 Chelsea – 2021

Foi a vez que o Verdão ficou mais perto de vencer o tão sonhado título do Mundial de Clubes. A disputa aconteceu em janeiro de 2022, mas era referente a 2021. Naquele momento, o time de Abel Ferreira vinha da épica conquista contra o Flamengo e vivia seu auge estratégico. O Palmeiras sabia muito bem o que fazer e por isso dificultou a vida do Chelsea.

Palmeiras e Chelsea no Mundial de Clubes de 2021 (Foto: Icon Sport)

Naturalmente, os ingleses tiveram maior volume de jogo, mas conseguiram criar poucas claras chances de gol. Não foi um massacre, muito pelo contrário. Enquanto os Blues focavam seus ataques pelo lado, com Hudson-Odoi como ala pela esquerda, Abel recuou Rony e Dudu e contou com um forte trabalho de recomposição da dupla para fechar os espaços. No ataque, o Alviverde apostavam em contra-golpes, bolas longas e lances aéreos. Faltou capricho para lapidar melhor as situações ofensivas.

No segundo tempo, o Palmeiras cansou e tomou um gol de Lukaku — mesmo assim, conseguiu empatar com Raphael Veiga cobrando pênalti. O Chelsea seguiu martelando e chegou ao gol da vitória, com Havertz, após penalidade máxima cometida por Luan, já na prorrogação.

ESTATÍSTICAPALMEIRASCHELSEA
Posse de bola29%71%
Finalizações1122
Chutes ao alvo33
Grandes chances11
Escanteios37
Faltas cometidas1922
Impedimentos40
Cartões amarelos31
Cartões vermelhos10

Flamengo 0x1 Liverpool – 2019

De todos os quatro brasileiros, o Flamengo foi quem mais deu trabalho para o gigante da Premier League. Como chegou até a virar gozação entre os rivais, o Rubro-Negro jogou de igual para igual. Não venceu, mas foi guerreiro.

O Fla de Jorge Jesus tinha características ofensivas e não abdicou disso sequer no Mundial de Clubes. A equipe chegou diversas vezes ao ataque, mas teve dificuldade para transformar o volume em chances realmente perigosas. No segundo tempo, a equipe baixou o nível físico e técnico e viu o Liverpool quase abrir o placar várias vezes. Ainda assim, o jogo foi para prorrogação, mas Roberto Firmino balançou as redes e acabou com o sonho do bi.

Além do gol, o atacante brasileiro foi responsável por motivar o Liverpool antes da disputa. Em sua autobiografia, Firmino revelou que o restante do elenco e a comissão técnica passaram a se interessar mais pelo Mundial de Clubes após um “toque” dado por ele, Alisson e Fabinho. O camisa 9 valorizou a dificuldade imposta pelo Flamengo na partida após a conquista do troféu inédito para os Reds.

— Sensação incrível. Ganhar mais um título, e é o Mundial de Clubes também. Fruto do que fizemos na Champions, estávamos aqui para ganhar, queríamos ganhar muito. Não foi fácil jogar contra o Flamengo, equipe madura, vem fazendo boa temporada. Não foi fácil, estou muito feliz pela vitória–, destacou.

ESTATÍSTICAFLAMENGOLIVERPOOL
Posse de bola51%49%
Finalizações814
Chutes ao alvo37
Escanteios57
Faltas cometidas2217
Impedimentos35
Cartões amarelos42
Cartões vermelhos00
Mundial Flamengo Liverpool
Flamengo e Liverpool no Mundial de Clubes de 2019 (Foto: Icon Sport)

Corinthians 1×0 Chelsea – 2012

O Corinthians venceu pela organização. O Chelsea era um poço de bons jogadores — Lampard, Hazard, Torres, Juan Mata e mais, mas não era um time redondo sob o comando de Rafa Benítez. O trabalho longevo do técnico Tite deu resultados e fez o time vencer o Mundial. O Timão tinha uma linha de defesa muito compacta, e que até permitia com que seus jogadores errassem. A cobertura era implacável.

Claro, é preciso falar da atuação magnífica de Cássio. O goleiro foi o craque do jogo e impediu que os lampejos técnicos dos qualificados homens de azul. Há também de se destacar a partida absurda de Paolo Guerrero que, além do gol, foi quem segurou a bola no ataque para o Corinthians, prendeu os zagueiros Gary Cahill e David Luiz, criou algumas oportunidades por conta própria e viveu boa parte do jogo solitário no sistema ofensivo.

