Qual o melhor técnico fora do Big-6 nesta temporada?

Muitos técnicos fizeram bonito na atual temporada

A briga na parte de cima da tabela está bastante acirrada, mas encontra-se limitada a apenas seis times. Manchester City e Liverpool brigam ponto a ponto pelo título, enquanto Tottenham, Chelsea, Arsenal e Manchester United lutam por outras duas vagas na Uefa Champions League.

Apesar disso, é de se valorizar o trabalho de várias equipes que mesmo com um poderio financeiro menor, proporcionaram nessa edição da Premier League, certas dificuldades a esses times que estão brigando nas posições mais nobres da tabela.

Nós da PL Brasil, escolhemos 5 treinadores que estão fora do big-6 e analisamos os seus trabalhos em seus respectivos clubes até aqui. E para você, quem seria o principal treinador fora do big-6?

Leia mais: Confira os 5 maiores argentinos na história da Premier League

Nuno Espírito Santo

Nascido em São Tomé e Príncipe, uma colônia portuguesa localizada na África, Nuno Espírito Santo chegou ao Wolves na temporada de 2017-18, com o objetivo de encerrar um período de 6 anos do Wolverhampton Wanderers longe da Premier League.

Para isso, o técnico contou com um projeto ambicioso e um orçamento muito acima da média dos clubes que disputam a Championship.

Reforços como os talentosos Ruben Neves, Diogo Jota, Willy Boly e até do próprio brasileiro Léo Bonatini, elevaram o patamar do clube que não tomou conhecimento dos adversários na 2ª divisão inglesa.

O clube acabou sendo campeão da Championship após somar 99 pontos, uma das melhores campanhas da história da competição e com 9 pontos de vantagem sobre o vice-campeão, Cardiff.

Na atual temporada, veio o mérito pela manutenção de uma base que já era considerada forte na Championship e que foi somada a contratação de reforços pontuais com o nível que a Premier League exige, como é o caso dos portugueses Rui Patrício e João Moutinho, além do mexicano Raul Jímenez, artilheiro do clube na temporada atual.

Na atual temporada, o Wolves está na 7ª colocação com 51 pontos e briga por uma vaga na fase preliminar da Liga Europa. Para isso, terá que torcer por uma vitória do Manchester City sobre o Watford na final da FA Cup e assegurar a posição atual na tabela.

Javi Gracia

Espanhol, de 48 anos, Javi Gracia chegou ao Watford no meio da temporada de 2017/18, após uma polêmica demissão do então técnico português Marco Silva, que hoje está no Everton.

Gracia chegou ao clube com uma tremenda desconfiança por se tratar de um técnico que não havia feito trabalhos notáveis ao longo de sua carreira. Em seu último emprego por exemplo, o espanhol terminou em 9º lugar do Campeonato Russo com o Rubin Kazan.

Em sua chegada aos Hornets, ele acabou colecionando maus resultados e terminou o campeonato passado na 14ª colocação com apenas uma vitória nos últimos nove jogos da Premier League.

Ainda assim, Gracia acabou sendo mantido no cargo e adicionou boas peças ao elenco do clube, tais como o seu compatriota Deulofeu, um dos grandes destaques da equipe na temporada atual e o goleiro Ben Foster, que veio sem custos do rebaixado West Bromwich.

Além dos reforços, alguns jogadores do clube tiveram uma tremenda evolução sob as mãos do técnico espanhol, como os meias Abdoulaye Doucouré e Roberto Pereyra, que estão sendo alvos de clubes gigantes da Europa já pensando na próxima temporada.

Na temporada atual, o Watford está em 8º lugar com 50 pontos e tem a possibilidade de chegar a Liga Europa por duas vias: caso vença a final da Copa da Inglaterra contra o Manchester City ou termine em 7º lugar na Premier League.

ASSISTA: Brasil ou Inglaterra: qual a melhor seleção?

Rafael Benítez

Rafael Benítez foi eleito o melhor técnico da Premier League no mês de Novembro. (Foto: Divulgação/Premier League)

Com a carreira já bastante consolidada no mundo do futebol, o espanhol Rafael Benítez de 59 anos, teve um desafio diferente ao aceitar o convite para treinar o Newcastle.

