Melhores da Uefa: Haaland bate Messi em premiação marcada por discursos históricos de apoio a Jenni Hermoso

3 minutos de leitura

Após o sorteio da Champions League 2023/24 (Liga dos Campeões da Europa), nesta quinta-feira (31), também foram anunciados os vencedores dos Melhores do Ano da Uefa, que premia os melhores jogadores e técnicos do futebol masculino e feminino por campeonatos e seleções da Europa.

Sem grandes surpresas, Erling Haaland foi escolhido como melhor jogador da temporada 2022/23. O norueguês fez uma temporada espetacular em sua primeira aparição no futebol inglês. Além de participar da Tríplice Coroa do Manchester City, vencedor da Champions League, Premier League e FA Cup, o camisa 9 bateu recorde atrás de recorde.  Ele se tornou o jogador com mais gols em uma edição do Campeonato Inglês, com 36 gols e oito assistências em 35 partidas.

Apesar de não ter sido surpreendente, havia a expectativa de que Lionel Messi pudesse levar a premiação individual. O jogador apareceu entre os indicados por liderar a seleção da Argentina ao seu terceiro título na Copa do Mundo, quase 40 anos após a taça levantada por Diego Maradona. Atualmente no Inter Miami, da MLS, ele também levantou as taças do Campeonato Francês e da Supercopa da França pelo PSG.

Haaland também desbancou Kevin De Bruyne, seu companheiro de City. Apesar de não ter feito uma temporada brilhante como em outras ocasiões, o belga marcou 10 vezes e deu 31 passes para gol em 49 jogos em 2022/23.

Jogadora da temporada 2022/23

A meio-campista do Barcelona Aitana Bonmatí foi escolhida como a melhor jogadora da temporada europeia. Eleita também como melhor atleta da Copa do Mundo feminina de 2023, a espanhola também foi essencial para levar o Barça à segunda Champions League de sua história e a mais um Campeonato Espanhol. Na competição europeia, ela marcou cinco gols e deu oito assistências.

Em seu discurso, Aitana se posicionou mais uma vez em defesa de sua companheira de seleção Jenni Hermoso, que sofreu assédio do presidente da federação espanhola, Luis Rubiales, durante a premiação do torneio. A camisa 6 da Espanha citou Jenni e falou em “abuso de poder na relação de trabalho”.

— Não podemos permitir abuso de poder na relação de trabalho, bem como desrespeito. Da minha colega Jenni a todas as mulheres que sofrem o mesmo, estamos com vocês. Espero que continuemos a trabalhar para tornar esta sociedade melhor.

Aitana disputava o prêmio com a australiana Sam Kerr, que atuou no tricampeonato do time feminino do Chelsea na Women's Super League e na FA Women's Cup. A atacante dos Blues ajudou a Austrália a chegar na inédita semifinal de Copa do Mundo.

Sua outra concorrente era Olga Carmona, que se tornou heroína na Espanha com apenas 23 anos. A atacante do Real Madrid fez o gol que garantiu a primeira Copa do Mundo feminina do país. Além disso, ela ajudou o Real Madrid a chegar na sua primeira final da Copa da Rainha.

Técnico de futebol masculino da temporada 2022/23

Pep Guardiola foi eleito o melhor técnico de futebol masculino da Uefa. O treinador do Manchester City guiou os Citizens à primeira Champions League da sua história.

Os outros indicados eram Simone Inzaghi, que ganhou a Copa da Itália e foi vice da Champions com a Inter de Milão, e Luciano Spalleti, campeão italiano com o Napoli após 33 anos do último título da equipe.

Técnico de futebol feminino da temporada 2022/23

Sarina Wiegman foi eleita a melhor técnica de futebol feminino da Uefa. É a terceira vez que a treinadora conquista o título, tendo ganhado também em 2018/19 e 2021/22. Sob o comando da holandesa, a Inglaterra foi vice-campeã da Copa do Mundo feminina de 2023. A treinadora desbancou Jorge Vilda, campeão mundial com a seleção espanhola feminina, e Jonatan Giráldez, campeão da Champions League com o Barcelona.

Em seu discurso, Sarina dedicou o prêmio à equipe espanhola, fazendo também referência ao protesto das jogadoras contra o assédio sofrido por Hermoso.

Maria Tereza Santos
Maria Tereza Santos

Me formei em Jornalismo pela PUC-SP em 2020. Antes de escrever para a PL Brasil, fui editora na ESPN e repórter na Veja Saúde, Folha de S.Paulo e Superesportes.