As maiores quebras de jejum do Campeonato Inglês

Você sabe quais times tiveram as maiores quebras de jejum de títulos da primeira divisão inglesa?

0
490
As maiores quebras de jejum do Campeonato Inglês
Paul Ellis/AFP via Getty Images

O dia 25 de junho de 2020 ficará marcado eternamente na história do Liverpool. Com a vitória do Chelsea sobre o Manchester City por 2 a 1, os Reds conquistaram a Premier League 2019/2020 com sete rodadas de antecedência, quebrando um jejum de 30 anos sem títulos do Campeonato Inglês.

O jejum foi o maior da história do clube, mas esteve longe de ficar entre os maiores da história da primeira divisão inglesa. Foi apenas o oitavo maior jejum quebrado na Inglaterra. Ao longo de uma liga tão antiga, algumas outras secas acabaram se estendendo ainda mais.

Leia mais: Dos pesadelos à glória: Liverpool, enfim, campeão da Premier League

Os cinco maiores jejuns quebrados de títulos na liga inglesa (até a temporada 2019/2020).

5º – Manchester United: 41 anos (1911-1952)

É difícil imaginar que o maior campeão da Inglaterra e principal vencedor disparadamente da Premier League já ficou tanto tempo sem ser campeão. Mas aconteceu: entre 1911 e 1952, o Manchester United acumulou 41 anos de jejum do Campeonato Inglês.

Em 1910/1911, o United conquistou seu segundo título da primeira divisão. Com o passar do tempo, enquanto rivais como Liverpool, Arsenal e Everton foram acumulando conquistas, os Red Devils ficaram comendo poeira. A história só mudou em 1951/1952.

Após 41 anos, o time quebrou o jejum sob o comando do lendário Matt Busby. E a conquista foi especial por ter sido sobre um rival. Isso porque na última rodada, Manchester United e Arsenal chegaram separados por dois pontos para o confronto direto em Old Trafford.

Os Red Devils não tomaram conhecimento: um impiedoso 6 a 1 (três gols de Jack Rowley, dois de Stan Pearson e Roger Byrne) deu o título aos vermelhos. Com 57 pontos, o Man United ficou quatro à frente de Tottenham e Arsenal.

4º – Manchester City: 44 anos (1968-2012)

Mas não foi só o lado vermelho de Manchester que teve o sabor de quebrar um grande jejum no Campeonato Inglês. Em 1967/1968, o Manchester City conquistou o seu segundo título da primeira divisão, sob o comando de Joe Mercer e Malcolm Allison. A conquista foi até certo ponto inesperada, pois na temporada anterior o time havia ficado no meio da tabela.

Um dos jogos daquele campeonato ficou marcado até hoje: o Ballet on Ice. Na ocasião, o Man City bateu o Tottenham por 4 a 1 no antigo Maine Road. A partida, que foi televisionada, ficou marcada pela neve que cobriu o gramado. Na última rodada, a vitória por 4 a 3 sobre o Newcastle garantiu o título sobre o Manchester United.

Ali os Citizens entraram em um jejum marcado por muitas derrotas e quedas de divisão, e que foi quebrado 44 anos depois, justamente contra o rival United. Na temporada 2011/2012, já após a chegada dos investidores de Abu Dhabi e com uma campanha irretocável, os azuis conquistaram a Premier League pela primeira vez.

O jogo da taça é inesquecível: vitória épica sobre o Queens Park Rangers de virada, em casa, na última rodada. A derrota por 2 a 1 persistia até os 44 minutos do segundo tempo, mas com gols de Edin Dzeko e Sergio Agüero nos acréscimos, o City tirou a taça das mãos do United em um momento épico.

Leia mais: Manchester City 3×2 QPR: a epopeia com o gol histórico de Agüero

3º – Chelsea: 50 anos (1955-2005)

Era 1955, e o Chelsea completava 50 anos de vida. O presente não poderia ter sido melhor: a conquista inédita da primeira divisão. Foi outro título inesperado, visto que os Blues eram presença constante no meio de tabela e assim foi durante parte daquele ano.

