Home Arsenal O que esperar de Martin Odegaard no Arsenal?

O que esperar de Martin Odegaard no Arsenal?

Após não ser utilizado por Zidane, o jovem norueguês assina por empréstimo com os Gunners

0
400
O que esperar de Martin Odegaard no Arsenal?
Divulgação/Arsenal

Jovem, forte, rápido, promissor e norueguês. Certamente se você não tivesse lido o título deste artigo poderia achar que seria sobre Erling Braut Haaland. No entanto, é sobre Martin Odegaard, que espantou o mundo ao estrear com apenas 16 anos no gigante Real Madrid.

Após uma série de empréstimos, e, consequentemente ter brilhado no último ano com a camisa da Real Sociedad, Odegaard tinha em mente que seria uma real opção para Zinedine Zidane. Porém, o francês acabou dando poucos minutos para o jovem de 22 anos.

Sendo assim, Martin Odegaard pediu para deixar o clube momentaneamente em novo empréstimo, e acabou assinando um contrato de até o final da temporada com o Arsenal. Hoje, a PL Brasil vai apresentar um pouco sobre o atleta e como ele pode se encaixar no time de Mikel Arteta.

O que esperar de Martin Odegaard no Arsenal?

O surgimento

Antes de tudo, é sempre bom relembrar como Martin Odegaard surgiu para o futebol. O jovem norueguês chegou ao Real Madrid em 2015, quando tinha apenas 16 anos.

Ele surgiu muito bem um time de seu país natal, o Stromsgodset, equipe pela qual atuou profissionalmente no ano de 2014 e marcou cinco gols em 25 partidas, além de ter contribuído com uma assistência.

Na época em que desembarcou na capital espanhola, o Real Madrid pagou uma quantia de cerca de 2,8 milhões de euros. No entanto, Odegaard teve seus primeiros minutos apenas na equipe Castilla – time b do Real Madrid.

Leia mais: Gabriel Magalhães foi a contratação certeira do Arsenal

Pela equipe de base, que disputa normalmente a terceira divisão nacional, no primeiro ano foram 11 jogos e um gol marcado. Na mesma temporada, chegou a disputar alguns minutos da partida contra o Getafe pela primeira divisão. Ainda assim, era considerado muito jovem pelo então treinador Carlo Ancelotti.

Nas temporadas de 2015/2016 e 2016/2017, Martin Odegaard figurou somente na equipe Castilla, com 51 jogos e quatro gols. Sendo assim, um empréstimo faria bem ao atleta que deixaria de jogar na terceira divisão e buscaria novos ares para se desenvolver.

Os empréstimos e o brilho na Real Sociedad

Na metade da temporada 2016/2017, Odegaard rumou por empréstimo ao Heerenveen, da Holanda. Por lá, ficou até o final da temporada 2017/2018.

Na primeira temporada, ele atuou mais pela faixa central do meio de campo, ligando a defesa com o ataque. Foram 14 jogos, sendo oito como titular e duas assistências. Na época seguinte, passou a atuar mais deslocado ao lado direito de ataque. Foi titular em 24 jogos, marcou dois gols e contribuiu com uma assistência.

Os números podem ser baixos, todavia, precisamos lembrar que ao final da temporada 2018 ele recém estava com 20 anos. Um jovem que teve um fardo em suas costas por ter assinado tão cedo com o Real Madrid.

Já na temporada 2018/2019, Martin Odegaard começou a dar ares de que poderia sim ser um craque para o futuro. Emprestado ao Vitesse, também da Holanda, disputou 31 partidas do campeonato nacional, sendo 29 como titular. Na jornada que colocou a equipe em quinto lugar na Eredivisie, antou oito gols e distribuiu 10 assistências. Foi um dos destaques do campeonato.

Leia mais: Quando o Arsenal foi campeão por ter uma média de 0,099 superior ao vice

Ainda assim, para atuar pelo time principal do Real Madrid seria necessário um teste de fogo: atuar em uma das principais ligas do mundo. Nesse sentido, em 2019/2020, o jovem norueguês chegou por empréstimo a Real Sociedad.

Em uma campanha surpreendente, a equipe do País Basco terminou na sexta posição, o que lhe deu uma vaga para a Liga Europa. Além disso, está na final da Copa do Rei da temporada passada, que será disputada em abril de 2021.

Juan Manuel Serrano Arce/Getty Images

Com a camisa de La Real, formou um ótimo setor de meio-campo ao lado de Igor Zubeldia, Mikel Merino e Mikel Oyarzabal. Atuando novamente pelo lado direito de ataque, foram 31 partidas em La Liga, quatro gols e seis assistências.

Além disso, teve uma eficiência de cerca de 85% nos passes dados por jogo, com uma média de 40 acertos. Nas bolas longas, o índice chega a 64%, um ótimo número tendo em vista a forte marcação vista no Campeonato Espanhol.

A habilidade com a bola também é um dos diferenciais de Martin Odegaard. Foram cerca de dois dribles bem-sucedidos por partida na última temporada.

A chegada de Martin Odegaard ao Arsenal

Após o empréstimo a Real Sociedad, Martin Odegaard tinha a perspectiva de ser titular do Real Madrid ou, no mínimo, entrar na rotação de Zinedine Zidane. No entanto, o espanhol acabou preterindo o norueguês.

Até aqui, foram apenas sete jogos em La Liga na atual temporada, nenhum gol e nenhuma assistência. Na Liga dos Campeões chegou a atuar em dois jogos, no entanto, não balançou as redes.

Sendo assim, o jogador pediu para ser emprestado. Ajax, Real Sociedad e Arsenal entraram em contato com a equipe da capital espanhola para solicitar o empréstimo do jovem jogador.

Todavia, ele optou pelos Gunners, em um contrato de seis meses, no qual a equipe londrina pagará 2,5 milhões de euros aos Merengues, além de arcar com o salário integral do atleta.

Como Odegaard ser encaixado no elenco de Mikel Arteta

Um dos grandes problemas do Arsenal desde que Mikel Arteta chegou é a falta de um meio-campista articulador. Por mais que Martin Odegaard tenha tido destaque atuando mais deslocado ao lado direito, ele pode ainda exercer a função de meia armador.

Mezut Ozil deixou os Gunners para atuar pelo Fenerbahçe da Turquia. Sendo assim, mesmo que o alemão não viesse sendo opção, o Arsenal ficou sem nenhum jogador no setor.

Leia mais: Os dez melhores jogos de Mezut Ozil com a camisa do Arsenal

Nesse sentido, Odegaard tem tudo para encaixar de primeira no elenco de Mikel Arteta. Jovem, rápido e habilidoso, o estilo de jogador que o treinador espanhol gosta de colocar em seu 11 inicial.

Divulgação/Arsenal

Todavia, a adaptação a Premier League pode ser um empecilho. A liga é considerada a mais difícil do mundo, e ele terá que entrar em sintonia com os companheiros rapidamente para auxiliar os Gunners a conseguirem uma vaga nas competições continentais e, até mesmo, brigar por um título da Liga Europa.

Habilidade e qualidade não faltam para o jovem de 22 anos. Ele precisará da confiança do treinador para encaixar no Arsenal. Um jogador que surgiu repleto de expectativas por ter assinado tão cedo com o Real Madrid, agora busca o brilho na Premier League.

Acompanhe a PL Brasil no YouTube!

  • SELEÇÃO DO ARSENAL NO SÉCULO XXI