De Shankly a Klopp: os 6 maiores treinadores da história do Liverpool

7 minutos de leitura

Parece bizarro, mas é verdade: o Liverpool teve somente 21 treinadores em 131 anos de história. O capítulo mais recente dessa jornada envolve Jürgen Klopp, alemão que anunciou sua saída do clube ao fim da temporada 2023/24 após nove anos em Anfield.

A PL Brasil aproveitou a data para elencar os maiores treinadores da história dos Reds. A lista não é longa, mas é pesada. Confira:

Os maiores treinadores do Liverpool

Tom Watson (1896-1915)

O nome menos conhecido da lista também é o mais antigo. Tom Watson já era tricampeão inglês com o Sunderland quando assumiu o Liverpool, nos últimos anos do século 19. Por lá ficou 19 anos — até hoje, a estadia mais longa da história do clube.

Lá ele venceu o primeiro Campeonato Inglês da vida dos Reds, caiu para a segunda divisão, venceu também a segunda divisão e na temporada seguinte voltou a ser campeão inglês. Foi o responsável pelo início da trajetória vitoriosa do que viria a ser um dos maiores clubes do mundo.

Bill Shankly (1959-1974)

Não é exagero dizer que esse é o nome mais pesado da lista. Se Watson foi responsável pelos primeiros títulos do Liverpool, Shankly é o autor de uma “refundação” que tornou o clube o que ele é hoje.

Shankly assumiu os Reds em 1959, quando o clube estava há sete anos na segunda divisão e sofria com precárias instalações de estádio e centro de treinamento. Custou mais três temporadas para tirar o Liverpool do buraco, mas Shankly conseguiu. E ainda o fez implementando uma ideologia que está presente no clube até hoje, além de apostar em contratações de jogadores identificados e no sucesso através da coletividade.

Bill Shankly, lendário treinador do Liverpool (Foto: Icon sport)
Bill Shankly, lendário treinador do Liverpool (Foto: Icon sport)

Foram 783 jogos no comando, que trouxeram três títulos ingleses, dois da FA Cup e a primeira Copa da Uefa, em 1972/73.

Não à toa, meses após sua morte, o Liverpool inaugurou os Shankly Gates, portão mais famoso do estádio de Anfield que tem o escrito “You'll Never Walk Alone” em sua parte superior. Posteriormente, o portão se tornou até fixo no escudo do clube.

Bob Paisley (1974-1983)

Paisley fazia parte da comissão técnica de Shankly e, logo após a saída do superior, assumiu o time principal de Liverpool. E foi capaz de não só continuar o bem-sucedido trabalho, como também torná-lo ainda mais vitorioso.

Sob o comando de Paisley, os Reds venceram pela primeira vez a Copa Europeia, que hoje é chamada de Champions League, em 1977 — e repetiu o feito por outras duas vezes nos anos seguintes. Uma temporada depois da sua saída, Joe Fagan, que estava na comissão técnica, treinou o time no tetracampeonato europeu, consolidando o Liverpool como inglês que mais teve sucesso na Europa.

Foi também com Paisley que o LFC se tornou o maior vencedor do Campeonato Inglês na era pré-Premier League. O treinador foi campeão nacional por absurdas seis vezes em nove temporadas. De sobra, ainda faturou três Copas da Liga e uma Copa da Uefa.

Kenny Dalglish (1985-1991 e 2011-2012)

Quem disse que a invenção “jogador-treinador” nunca deu certo? Kenny Dalglish, o maior ídolo do Liverpool, está aí para provar o contrário. O escocês já era um atacante consolidado na história do clube quando decidiu também assumir o cargo de técnico, na temporada 1985/86.

E deu muito certo. O Campeonato Inglês acabou com o Liverpool campeão graças a uma vitória por 1 a 0 em cima do Chelsea, com gol de Dalglish. Os Reds terminaram dois pontos à frente do rival Everton, e ainda derrotaram os Toffees na decisão da FA Cup.

Kenny Dalglish com a taça da Copa da Liga Inglesa que conquistou no Liverpool (Foto: Icon sport)
Kenny Dalglish com a taça da Copa da Liga Inglesa que conquistou no Liverpool (Foto: Icon sport)

Dalglish estendeu a dupla jornada até 1990 — embora tenha se escalado somente três vezes nas últimas três temporadas — e ainda emendou um ano só como treinador. Nesse meio tempo, ganhou outras duas vezes a liga inglesa e mais uma Copa da Inglaterra.

Depois de passagens por Blackburn, Newcastle e Celtic (campeão nacional no primeiro e no último), voltou para salvar o Liverpool num momento de crise, em 2011/12, após a decepção com Roy Hodgson. E ainda teve tempo de vencer a Copa da Liga Inglesa, acabando com o jejum de cinco anos sem títulos.

Rafa Benítez (2004-2010)

O primeiro e único espanhol a treinar o Liverpool se credenciou ao cargo depois de conquistar duas vezes o Campeonato Espanhol e uma vez a Copa da Uefa, pelo Valencia. Logo em sua primeira temporada no Liverpool, se sagrou campeão da Champions League — era ele o técnico na épica final contra o Milan, quando os Reds transformaram um 3 a 0 em 3 a 3 e levaram o troféu nos pênaltis.

A passagem de Benítez poderia ter sido mais vitoriosa. Foram quatro anos seguidos terminando no top 4 da Premier League, incluindo um vice-campeonato com 86 pontos em 2008/09. Também perdeu a final do Mundial de 2005 para o São Paulo e a final da Champions de 2006/07, de novo contra o Milan.

Mesmo assim, o espanhol até hoje é lembrado com muito carinho pelo torcedor dos Reds, já que foi responsável por montar um time que, com Steven Gerrard e Fernando Torres no auge, gera até hoje boas lembranças.

Jürgen Klopp (2015-2024)

É claro que o último da lista não podia ser diferente. O alemão Jürgen Klopp assumiu o Liverpool em outubro de 2015, logo depois de Brendan Rodgers fazer o clube brigar novamente pelo título da Premier League, mas não conseguir manter a regularidade após a saída de Luis Suárez e a aposentadoria de Gerrard.

Coube a Klopp, então, a missão de reorganizar o clube. A identificação com o time e a comunidade foi imediata. Já na primeira temporada, o alemão se mostrou a pessoa certa para o trabalho e levou o Liverpool à final da Europa League, perdida contra o Sevilla.

Klopp após partida do Liverpool – Icon Sport

Levou quatro anos para ele vencer seu primeiro título — a Champions League de 2018/19 –, mas a passagem de Klopp por Anfield diz respeito a muito mais que conquistas. Ele recolocou o Liverpool no patamar mais alto da Europa, desenvolveu um estilo de jogo agressivo e se provou uma das melhores escolhas da história do clube.

Foi o responsável por transformar Roberto Firmino num dos atacantes mais completos do mundo. Ainda indicou reforços como Mané, Salah, Van Dijk e Alisson, que se transformaram em pilares de um time que ganhou o Mundial de Clubes pela primeira vez e acabou com 30 anos de jejum na Premier League. Também venceram FA Cup, Copa da Liga e as Supercopas da Europa e Inglaterra.

A comoção assim que Klopp anunciou a sua saída, em janeiro de 2024, dá o tom do quanto o alemão era querido em Liverpool.

Diogo Magri
Diogo Magri

Jornalista formado pela ECA-USP, campineiro e repórter na PL Brasil. Passagens por EL PAÍS, Revista Veja e Futebol Globo CBN.

Contato: [email protected]