As melhores contratações do Manchester United no século XXI

Confira a lista de reforços dos Red Devils que a PL Brasil separou

O Manchester United no século XXI sempre teve elencos recheados de craques. Muitos deles formados em casa e outros contratados de rivais nacionais ou de outros países. Sir Alex Ferguson era um ótimo observador de mercado e, baseado no rendimento de muitos jogadores, podemos considerar que o escocês conseguiu várias barganhas. Por isso, a PL Brasil listou as 10 melhores contratações do Manchester United no século XXI.

Nem todos os nomes foram obra de SAF, mas os listados aqui renderam (ou rendem), de alguma forma, alegrias aos torcedores. Vamos a lista!

Acompanhe a PL Brasil no YouTube!

  • ESQUADRÕES IMORTAIS | MANCHESTER UNITED 1999

As melhores contratações do Manchester United no século

Rio Ferdinand

Em meados de 2002, o Manchester United pagou aproximadamente 39 milhões de Libras ao Leeds United para ter Rio Ferdinand como seu novo zagueiro. Na época, o zagueiro mais caro do mundo. O inglês tinha se destacado pelo time de Yorkshire por sua estatura, habilidade e confiança com a bola.

A alcunha de “o zagueiro mais caro do mundo” durou até 2014, quando o PSG pagou 42 milhões de Libras por David Luiz, que estava no Chelsea. Neste ínterim, Ferdinand se tornou ídolo, capitão e referência do clube vermelho de Manchester.

Foram nada mais nada menos que seis títulos da Premier League conquistados pelos Red Devils, além de quatro Community Shields, três Copas da Liga Inglesa, e, no mesmo ano (2008), a Uefa Champions League, a Supercopa da Uefa e também o Mundial de Clubes da Fifa.

Seu impacto no clube foi tamanho que depois de sua aposentadoria em 2015, o United teve severas dificuldades para encontrar um substituto de tamanha liderança e qualidade na defesa. Hoje, Rio é comentarista na TV inglesa e pugilista.

Ruud van Nistelrooy

O artilheiro holandês veio do PSV Eindhoven por 24,5 milhões de Libras em julho de 2001, depois de levar o time alvirubro ao título da Eredivisie. Logo na primeira temporada, van Nistelrooy marcou 10 gols na Uefa Champions League. Ninguém marcou mais que ele naquela edição.

E na temporada seguinte repetiu o feito na competição europeia, mas dessa vez com 12 gols. Foi no seu segundo ano no Manchester United que o holandês, além de ser campeão da Premier League, venceu a artilharia também com incríveis 25 gols.

Antes de deixar o clube para o Real Madrid, marcou mais outras oito vezes na Champions de 2004/2005 e, mais uma vez, terminou como o maior goleador da competição. Ao todo, pelos Diabos Vermelhos, van Nistelrooy jogou 219 vezes e marcou 150 gols, além de 20 assistências.

Faltou mesmo apenas o título da orelhuda porque os quatro troféus domésticos da Inglaterra ele levantou: Premier League em 2002/2003, FA Cup e Community Shield em 2004 e a Copa da Liga Inglesa em 2005/2006.

Cristiano Ronaldo

CR7 pode ser considerado a melhor contratação do Manchester United no século. O maior atleta português da história explodiu na Inglaterra com Ferguson, que viu seu potencial num jogo amistoso contra o Sporting em 2003.

Observado desde os 17 anos, Ronaldo foi o grande destaque da vitória dos lisboetas sobre os ingleses por 3 a 1. Por conta disso, o United pagou “apenas” 16 milhões de Libras seis dias mais tarde.

O resto é história. Assim, além de desenvolver o melhor de seu futebol ainda como um winger, Ronaldo foi artilheiro da Premier League em 2007/2008 e eleito melhor jogador do mundo depois de vencer – e marcar o gol na final – a Uefa Champions League em cima do Chelsea.

Ao todo, segundo o Transfermarkt, o português disputou 292 jogos pelo time inglês e marcou 118 gols, além de ter distribuído 69 assistências em seis temporadas. Junto de outros nomes dessa lista, Cristiano venceu a Premier League por três temporadas seguidas bem como o prêmio de melhor jogador da competição em 2007 e 2008.