Corinthians Chelsea Mundial
Corinthians e Chelsea no Mundial de Clubes de 2012 (Foto: Icon Sport)

Ao “Ge”, em 2020, o zagueiro brasileiro valorizou a atuação madura do gigante paulista e destacou a participação decisiva de Cássio. David Luiz destacou a força de vontade do Chelsea em ganhar o título, que à época seria inédito.

–- Tentamos de todas as formas ganhar o jogo, mas Cássio estava num dia especial, fez defesas maravilhosas. O Corinthians tinha um time vencedor, sabia sofrer na hora que tinha que sofrer e sabia matar o jogo na hora que tinha que matar, como fizeram –, lamentou.

ESTATÍSTICACORINTHIANSCHELSEA
Posse de bola46%54%
Finalizações914
Chutes ao alvo26
Escanteios42
Faltas cometidas1712
Impedimentos14
Cartões amarelos20
Cartões vermelhos01

São Paulo 1×0 Liverpool – 2005

O Tricolor do Morumbi conseguiu equilibrar as ações no começo do jogo. Foi justamente por isso que o time chegou ao gol de Mineiro logo aos 26 minutos da etapa inicial. Ocorre que, a partir daí, só deu Liverpool. Os Reds engoliram o gigante brasileiro e emplacar uma forte pressão, já que estavam atrás no placar.

O São Paulo não abriu mão de sua excelente organização tática, com um trio de zagueiros bem treinado. Mesmo assim, foi Rogério Ceni que impediu de que os ingleses marcassem o gol de empate. À época, o desempenho do “Mito” chamou a atenção até mesmo do próprio Gerrard.

— Ele tem uma reputação como artilheiro e marcador de gols, mas também é um dos melhores goleiros que já vi –, alegou o camisa 8.

ESTATÍSTICASÃO PAULOLIVERPOOL
Posse de bola46%54%
Finalizações421
Chutes ao alvo28
Escanteios017
Faltas cometidas1517
Cartões amarelos20
Cartões vermelhos00

Palmeiras, Flamengo, Corinthians ou São Paulo?

Resultados à parte, algumas reflexões podem ser feitas a partir dos quatro jogos. Todos os brasileiros tiveram atuações dignas contra as equipes da Premier League no Mundial de Clubes. Os resultados, para bem ou para o mal, foram decididos no detalhe.

Quem mais produziu ofensivamente? Flamengo

De todos os ingleses, o Liverpool de 2019 era o adversário mais difícil. A equipe de Jürgen Klopp estava voando e vivia seu auge. Não à toa, seria campeão da Premier League no ano seguinte. Mesmo assim, o Flamengo não abdicou de seu DNA ofensivo e foi para cima.

Os comandados de Jorge Jesus tiveram chances reais tanto de abrir o placar quanto até mesmo empatar na prorrogação. Faltou capricho, mas o Fla deu muito trabalho à defesa britânica.

Quem mais anulou o adversário? Palmeiras

O Verdão foi o time menos agredido. O Chelsea pouco criou e muito disso se deve ao perfil estrategista de Abel Ferreira, que soube anular algumas das maiores valências dos Blues. A equipe inglesa não incomodou tanto Weverton e dependeu muito da qualidade individual de seus homens.

A magia dos campeões São Paulo e Corinthians

Os dois campeões foram justamente os times que mais sofreram. São Paulo e Corinthians foram muito agredidos por Liverpool e Chelsea, respectivamente, mas contaram com goleiros decisivos nas metas. Ter estrelas que brilhem em momentos importantes é fundamental para um time que quer ser campeão, e esse foi um mérito dos rivais paulistas.

As equipes também demonstraram uma frieza invejável. Nas poucas chances que tiveram, balançaram as redes. Mais do que isso, souberam ser atacados sem perder a cabeça ou terminar com o psicológico abalado.

Mas, afinal, qual brasileiro melhor encarou um inglês no Mundial de Clubes?

Flamengo! Mesmo pegando o melhor adversário, o Rubro-Negro carioca fez um jogo parelho, não foi massacrado e criou chances reais de vencer a partida. O título, porém, não veio, porque o futebol é cruel.

Lucas Barbosa
Lucas Barbosa

Redator da PL Brasil. Foi por meio da Premier League, na tela do antigo Esporte Interativo, em 2007, que o Jornalismo entrou na minha vida. Duas paixões que abriram portas e me fazem realizar sonhos todos os dias. Passei pelos portais Mais Minas e Esporte News Mundo.