Os 10 maiores jogadores holandeses da era Premier League

Confira nossa lista e mande seu top 10 nos comentários

0
894
maiores holandeses
(Credit Getty)

Apesar de não ter conquistado nenhum título mundial, o futebol holandês apresentou para o mundo diversos talentos que encantaram os apaixonados pelo esporte. A seleção não vive grande fase com a geração atual, porém, alguns nomes ainda conseguem se destacar na Premier League. Separamos os maiores jogadores holandeses que fazem ou fizeram sucesso na terra da rainha.

Os 10 maiores jogadores holandeses da era Premier League

10- Virgil Van Dijk

O único da lista que ainda está construindo a sua trajetória no futebol inglês é o zagueiro Virgil Van Dijk.

Sua carreira iniciou-se no Groningen, da Holanda, em 2011, onde não demorou para que conquistasse seu espaço na equipe principal.  A passagem pelo Groningen chamou a atenção do Celtic, da Escócia, que pagou quase 3 milhões de libras para contar com o jogador.

As grandes atuações do zagueiro fizeram ele almejar voos mais altos.

Getty Images

Leia mais: Top 10 maiores promessas do futebol inglês que nunca vingaram

Em 2015, o zagueiro foi vendido ao Southampton e teve impacto imediato na zaga do clube.

Logo após a sua temporada de estreia, o clube acabou perdendo o seu parceiro de zaga José Fonte, que se transferiu para o West Ham. Com isso, van Dijk acabou sendo nomeado o capitão do clube.

Na temporada seguinte, foi eleito o jogador do ano pelo clube. Isso despertou o interesse do Liverpool, que o contratou para resolver o grande problema do seu setor defensivo.

Hoje, van Dijk é peça fundamental na equipe de Jurgen Klopp.

Getty Images

9- Dirk Kuyt

Contratado junto ao Liverpool em 2006, Dirk Kuyt não era o tipo de jogador que se destacava pela técnica ou por um estilo goleador.

Kuyt era conhecido por sua dedicação dentro de campo. Ele levava seu corpo sempre ao limite com o intuito de ajudar sempre o clube no qual atuava.

Na sua primeira temporada, o holandês era utilizado como um centroavante de ofício. Ele ajudou o Liverpool a chegar na final da Champions League naquela temporada, mas os Reds acabaram perdendo de 2 a 1 para o Milan com Kuyt marcando o gol de honra.

Após essa temporada, Kuyt acabou sendo deslocado para os lados do campo com a chegada de Fernando Torres.

O então treinador do Liverpool, Rafael Benítez, afirmou na época que Kuyt era um jogador muito útil à equipe por sua disposição e até inventou um apelido carinhoso para o holandês.

“Você pode chamá-lo de Senhor Duracell pela maneira como ele joga, sempre correndo. Sabíamos que ele era assim quando o contratamos porque ele sempre fez isso” afirmou Benítez na época.

Getty Images

Sua maior conquista foi o título da Copa da Liga Inglesa na temporada 2011/12 após os Reds derrotarem o Cardiff City nos pênaltis.

O título pode não ser o de maior expressão, mas significava muito para o Liverpool que vivia um jejum sem levantar troféus.

Após 6 anos no clube, Kuyt deixou os Reds para atuar no Fenerbahçe, da Turquia. Pelo clube, foram 208 jogos e 51 gols.

8- Jimmy Floyd Hasselbaink

Com passagens por vários clubes da Inglaterra como jogador e treinador, Jimmy Floyd Hasselbaink certamente é um dos maiores jogadores holandeses da história do futebol inglês.

Nascido no Suriname, Hasselbaink viajou cedo para a Holanda para morar com sua família e acabou se naturalizando holandês.

O atacante iniciou sua carreira na Holanda, mas ganhou mais visibilidade quando foi atuar em Portugal, mais precisamente no Boavista. A equipe venceu uma Taça de Portugal após derrotar o Benfica na final por 3 a 1.

Com isso, Hasselbaink acertou a sua transferência para o tradicional Leeds United em 1997. Em Elland Road, ficou por duas temporadas e foi artilheiro da Premier League com 18 gols e atraindo o interesse do Atlético de Madrid.

No clube espanhol, ele passou apenas uma temporada e foi vice-campeão da Copa do Rei da Espanha. Naquela mesma temporada, os Colchoneros foram rebaixados na La Liga, encerrando a passagem do atacante holandês na Espanha.

Getty Images

Leia mais: Dennis Bergkamp: o símbolo da elegância e genialidade

Com o rebaixamento do Atlético, Hasselbaink não continuou e acabou sendo vendido para o Chelsea por 15 milhões de libras.

No clube londrino, viveu o auge de sua carreira e foi pela segunda vez o artilheiro da Premier League com 23 gols, logo em sua primeira temporada.

Após o Chelsea, Hasselbaink teve passagens mais discretas por clubes como Middlesbrough, Charlton e Cardiff.

Hoje, é treinador e passou por clubes de divisões inferiores, como Burton, Queens Park Rangers e Northampton Town.

