‘Deboche’ com morte de torcedor símbolo termina em vaquinha de R$ 60 mil e prisões na Inglaterra

4 minutos de leitura

Dois torcedores do Sheffield Wednesday debocharam da morte do torcedor símbolo do Sunderland, Bradley Lowery, durante o jogo entre as equipes na última sexta-feira (29), pela Championship, segunda divisão da Inglaterra. A partida acabou em 3 a 0 para os Black Cats.

Bradley era um torcedor do Sunderland que morreu em 2017, aos seis anos de idade, por conta de um neuroblastoma, um raro tipo de câncer. Na época, houve grande comoção do futebol inglês porque a criança se tornou um mascote do clube e frequentemente entrava em campo no colo de Jermaine Defoe, maior referência daquela equipe.

A Polícia de South Yorkshire iniciou as investigações ainda na sexta-feira e, no dia seguinte, identificou os dois principais suspeitos. São dois homens de 27 e 31 anos, que foram detidos e serão processados por ultraje à decência pública. Os dois estão sob custódia da polícia.

Gesto de solidariedade na Inglaterra

Mas a punição jurídica não foi o suficiente nem para a própria torcida do Wednesday. Revoltados com o comportamento dos homens, um grupo de torcedoras do clube (Sheffield Wednesday Women’s Supporters’ Group) fez uma vaquinha para doar à Bradley Lowery Foundation, uma instituição de caridade montada em memória ao garoto que ajuda crianças com câncer no Reino Unido.

Até a noite deste domingo (1), a vaquinha já tinha arrecadado mais de 10 mil libras (mais de R$ 60 mil).

Sinceramente, estamos muito felizes. Somos muito gratos ao SWFC e a todos os fãs por mostrarem seu apoio. Sabemos que as opiniões de duas pessoas não são as da maioria e seremos eternamente gratos por este gesto, que será dado à nossa estrutura em Scarborough — disse a nota publicada pela fundação no X (antigo Twitter).

Diogo Magri
Diogo Magri

Jornalista nascido em Campinas, morador de São Paulo e formado pela ECA-USP. Subcoordenador da PL Brasil desde 2023. Cobri Copa América, Copa do Mundo e Olimpíadas no EL PAÍS, eleições nacionais na Revista Veja e fui editor de conteúdo nas redes sociais do Futebol Globo CBN.

Contato: [email protected]