Atuação de Éderson encanta caravana do Newcastle, mas Atalanta resiste e pede mais de R$ 300 milhões

5 minutos de leitura

Representantes do Newcastle estiveram no Gewiss Stadium, em Bérgamo, na última segunda-feira (15) para observar de perto o brasileiro Éderson em ação pela Atalanta diante do Frosinone – conforme havia antecipado a PL Brasil.

E os ingleses dificilmente poderiam ter tido uma impressão melhor. O meio-campista ex-Cruzeiro, Corinthians e Fortaleza marcou um gol e foi um dos melhores em campo na vitória da Atalanta por 5 a 0 dentro de casa.

Conforme apurou a PL Brasil, a caravana do Newcastle adorou o que viu e reforçou o interesse em contar com o brasileiro ao staff do atleta – que também viajou a Bérgamo a encontro do ingleses.

A Atalanta, porém, “não abre mão de pelo menos 60 milhões de euros” (R$ 321 milhões, na cotação atual), ouviu a reportagem após este último encontro entre as partes, na segunda-feira. Uma atualização, uma vez que a primeira apuração dava conta de um preço 50 e 60 milhões de euros. A pedida subiu e está na mesa do Newcastle.

Os valores são inflacionados pela gigantesca resistência de técnico Gian Piero Gasperini em perder o atleta no meio da temporada.

Éderson é o único jogador da Atalanta que atuou em todos os 27 jogos da equipe na temporada. Destes, em apenas sete não jogou a totalidade da partida.

Os números e as atuações mostram como o brasileiro é peça imprescindível no time que está na semifinal da Copa da Itália e briga por uma vaga das quatro vagas da Serie A italiana na Champions League. Atualmente, a Atalanta ocupa a quinta colocação, com 33 pontos – apenas um atrás da Fiorentina, quarta colocada.

As súplicas de Gasperini para que o clube não negocie Éderson chegam diretamente a Antoni e Luca Percassi, presidente e CEO da Atalanta, respectivamente. Por isso, o time da Lombardia resiste fortemente às investidas do Newcastle e só estão dispostos a negociar na casa dos €60 milhões – o que torna o negócio improvável neste momento.

A negociação, nesta altura, só não é impossível pois uma transferência para um clube em ascensão na Premier League como o Newcastle, naturalmente, é encarado como um salto para Éderson na carreira e desperta interesse no lado do brasileiro. A ida para Inglaterra seria atraente, por exemplo, pensando em seleção brasileira. Por isso, as conversas prosseguem, mesmo com baixas chances desfecho positivo para os ingleses.

Fair play barra o Newcastle

Mas por que “míseros” 60 milhões impedem o Newcastle, considerado o clube mais rico do mundo? O problema dos Magpies não é dinheiro, e sim o “fair play” financeiro da Premier League. Por isso, nem a fortuna de 1,4 trilhões  de dólares de Mohammed bin Salman, príncipe herdeiro de toda riqueza do fundo da Arábia Saudita (a qual o Newcastle pertence) pode resolver.

O Newcastle recentemente divulgou seus resultados financeiros da temporada 2022/23 e anunciou um prejuízo final de £ 73,4 milhões (R$ 456 milhões) – o que liga o alerta para o clube do noroeste da Inglaterra.

A regra básica do regulamento da Premier League aponta que cada equipe pode ter um prejuízo de no máximo 105 milhões de libras (cerca de R$651 milhões) na somatória das finanças no período de três temporadas.

Por isso, o Newcastle cogita, inclusive, se desfazer de alguma peça do elenco, o que levou a rumores envolvendo Bruno Guimarães. Assim, devido ao fair play financeiro, nem uma saída do ex-Athletico-PR é garantia da chegada de Éderson – ainda que as chances aumentem.

João Vítor Castanheira
João Vítor Castanheira

Coordenador da PL Brasil. Cobriu futebol internacional, carioca e esportes olímpicos pelo Lance! e foi editor de conteúdo do Esporte do Grupo Globo - lá fez parte dos programas Globo Esporte, Jornal da Globo e Esporte Espetacular. Jornalista pela UFRJ, ex-goleiro da Associação Atlética de Comunicação e Artes com orgulho. Contra todo tipo de conservadorismo - inclusive o esportivo. De Uberaba-MG, radicado no Rio Janeiro-RJ, em São Paulo-SP.