Hasselbaink teve 288 jogos pelo futebol inglês e marcou 127 gols.

7- Arjen Robben

Muitas pessoas não sabem, mas o craque Arjen Robben, atualmente no Bayern de Munique, teve passagem de sucesso pelo Chelsea.

A então promessa holandesa foi contratada junto ao PSV Eindhoven em 2004 por 12 milhões de libras e ficou por 3 anos nos Blues.

Pelo clube, foram várias conquistas como duas Copas da Liga Inglesa, uma Copa da Inglaterra, uma Supercopa da Inglaterra e dois títulos de Premier League.

Logo em sua primeira temporada pelos Blues, Robben concorreu ao prêmio de melhor jogador jovem da temporada da Premier League. No entanto, acabou derrotado por Wayne Rooney que atuava pelo Manchester United na época.

Getty

Já em sua temporada final, Robben foi fundamental nas conquistas de ambas as copas pelo Chelsea.

Na final da Copa da Liga Inglesa, deu a assistência para o gol de Didier Drogba que garantiu o título sobre o Arsenal.

Já na final da FA Cup, sua performance na vitória de 1 a 0 sobre o Manchester United foi bastante elogiada.

Após o término da temporada, Robben despertou o interesse do Real Madrid, que pagou 36 milhões de euros para contar com o jogador.

Pelo clube londrino, o meia-atacante holandês fez 67 partidas e marcou 15 gols.

6- Marc Overmars

Um dos grandes acertos da “Era Wenger” no Arsenal foi sem dúvidas a contratação do atacante Marc Overmars junto ao Ajax.

Em sua chegada, Overmars afirmou que o futebol inglês era o lugar certo para ele, visto que o ritmo era parecido com aquele que estava acostumado a atuar.

“Eu gosto do futebol inglês por conta do ritmo que ele impõe. Com a minha velocidade e qualidade, acho que o Arsenal será um bom lugar para mim”, afirmou ao chegar no clube.

Na temporada de estreia, o holandês conquistou o título da Premier League em uma reta final emocionante.

Os Gunners terminaram com apenas 1 ponto de vantagem sobre o Manchester United. Ele acabou sendo um dos grandes destaques ao formar dupla com seu compatriota Dennis Bergkamp.

Getty Images

Na temporada seguinte, veio um de seus jogos mais marcantes: a final da Copa da Inglaterra. Overmars fez um dos gols da vitória sobre o Newcastle por 2 a 0. Após a Eurocopa de 2000, o atacante foi para o Barcelona. 

Pelo clube londrino, foram 100 jogos e 25 gols marcados e o carimbo de ser um dos maiores jogadores holandeses da era Premier League.

5- Jaap Stam

O lendário zagueiro holandês Jaap Stam foi mais um nome que marcou época no Manchester United. Ele ficou marcado por algumas polêmicas ao longo de sua passagem pelos Red Devils.

No clube inglês, Stam passou três temporadas e ganhou a Premier League em todas elas. Além de conquistar uma Copa da Inglaterra e a Champions League da temporada de 1998/1999.

Em 2001, o zagueiro foi vendido para a Lazio em uma transferência muito polêmica.

O holandês havia escrito uma autobiografia chamada “Head to Head”, em que conta como se concluiu a sua transferência para o Manchester United.

Stam acabou dando a entender que o técnico Alex Ferguson não consultou formalmente o PSV para concluir a sua transferência, o que deixou o escocês bastante irritado.

No entanto, Ferguson revelou que a decisão de vender o zagueiro holandês foi um grande erro.

Getty Images

Após terminar sua carreira, Stam seguiu como treinador e treinou o Reading por duas temporadas.

Na temporada 2016/17, chegou à final dos playoffs da Championship, mas foi derrotado para o Huddersfield Town e demitido ao longo da temporada seguinte.

Pelo futebol inglês, o zagueiro atuou em 79 oportunidades e marcou apenas 1 gol.

4- Robin Van Persie

Ele é um dos maiores jogadores holandeses de sua geração e um dos grandes atacantes da história da Premier League. Robin van Persie também ficou conhecido por ser um dos mais polêmicos.

Contratado pelo Arsenal junto ao Feyenoord em 2004, Van Persie construiu bela história com a camisa dos Gunners, onde passou 8 temporadas atuando em alto nível.

A temporada 2011/12 ficou marcada por ser a melhor fase de sua carreira e a última no clube londrino.

Com a venda de Cesc Fabregas para o Barcelona, Van Persie se tornou capitão do time e terminou aquela temporada como artilheiro da competição com 30 gols.

Getty Images

Leia mais: Os dribles e mentores de Eden Hazard, o craque moldado para dominar o mundo

Na temporada seguinte, veio a decisão mais polêmica de sua carreira: a transferência para o Manchester United.

Um dos motivos para tal decisão seria o fato de o atacante não ter conquistado uma Premier League pelo clube londrino. Mas, para muitos, a mudança de clube manchou aquilo que ele havia construído no Arsenal.

