‘Chegou a hora de sair’: em meio à polêmica no PSG, Mbappé é menosprezado por ex-diretor Leonardo

4 minutos de leitura

A novela PSG e Mbappé segue dando o que falar. Recentes declarações do atleta têm gerado polêmica e causado “climão” no vestiário. Em entrevista à “France Football”, o atacante chegou a dizer que “jogar no PSG não ajuda muito (a ganhar a Bola de Ouro) porque é um time que causa divisão”.

A declaração, segundo a rádio francesa “RMC Sport” foi como uma bomba para alguns companheiros. Seis deles, incluindo dois reforços, teriam reclamado sobre a entrevista ao presidente Nasser Al-Khelaifi. A própria direção parisiense não gostou das falas de Mbappé.

As opiniões polêmicas, associadas às notícias sobre recusas de renovação, fizeram o brasileiro Leonardo, ex-diretor do PSG, se posicionar. Em entrevista ao “L'Équipe”, o ex-jogador disse achar que “chegou a hora de Mbappé sair do PSG”; ele argumentou que seria “para o bem” do clube.

O Paris Saint-Germain existia antes de Kylian Mbappé e vai existir depois dele. Ele está em Paris há seis anos e, ao longo dessas seis temporadas, cinco clubes diferentes conquistaram a Liga dos Campeões. Isso significa que é bem possível vencer essa competição sem ele — afirmou.

Comportamento de Mbappé

Mbappé PSG
Mbappé comemora vitória do PSG. Foto: Icon Sport

A postura de Mbappé foi criticado por Leonardo. Para o ex-diretor, o atacante é “um grande jogador, não um líder”.

— Com seu comportamento nos últimos dois anos, Mbappé mostra que ainda não é um jogador capaz de realmente guiar uma equipe. É um grande jogador, não um líder. É um grande goleador, não um criativo. É difícil montar um time em torno dele — criticou.

Mbappé vai sair do PSG?

O contrato de Mbappé com o PSG, assinado no ano passado, vai até o meio de 2024 e prevê uma cláusula de extensão até 2025 — cabe ao jogador decidir até este mês se ativa ou não.

Em junho, o “L'Équipe” divulgou que o atacante enviou uma carta à direção para avisar que não queria exercer a opção de renovação do vínculo.

Dias depois, à “AFP”, o atleta confirmou que era essa a decisão. Ele argumentou, porém, que a diretoria estava avisada sobre isso desde 2022.

Caso não negocie o francês, o PSG corre o risco de ver o atacante ir de graça para outro clube.

Daniel Servidio
Daniel Servidio