Manchester United: estreia na pré-temporada indica ‘novo Mount’ com Ten Hag

5 minutos de leitura

O Manchester United fez seu primeiro jogo na nova temporada nesta quarta-feira (12), e venceu o Leeds por 2 a 0 no Ullevaal Stadium, em Oslo, na Noruega. O time titular escalado por Erik ten Hag teve um misto de jovens revelações dos Red Devils, figurões da equipe principal e a aguardada estreia de Mason Mount.

O novo reforço dos Red Devils teve uma recepção calorosa torcida: foi muito aplaudido em diversos momentos do jogo e, a cada escanteio batido, ao chegar perto das arquibancadas, recebia novas ovações.

Havia uma incógnita sobre onde jogaria: na esquerda ou no meio como um camisa 10? Nenhuma delas. Mason Mount esteve mais para “volante” contra o Leeds.

O treinador mudou todo o elenco no intervalo, o que fez o ex-Chelsea ir para o banco “cedo”. Foi no segundo tempo, com 100% do time de garotos, que a equipe fez o resultado: 2 a 0 com grande participação de Noam Emeran: o ponta-esquerdo fez um gol e assistiu a outro.

Manchester United: 1º jogo da temporada dá indícios de como e onde Mason Mount vai jogar

No Chelsea, o jogador esteve majoritariamente na esquerda por praticamente toda a sua passagem. Foi com Thomas Tuchel que teve mais liberdade: jogou como um dos dois meias atrás do atacante em ambos os lados no 3-4-2-1.

O mapa de calor de Mason Mount pelo Chelsea na última temporada (Imagem: reprodução/Sofascore)

No mapa de calor da última temporada pelo Chelsea é ilustrada mais uma vez a preferência pelo lado esquerdo. Em sua estreia no United, foi escalado na posição geralmente ocupada por Christian Eriksen.

Com o jovem Mainoo na posição de Casemiro e Hannibal como um meia-atacante que ocupava todo o campo, Mount foi o principal armador da equipe. Pausava o jogo e controlava as ações, bem como dava passes que quebravam as linhas.

O mapa de calor de Mount na estreia pelo United (Imagem: reprodução/Sofascore)

Seu mapa de calor contra o Leeds ilustra sua maior influência no lado esquerdo, atrás do meio-campo, mas também mostra versatilidade. Tirando os zagueiros Varane e Martínez, Mount foi o jogador com mais passes certos (24) no primeiro tempo.

Quase de gol de cobertura

Mount teve seis duelos ao longo dos seus 45 minutos de jogo e venceu quatro deles, além de quatro divididas defensivas. Ele foi de grande importância no trabalho de pressão alta do United, impediu progressão pelo meio do ataque do Leeds e, inclusive, roubou uma bola no passe do goleiro adversário e quase marcou um gol de cobertura.

No entanto, seu papel de reter a bola e organizar o time foi crucial: o United foi amplamente superior no primeiro tempo. Foram oito chutes (dois do Leeds) e cinco impedimentos, a grande maioria deles bem ajustados – ou seja, um padrão de jogadores atacando as costas da última linha. E Mount deu um passe que quebrou as linhas e gerou a chance mais perigosa da primeira etapa.

Ele também não ficou pregado: teve liberdade para percorrer a região entrelinhas, principalmente por conta da função de falso 9 de Jadon Sancho. Em certo momento. no final da primeira etapa, Mount se posicionou imediatamente à frente da linha de defesa e, depois de receber um passe de Martínez, rapidamente acionou Hannibal, que entrava em ruptura na área.

O ex-Chelsea não perdeu suas valências de meia e deve percorrer diversas funções em seu tempo no Manchester United. Pode ser um jogador mais pensante em regiões mais baixas do campo, pode ir mais à esquerda, pela ponta, a depender do lateral-esquerdo titular, ou pairar entre os espaços como um camisa 10.

Guilherme Ramos
Guilherme Ramos

Jornalista pela UNESP. Escrevi um livro sobre tática no futebol e sou repórter da PL Brasil. Já passei por Total Football Analysis, Esporte News Mundo, Jumper Brasil e TechTudo.

Contato: [email protected]