Leia mais: 5 jogos marcantes de Cristiano Ronaldo no Manchester United

Wayne Rooney

Aos 16 anos, um garoto nascido em Liverpool estreava pelo Everton e chamava a atenção do mundo. Rooney se tornou o jogador mais jovem da história dos Toffees a marcar um gol na Premier League.

Dois anos depois de sua estreia profissional, em 2004, o Manchester United pagou 25,6 milhões de Libras para tê-lo no elenco. A partir de então, Wazza se tornou o principal atacante do time e parceiro ideal de Cristiano Ronaldo em Old Trafford.

Depois da saída do português para o Real Madrid em 2009, Rooney assumiu a responsabilidade. Na temporada 2009/2010, mesmo sem o título nacional, ele não foi só o artilheiro do time com 26 gols, como também o melhor jogador da competição.

Pelo time vermelho, Rooney levantou 16 troféus e se tornou no único jogador inglês, ao lado de Michael Carrick, a vencer a todas as competições possíveis: Premier League, Uefa Champions League, Uefa Europa League, Mundial de Clubes da Fifa, FA Cup e a Copa da Liga Inglesa.

Como se não bastasse, o camisa 10 marcou 253 gols por todas as competições, sendo o maior artilheiro da história do Manchester United e o segundo maior artilheiro da Premier League (183 gols). Ele também é o atual terceiro jogador que mais deu assistências na história do campeonato nacional moderno (103). Será que os 25 milhões de libras valeram a pena?

Nemanja Vidic

A carreira de um dos melhores zagueiros da história da Premier League foi consolidada em Old Trafford. Vidic disputou três centenas de jogos com a camisa vermelha e cansou de empilhar títulos.

Em 8 temporadas do sérvio em Manchester, foram cinco títulos da Community Shield, cinco da Premier League, três da FA Cup, um da Champions League e outro da Copa da Liga Inglesa, sem contar o Mundial de Clubes da Fifa.

O nível de atuação e dedicação de Nemanja Vidic era sempre extremo. Não a toa, se tornou o capitão após a saída de seu melhor parceiro de zaga no Manchester United, Rio Ferdinand.

Vidic liderou o time em campanhas vitoriosas e também em números. Por exemplo, de 2007 até 2014 (com exceção às temporadas 2010/2011 e 2011/2012), foi o jogador do elenco que mais venceu duelos aéreos. Entre 2007 e 2009, alcançou a quarta posição entre todos da liga.

Em suma: 300 jogos, incríveis 21 gols e 15 títulos. Os 9 milhões de Libras pagos ao Spartak Moscou em janeiro de 2006 hoje devem ser consideradas uma das maiores barganhas do século.

Simon Bellis/Sportimage

Michael Carrick

Carrick criou uma identificação tão forte com o Manchester United que hoje é auxiliar técnico de Ole Gunnar Solskjaer. Por mais que tenha desenvolvido essa forte conexão com o clube, ele não veio das categorias de base. Sir Alex Feguson teve que desembolsar 23,4 milhões de Libras para tirá-lo do Tottenham em julho de 2006.

Em 12 anos de Manchester United, o volante inglês disputou 464 jogos, marcando 23 vezes e dando o passe final outras 38. Nesse ínterim, formou uma das melhores duplas de volantes da Inglaterra com Paul Scholes.

Sua importância para o time pode ser vista em números. Em 2008/2009, por exemplo, Carrick distribuiu 38 bolas enfiadas. Quantidade menor que Dimitar Berbatov e Rooney, apenas.  Ele também se destacava nos passes.

Sua precisão era tamanha, que liderou o time em passes certos por três temporadas seguidas (de 2011 a 2014), visto que em uma delas foi o maior passador da Premier League (2012/2013).

Entretanto, dada a sua qualidade, Carrick pode ser considerado subestimado porque sempre fora discreto. Até porque, assim como Rooney, é o outro jogador inglês a vencer a todas as competições possíveis.

Leia mais: Michael Carrick: o talento desperdiçado pela seleção inglesa ou superestimado?

Nani

A expectativa era que Nani fosse o novo Cristiano Ronaldo, mas sabemos que isso era bem difícil de acontecer. Por mais que não tenha alcançado um nível de jogador World Class, o ponta que nasceu em Cabo Verde alcançou seu auge na carreira no Manchester United.

