Mercado do Chelsea: hora de gastar ou continuar investindo nos jovens?

Os Blues devem voltar a investir pesado nas contratações ou seguir apostando na garotada?

0
406
Chelsea Mount Abraham Willian Mike Hewitt Collection Getty Images Sport
Mike Hewitt Collection Getty Images Sport

Uma decisão divulgada que pode mudar os rumos da temporada do Chelsea. O Tribunal Arbitral do Esporte (TAS) reduziu a suspensão imposta ao clube e, já a partir de janeiro, a equipe londrina pode voltar a contratar jogadores. Essa possibilidade muda, inevitavelmente, o planejamento para o mercado do Chelsea no futuro próximo.

O clube entrou para a temporada 2019/2020 abraçando a reconstrução. Um ídolo no início da carreira como treinador (Frank Lampard), a venda de Eden Hazard – principal jogador da equipe nos últimos anos e um impedimento para contratar. Esse último fator fez com que Lampard buscasse respostas na base.

Os “Baby Blues” não decepcionaram e o Chelsea faz, dentro do possível, uma ótima jornada. O surgimento de nomes como Tammy Abraham, Mason Mount e Fikayo Tomori só foi possível por causa da suspensão

E os atletas responderam em alto nível. Mesmo com a pouca idade, mostraram que merecem estar no elenco principal. O rendimento mostrarou algum fundamento na crítica que o clube tem mais valores para revelar.

Frank Lampard Chelsea Adrian Dennis Collection AFP
Adrian Dennis Collection AFP

Muita calma nessa hora

Talvez só o mais otimista torcedor achou que o clube estaria onde está agora: brigando pelo Top 4 da Premier League e classificado para o mata-mata da Champions League. Esse atual panorama seria o suficiente para que o Chelsea não reforçasse seu elenco?

É preciso ter calma para analisar o elenco do clube. O começo da temporada foi inconstante, com atuações abaixo do esperado e, após uma boa sequência, a equipe volta a oscilar. Essa inconstância mostra que existem lacunas que podem ser preenchidas, visando um melhor rendimento na segunda metade da temporada.

Na zaga, Rüdiger está fora por lesão e, no setor ofensivo, não há uma referência criativa – como era Hazard. O ataque ainda pode se beneficiar para que Abraham não seja a única solução para marcar os gols. Podendo contratar, veteranos como Giroud e Pedro podem sair para dar espaço a outros nomes que contribuirão mais com a equipe nos próximos anos.

A busca pelo equilíbrio e sensatez para contratar deve nortear o Chelsea nessa janela de transferência. Será preciso que Lampard e sua comissão identifiquem os pontos fracos da equipe para trazer nomes que possam contribuir imediatamente e ajudar os Blues. Não será necessária uma mudança radical, mas é até ingênuo achar que a equipe não precisa de reforços.

Leia mais: 7 numerações alternativas de times da Premier League 
Chelsea Mount Abraham Willian Mike Hewitt Collection Getty Images Sport
Mike Hewitt Collection Getty Images Sport

O propósito inicial ainda precisa ser relembrado. É uma temporada de transição. Dificilmente o Chelsea lutará pelo título da Premier League ou Champions League e lembrar disso na hora de contratar é essencial. Trazer reforços pontuais e continuar dando minutos aos jovens e auxiliando o desenvolvimento parece ser o mais correto a ser feito no momento.

Ainda há o fato que, nomes como Jadon Sancho e Timo Werner, que são ventilados como desejos da diretoria ainda disputam as principais competições com suas equipes. É uma dificuldade a mais para trazer reforços deste calibre, na janela de janeiro, que costuma ser menos badalada que o período do verão inglês.

Sabemos que nem sempre o futebol funciona respeitando uma lógica racional. Apenas em janeiro será possível descobrir o que a equipe tem em seus planos. Caberá ao treinador tomar a decisão que vai definir o rumo do Chelsea nos próximos meses.

PL BRASIL NO YOUTUBE: LEICESTER PODE TERMINAR NO G4?

Não há posts para exibir