Mas do meio para o fim da temporada o time arrancou, perdeu só dois dos últimos 15 jogos e superou o Wolverhampton, conquistando a taça em 1954/1955. Mal sabiam os torcedores que o clube demoraria mais meio século para vencer a divisão principal.

Assim como com o Manchester City, o Chelsea passou por tempos de vacas magras e quedas de divisão. No fim dos anos 1990, o time foi voltando aos trilhos, e disparou de vez com a chegada do magnata russo Roman Abramovich em 2003.

Na temporada 2004/2005, a grande força era o Arsenal, recém-campeão invicto. Mas com um grande elenco e a chegada de José Mourinho, o Chelsea conquistou o recorde de 95 pontos à época, sofrendo apenas 15 gols em 38 jogos – recorde até hoje da PL. Foi a conquista que quebrou o jejum de 50 anos sem título do Campeonato Inglês.

Acompanhe a PL Brasil no YouTube! 

  • ESQUADRÕES IMORTAIS | CHELSEA 2004/05

2º – Aston Villa: 71 anos (1910-1981)

Criada em 1888, a Football League teve como um de seus membros fundadores o Aston Villa. E o clube aproveitou para se tornar um dos principais das primeiras décadas, vencendo seis taças entre 1894 e 1910.

A última dessa sequência veio na temporada 1909/1910. Em uma disputa ponto a ponto com o Liverpool, os Clarets chegaram a emendar 15 jogos sem derrota e abriram vantagem no fim. Com a dupla Harry Hampton e Joe Bache (segundo e quarto maiores artilheiros da história da equipe), o Villa tornava-se ali o maior campeão nacional.

Aquele foi o começo de uma seca gigantesca na história do Aston Villa. O time viveu altos e baixos, e ressurgiu de vez nos anos 1980. E em 1980/1981, diante de forças como o futuro campeão europeu Liverpool, o Ipswich Town e o Arsenal, os Clarets venceram 26 de seus 42 jogos e quebraram o jejum de 71 anos na primeira divisão.

Aston Villa 1981
Allsport/Getty Images

Os torcedores mal sabiam que aquilo iniciaria a jornada da maior conquista do Aston Villa até hoje. Com o título inglês, o clube se classificou para a Copa dos Campeões (hoje Champions League) em 1981/1982. E em uma campanha épica, o Villa bateu o Bayern de Munique na final em Roterdã para conquistar seu único título europeu.

Leia mais: O dia em que o Aston Villa conquistou a Champions League

1º – Blackburn Rovers: 81 anos (1914-1995)

A maior quebra de jejum da história da primeira divisão inglesa é do Blackburn Rovers. O time conquistou duas vezes o campeonato na década de 1910, nas temporadas 1911/1912 e 1913/1914. A última conquista iniciou uma seca gigantesca.

Passaram-se 81 anos e algumas alternâncias entre primeira, segunda e terceira divisões. Até que o time foi comprado no começo da década de 1990 por Jack Walker, magnata da indústria do ferro e fanático pelos Rovers. E o projeto de reestruturação foi gigante.

Leia mais: Blackburn: a história, os títulos e os artilheiros dos Rovers

Em 1993/1994 (segunda temporada da história da Premier League), os Riversiders conquistaram um título inesperado. Convém lembrar que era um grande time, quarto colocado na temporada anterior e com nomes como Alan Shearer, Chris Sutton, Tom Flower e Tim Sherwood, além do treinador Kenny Dalglish, lenda do Liverpool.

Alan Shearer Blackburn
Clive Brunskill/ALLSPORT

Mas ainda assim, o título surpreendeu. Em uma briga forte com o atual campeão Manchester United, a taça veio com emoção na última rodada. Com a diferença entre ambos de dois pontos, o Blackburn perdeu fora de casa para o Liverpool por 2 a 1. Mas com o empate em 1 a 1 do United contra o West Ham em Londres, os Rovers comemoraram seu único título de PL, e primeiro da divisão principal em 81 anos.

Veja também: Quiz: O que você sabe sobre a campanha do título do Liverpool?