Acostumado com clubes de enorme poderio financeiro como Real Madrid, Inter e Liverpool, Benítez teria que conviver com o fato de que não poderia gastar muito para montar um elenco competitivo no Newcastle.

O espanhol chegou no clube no final da temporada de 2015/16, mas não conseguiu evitar a queda para a Championship. Com dinheiro em mãos decorrente de grandes vendas, ele foi influente na contratação de nomes importantes no clube até hoje, como os meias Matt Ritchie e Mohamed Diamé.

O retorno a Premier League foi imediato, mas as desavenças com o dono do clube Mike Ashley, são enormes. Com pouco dinheiro em caixa e sem grandes contratações, o Newcastle alcançou um honroso 10º lugar na temporada passada.

Na atual temporada, o clube até quebrou o seu recorde de transferências com a chegada do paraguaio Miguel Almirón, e acabou resolvendo o seu problema no ataque com a contratação de Salomón Rondon, que somada à boa evolução do espanhol Ayoze Perez, parecem ter resolvido os problemas ofensivos do clube.

Na atual temporada, o Newcastle já está livre de qualquer ameaça de rebaixamento e só cumpre tabela nas rodadas finais, o que é um bom feito pensando na falta de investimentos que já é decorrente no clube.

Eddie Howe

Eddie Howe já garantiu o Bournemouth na próxima edição da Premier League. (Foto: BBC

Técnico com o trabalho mais longevo da Premier League, Eddie Howe está em sua 10ª temporada como treinador pelos Cherries e ainda teve passagens no período em que foi jogador profissional, mas acabou tendo a sua carreira interrompida pelas lesões.

O inglês de apenas 41 anos comandou o time em situações bastante adversas da atual e foi um dos grandes responsáveis por levar o Bournemouth da League Two para a Premier League em um marcante período de apenas seis temporadas.

Desde que chegou a divisão principal, o Bournemouth nunca caiu ou correu enormes riscos de ser rebaixado e também não é um clube que faz investimentos significativos em seu elenco.

Os grandes destaques de seu elenco são a dupla Ryan Fraser e Callum Wilson, que foram contratados pelo clube quando ele ainda estava nas divisões inferiores da Inglaterra.

Nos últimos anos, o grande investimento do clube acabou sendo o ex-zagueiro do Chelsea Nathan Aké, que foi comprado pelo clube pela significativa quantia de 20 milhões de libras.

Na edição atual da Premier League, o Bournemouth está na 14ª colocação com 41 pontos somados e apenas irá cumprir tabela nas rodadas finais, já que não corre mais o risco dos comandados de Howe serem rebaixados para a Championship.

Ralph Hasenhüttl

Desde que chegou ao clube, Hasenhüttl tirou o clube da zona de rebaixamento e reinventou alguns atletas do elenco. (Foto: Getty

O nome final da nossa lista é do único treinador que chegou durante a atual temporada da Premier League. Trata-se de Ralph Hasenhüttl, atual técnico do Southampton substituindo o então comandante Mark Hughes, demitido na 14ª rodada após um empate que deixou o clube na 18ª posição da Premier League.

Diferentemente dos outros técnico, Ralph não teve uma pré-temporada para comandar os seus atletas e não contou com grande orçamento na janela de inverno, já que os clubes tem o costume de fazer grandes contratações apenas no verão.

Ainda assim, o austríaco de 51 anos conseguiu reinventar atletas que estavam em baixa no clube, como a prata da casa James Ward-Prowse e outros nomes que tiveram grande investimento financeiro e que não haviam correspondido com a camisa do clube ainda, como Pierre-Emile Højberg, Nathan Redmond e Shane Long.

Na falta de alguns atletas, o treinador ainda conseguiu dar oportunidades para alguns jogadores da base que ajudaram o clube em alguns períodos, como o lateral Yann Valery e o meia Joshua Sims.

Na temporada atual, o Southampton está na 16ª colocação com 37 pontos e ainda não se livrou completamente do risco de rebaixamento, mas a situação estaria bem pior sem o austríaco no comando dos Saints.