Pelos Red Devils, Van Persie foi artilheiro da Premier League pela segunda vez consecutiva e conquistou o título que tanto almejava.

Van Persie foi para o Fenerbahçe em 2015 e encerrou sua passagem pela Inglaterra com 280 partidas e 144 gols marcados.

Getty Images

3- Ruud Van Nistelrooy

Um dos maiores atacantes da história do Manchester United, Ruud Van Nistelrooy era um sonho antigo de Alex Ferguson. O escocês observou o atacante por quase um ano quando ele ainda atuava no PSV.

Em duas temporadas na Holanda, Nistelrooy somou 60 gols, o que impressionou os Red Devils.

Em abril de 2000, veio uma decepção. O atacante não foi aprovado nos exames médicos por problemas no joelho e sua contratação foi confirmada apenas um ano depois.

Com uma marca assustadora de gols nas primeiras três temporadas no clube, o holandês se tornou uma lenda. Ele se tornou o maior artilheiro da história do Manchester United em competições europeias, superando Denis Law.

Getty Images

A partir da quarta temporada, houve uma queda de rendimento decorrente de algumas lesões sofrida pelo holandês, mas que ainda assim, deixava sua marca com frequência.

A saída do clube inglês para o Real Madrid foi em 2006, época em que o atacante francês Louis Saha estava em boa forma, o que acabou deixando Van Nistelrooy de lado.

Pelo Manchester United, foram 150 aparições com 95 gols marcados.

2- Edwin Van der Sar

Certamente, um dos maiores jogadores holandeses da era Premier League. Um dos maiores e mais vitoriosos goleiros da história do futebol, Edwin Van der Sar começou a sua carreira no modesto Foreholt, clube da sua cidade natal.

De lá, seguiu para o VV Noordwijk, onde foi observado e bem avaliado por Louis Van Gaal, na época auxiliar-técnico do Ajax.

O ex-treinador do United levou Van der Sar para as categorias de base do gigante holandês.

Em 1999, Van der Sar acertou a sua ida para a Juventus. Não se firmou na Velha Senhora e perdeu espaço com a chegada de Buffon.

A partir do ano de 2001, Van der Sar iniciava a sua trajetória de sucesso na Premier League. O holandês se transferiu para o Fulham, em transferência que surpreendeu o mundo do futebol.

Nos Cottagers, o goleiro conquistou apenas a Copa Intertoto da Uefa em 2002. Além disso, ajudou a equipe a chegar nas semi-finais da Copa da Inglaterra na sua primeira temporada.

A passagem pelo Fulham ficou marcada pela defesa de um pênalti cobrado por Steven Gerrard, que praticamente assegurou a permanência do time na elite.

Leia mais: Van der Sar, um ícone histórico debaixo das traves

Getty Images

O goleiro fez tanto sucesso que atraiu o interesse do Manchester United, que estava procurando um substituo para Peter Schmeichel. A transferência veio a ocorrer apenas em 2005.

Pelos Red Devils, Van der Sar se consolidou como um dos grandes goleiros de sua época e conquistou inúmeros títulos.

Foram 3 conquistas e Premier League, 2 Copas da Liga, 3 Supercopas da Inglaterra, 1 Mundial de Clubes e a conquista da Champions League em 2007/08.

Foi na decisão europeia que ele considera o momento mais marcante de sua carreira, quando defendeu a cobranças de Anelka.

“Ninguém queria chegar até os pênaltis, mas é quando temos a oportunidade de sermos heróis. Parece que é uma regra. as decisões normalmente terminam com o batedor fazendo um pênalti, então foi um sentimento fantástico” afirmou o goleiro.

1- Dennis Bergkamp

Contratado no ano de 1995 pelo Arsenal após passagem sem muito brilho pela Inter de Milão, Dennis Bergkamp chegou ao Highbury sob forte expectativa para que retomasse o bom futebol dos tempos de Ajax.

Na ocasião, o treinador do Arsenal ainda não era o lendário Arsene Wenger, mas sim Bruce Rioch, que passou apenas uma temporada no clube.

Bergkamp em sua apresentação no Arsenal, ao lado de Bruce Rioch, treinador do clube na época (Divulgaçã

Com a chegada de Wenger, Bergkamp encontrou o seu melhor futebol. Os estilos ofensivos de ambos contribuíram para a conquista de diversos títulos do Arsenal durante este período.

Bergkamp era chamado de “Iceman” pela torcida do Arsenal pela sua frieza quando estava diante do goleiro e pelo fato de não comemorar com muito entusiasmo os seus gols.

Pelo clube, foram 315 jogos realizados com 87 gols e 94 assistências. O holandês também ficou marcado por fazer um dos gols mais bonitos da história da Premier League no ano de 2002 contra o Newcastle.

O holandês se despediu do clube em 2006, na inauguração do Emirates com um amistoso contra o Ajax. Os Gunners venceram a partida por 2 a 1.

Para você, quais são os maiores jogadores holandeses da era Premier League?

Acompanhe a PL Brasil no Youtube

  • Quem disputou mais jogos na Premier League?