Ele chegou em julho de 2007 do mesmo Sporting de Cristiano por 22 milhões de libras e ficou na Inglaterra por sete anos até voltar para Portugal. Com os Red Devils, venceu quatro vezes a Premier League e a Community Shield, duas vezes a Copa da Liga e já estava no elenco campeão europeu e mundial em 2008.

A princípio, Nani teve dificuldades em garantir a titularidade, afinal, disputava posição com ninguém mais ninguém menos que Ryan Giggs. Mas então duas coisas aconteceram: primeiro, Ferguson encontrou uma nova função para Giggs, mais centralizado.

A segunda foi a saída de Cristiano Ronaldo. Com isso, a titularidade se ofereceu para ele. Por anos seguidos, Nani foi um dos jogadores do elenco que mais finalizou na Premier League. Por exemplo, em 2010/2011, bateu para o gol 135 vezes – o primeiro do United.

Na mesma temporada, a melhor de sua carreira definitivamente, além de ser quem mais cruzou no time (294 cruzamentos), deu 14 passes para gol – mais que qualquer outro jogador na Premier League. Sua passagem pelo Old Trafford consistiu em 230 jogos, 41 gols e 73 assistências no total.

Robin Van Persie

Van Persie é mais um holandês de sucesso no Manchester United. Ele deixou o rival Arsenal com o desejo de vencer títulos grandes. E alcançou esse objetivo. Ainda comandado por Ferguson, o ex-camisa 20 dos Diabos Vermelhos foi campeão e artilheiro da Premier League na temporada 2012/2013.

Foram 26 gols na campanha do título, hat trick no jogo que valeu o troféu contra o Aston Villa e ainda por cima levou o título de melhor jogador da temporada. Uma pena que nas temporadas seguintes, assim como o time, caiu de rendimento.

Por exemplo, para marcar os 26 gols que o levaram à artilharia, Van Persie finalizou 141 vezes. Gareth Bale (165) e Luís Suárez (187) são os únicos que ficaram à frente. Mas na temporada seguinte, o número de chutes caiu para 62 (12 gols). E menos ainda em 2014/2015.

Seus números totais jogando pelos Red Devils, entretanto, surpreendem. Foram 105 jogos, 58 gols e 21 assistências. As 26,4 milhões de Libras pagas em 2012 foram um dos maiores investimentos do manager escocês nos seus últimos de carreira.

David De Gea

Sir Alex Ferguson disse em seu livro “Liderança” que só perdera dois jogos do Manchester United em toda sua vida como treinador: uma vez para presenciar o casamento de seu filho, Mark; e a outra para ver David De Gea jogar no Atlético de Madrid.

Sob as traves de Old Trafford, Dave se tornou, logo após um início tortuoso, um dos melhores goleiros do mundo, senão o melhor. Exemplo disso é a quantidade de prêmios individuais que o espanhol venceu.

Por votação popular, De Gea levou o prêmio Sir Matt Busby (melhor jogador da temporada do United) por quatro temporadas seguidas, de 2014 a 2017. Sem falar sobre a presença do espanhol na seleção da Premier Lague em 2012/13, 2014/2015, 2015/2016 e 2017/2018.

Na última, inclusive, ganhou a luva de ouro como o goleiro com o maior número de clean sheets do campeonato inglês. Além disso, a Uefa o elegeu como o melhor goleiro da Europa League em 2015/2016.

Leia mais: De Gea vs Henderson: quem deve ser o titular no gol do Manchester United?

Bruno Fernandes

Em termos de impacto, Bruno Fernandes talvez seja a melhor contratação não só do Manchester United, mas do mundo do futebol inteiro neste século. É possível comparar a sua chegada a Old Trafford com a de seu compatriota Cristiano Ronaldo ao Real Madrid.

Depois de muita novela, que era pra ter acabado em julho de 2019, Ed Woodward finalmente conseguiu negociar com o Sporting o preço de 47,3 milhões de Libras em janeiro de 2020.

Então, desde que chegou e vestiu a camisa de número 18, ele revolucionou não só o futebol, como o emocional do time inteiro. Quando está em campo, Bruno está sempre motivando seus companheiros com sua vontade de vencer.

Além dessa característica de um verdadeiro capitão, ele é o jogador que mais participou de gols no campeonato desde que chegou. Um absurdo.

Laurence Griffiths/Imago Images