A estratégia de Matheus França para ter mais minutos no Crystal Palace

4 minutos de leitura

Matheus França chegou ao Crystal Palace em agosto do ano passado, depois do clube londrino pagar 20 milhões de euros fixos e outros 5 milhões de euros por possíveis bonificações ao Flamengo.

Desde então, se acostumou a ficar no banco de reservas. Na Premier League, ele fez apenas um jogo como titular em 10 partidas e deu uma assistência. Ele também foi titular em um empate sem gols com o Everton pela Copa da Inglaterra em janeiro.

Em fevereiro, Matheus França conheceu Oliver Glasner, treinador que sucedeu Roy Hodgson no Crystal Palace. A troca de treinadores, no entanto, não fez muita diferença, já que ele ganhou apenas duas oportunidades com o comandante.

Numa delas, ele deu uma assistência para gol de Jordan Ayew na vitória por 3 a 0 sobre o Burnley no Selhurst Park, pela Premier League.

Entretanto, vale lembrar que Matheus França se lesionou no começo de março e perdeu todo o restante da temporada.

Matheus França antecipa preparação para a temporada

Matheus França Crystal Palace
Matheus França em ação pelo Crystal Palace (Foto: Icon Sport)

Para melhorar a parte física e conseguir mais minutos em campo, a PL Brasil apurou que Matheus França vai viajar neste sábado (22) para Londres e já iniciar sua preparação para a próxima temporada. A reapresentação oficial do Crystal Palace está marcada apenas para o dia 1º de julho.

Portanto, Matheus França se antecipou uma semana para chegar na reapresentação 100% fisicamente. Nas férias no Brasil, ele já vinha mantendo uma rotina de cuidados, que inclui trabalhos na praia, indoor (treino em casa), fisioterapia e alimentação.

O último jogo de Matheus França foi na derrota para o Tottenham no segundo dia de março, no Tottenham Hotspur Stadium. Ele jogou a partida com muita dor no músculo adutor e passou o resto da temporada fazendo tratamento no departamento médico. Hoje, ele está completamente recuperado.

No final de março, Matheus França comentou em entrevista exclusiva para a PL Brasil sobre as diferenças entre Roy Hodgson e Oliver Glasner e se mostrou animado com o novo treinador.

— Eles têm propostas de jogo diferentes. A intensidade aqui será sempre a mais alta possível, então a intensidade dos dois na parte defensiva é muito idêntica. Mas o nosso time vem melhorando muito, jogando mais com a bola, um jogo mais posicional. Essa transição foi muito positiva, estou muito confiante no nosso novo treinador. Gosto de tudo que ele vem passando para nós, jogar mais com a bola e propor mais o jogo.

Romulo Giacomin
Romulo Giacomin

Formado em Jornalismo na UFOP, passou por Mais Minas, Esporte News Mundo e Estado de Minas. Atualmente, escreve para a Premier League Brasil.