A infância dura de Marcus Rashford influenciou sua luta contra a fome infantil

Rashford tenta mudar a realidade de milhões de crianças britânicas que sofrem com a fome infantil

0
898
rashford contra a fome infantil
Michael Regan/Getty Images

A luta de Marcus Rashford contra a fome infantil mostra a importância da representatividade dentro do futebol e nos dá um exemplo concreto que ele pode mudar vidas.

A frase “não é só futebol” talvez seja a mais clichê dentro desse esporte. A consciência social de atletas, episódios de vidas que foram mudadas devido ao futebol e até mesmo a paixão que um torcedor carrega dentro do peito. Estes são apenas alguns exemplos que transformam esse esporte muito além das quatro linhas.

No entanto, como todo clichê é real, a história de vida de Marcus Rashford e suas ações que mudam vidas de muitas crianças personificam e exemplificam essa frase.

Nos últimos meses, o atacante do Manchester United liderou uma campanha em combate à fome de crianças. Através dela, foi contra o projeto do governo em cortar as merendas que eram distribuídas a famílias carentes no Reino Unido.

Portanto, por dentro dessa ação de consciência social, a infância dura de Rashford e as dificuldades que o atleta passou até chegar no sucesso da carreira influenciaram nessa luta contra a fome infantil.

Uma infância dura cheia de desafios

Marcus Rashford nasceu em Wythenshawe, no sul de Manchester. Ele e seus quatro irmãos foram criados pela mãe solteira, que trabalhava em tempo integral, em dois empregos, para sustentar os cinco filhos. Porém, nem sempre o dinheiro era suficiente para a alimentação básica da casa.

Quando não conseguia ter comida o bastante, Rashford contava com seus amigos, que sempre o ajudavam. Então, ele ia até suas casas para poder se alimentar e não passar as noites de barriga vazia.

O atleta começou a jogar pelo Manchester United aos 11 anos. Em um programa que tinha crianças a partir de 12 anos, Rashford, por meio da ajuda de sua mãe, conseguiu entrar um pouco antes. Depois disso, no United, ele conseguiu ter alimentação balanceada e acomodação mais perto das instalações de treinamento. Assim, isso contribuiu para que ele crescesse de forma ideal e conseguisse se tornar um grande jogador de futebol.

Os momentos difíceis pelos quais passaram Melaine e seus cinco filhos, no passado, fazem com que Marcus lute pelo presente de tantas crianças do Reino Unido. Por meio de ações contra o corte de merendas durante as férias escolares, a luta contra a fome infantil feita pelo atacante tenta possibilitar às crianças britânicas uma infância com mais igualdade.

Leia mais: United 4×3 City: Gol de Owen no último minuto e reencontro com Tévez

Consciência social e um espelho do passado

Em junho deste ano, Marcus Rashford escreveu uma emocionante carta ao parlamento britânico. Através dela, o jogador contou sua história de infância e como ele, seus irmãos e sua mãe passaram por momentos de dificuldade, chegando a até passar fome. Acima de tudo, Rashford pediu que o governo reconsiderasse a decisão de não manter cartões de alimentações a crianças carentes durante as férias escolares.

“Encorajo vocês a ouvir apelos e encontrar sua humanidade. Reconsiderem a decisão de cancelar o plano de vale-refeição durante o período de férias de verão e garantir sua extensão. Esta é a Inglaterra em 2020 e é uma questão que precisa de assistência urgente. Por favor, enquanto os olhos da nação estiverem em vocês, mudem a marcha e façam da proteção da vida de alguns de nossos mais vulneráveis uma prioridade”.

Por meio da carta, também disse que nove em cada 30 crianças em uma determinada sala de aula viviam na pobreza, na Inglaterra.

Depois do apoio de muitas outras pessoas à campanha de Rashford, o governo cedeu e aderiu a proposta do jogador. Como resultado, cerca de 1,3 milhão de crianças britânicas foram ajudadas e cada uma recebeu 15 libras por semana durante esse período. Assim, o total de investimentos, ao longo das férias escolares, foi em torno de 120 milhões de libras.

A luta contra a fome infantil continua

Hoje, Rashford tenta prolongar o auxílio. O benefício está previsto para se encerrar no Natal, mas agora o atacante vem pressionando o parlamento inglês para que seja estendido até a Páscoa do ano que vem.

Devido à pressão feita pelo jogador, nas últimas semanas uma votação foi realizada para decidir se, de fato, a proposta seria aceita. Mas, 322 pessoas votaram contra estender o auxílio – em oposição a 261 votos a favor.

Então, Rashford agora posta em suas redes sociais divulgações sobre a FareShare – a rede nacional de redistribuidores de alimentos de caridade do Reino Unido. O jogador é embaixador da rede desde março desse ano. Ainda, ajudou a arrecadar dinheiro para permitir que o FareShare fornecesse comida suficiente para mais de 4,2 milhões de refeições para crianças e famílias.

Além disso, Rashford conta com o apoio de empresas que o ajudam nessa luta contra a fome infantil. O atleta divulgou em suas redes sociais dezenas de estabelecimentos que irão conceder refeições grátis às pessoas que mais precisam. Da mesma forma, os prefeitos de Liverpool e Manchester também aderiram à campanha.

Doutorado honorário e condecoração britânica

rashford contra a fome infantil
Michael Regan/Getty Images

Em julho, após conseguir com que Boris Johnson mudasse a decisão sobre o corte das merendas, Rashford recebeu um doutorado honorário da Universidade de Manchester. Ou seja, essa distinção é a maior honra que a instituição concebe e o atacante será a pessoa mais jovem a recebê-la. Além dele, Sir Alex Ferguson e Bobby Charlton, outros personagens marcantes da história do Manchester United, também receberam esse doutorado honorário.

Ademais, no começo de outubro foi a vez da família real homenagear o jogador. A Rainha Elizabeth II condecorou Rashford com a medalha da Ordem do Império Britânico. Posteriormente, Marcus agradeceu a homenagem recebida nas redes sociais e salientou que “a luta para proteger nossas crianças mais vulneráveis está longe de acabar”.

Exemplo dentro e (especialmente) fora de campo

Como Marcus Rashford deixou claro na carta enviada ao parlamento inglês, a campanha contra a fome infantil não é sobre política, e sim sobre humanidade. Certamente, ao recordar a dificuldade enfrentada durante a infância, o jogador tenta mudar a realidade de milhões de crianças. Realidade que, infelizmente, ele e seus quatro irmãos passaram.

Dentro de campo, a fase também não é ruim. No mês de outubro, esteve presente em cinco partidas do United, marcando cinco gols e dando uma assistência. Inclusive, no jogo contra o RB Leipzig, pela Champions League, Rashford fez um hat trick e foi um dos responsáveis diretos pela vitória do time. Sem dúvidas, é uma ótima fase.

No entanto, o gol mais bonito que Marcus Rashford marcou em sua carreira foi muito além das quatro linhas.

Leia mais: Os 6 maiores britânicos da Premier League