Maine Road: relembre a trajetória da antiga casa do Manchester City

O "Wembley do Norte" era um dos estádios mais imponentes do país

1
490
Maine Road Manchester City Alex Livesey Collection Getty Images Sport-min-min
Alex Livesey Collection Getty Images Sport

Hoje estamos acostumados a ver o Manchester City jogar no Etihad Stadium, mas nem sempre foi assim. Antes de mandar suas partidas no moderno estádio, o Maine Road era casa dos Citizens. O “Wembley do Norte” era um dos estádios mais imponentes do país e é hora de relembrar a sua história magnífica.

Apesar de imponente, o Maine Road não foi a primeira casa do City. Ainda sob o nome de Ardwick, o clube mandava seus jogos no Hyde Road. No entanto, em 1920, um incêndio acabou consumindo a arquibancada principal do estádio. Em maio de 1922, o clube anunciou o projeto de construção de um novo estádio.

Shaun Goater Manchester City Gary M. Prior Collection Getty Images Sport-min
Gary M. Prior Collection Getty Images Spor

Leia mais: All or Nothing: Manchester City”: série é um mergulho no trabalho de Guardiola

Projetado por Charles Swain, o Maine Road tinha em seu primeiro esboço a capacidade de receber 120 mil torcedores, mas no decorrer do projeto acabou sendo decidido que a capacidade seria de 80 mil, ficando atrás apenas do Wembley. Tal fato acabou dando ao estádio o apelido de “Wembley do Norte“. A construção do estádio demorou cerca de 300 dias e durante esse tempo um fato inusitado aconteceu.

Dizem que durante a construção do Maine Road, um acampamento de ciganos foi expulso da região e, por conta disso, uma cigana teria jogado uma maldição do estádio. A história nunca foi confirmada, mas se tornou uma das maiores lendas do futebol inglês.

Com um custo estimado de 100 mil libras, o Maine Road foi finalizado e teve sua inauguração no dia 25 de agosto de 1923, quando Manchester City e Sheffield Wednesday se enfrentaram. Melhor para os donos da casa, que venceram por 2 a 1 e estrearam no seu novo estádio com o pé direito.

Leia mais: Paul Scholes: a maestria e a superação do “Gênio Tímido” 

Maine Road Manchester City Alex Livesey Collection Getty Images Sport-min-min
Alex Livesey Collection Getty Images Sport

Mas o jogo em si acabou ficando em segundo plano. Os jornalistas que foram cobrir o jogo acabaram ficando espantados e impressionados com o estádio. O Manchester Guardian, por exemplo, trouxe estatísticas das mais variadas possíveis. Do tamanho dos túneis ao número de fileiras das arquibancadas.

Em 1931, o estádio passou por sua primeira reforma. Uma reforma colocou cadeiras em um espaço entre as arquibancadas Main Stand e Platt Lane, além de uma cobertura. Três anos depois, no entanto, a história foi escrita.

No dia 3 de março de 1934, Manchester City e Stoke City se enfrentariam pela 6ª rodada da FA Cup (Copa da Inglaterra). Quatro horas antes do início da partida, filas começaram a se formar de maneira assustadora. Duas horas antes da bola rolar, um jornalista local afirmou que o estádio já estava lotado.

Não havia outra opção a não ser fechar os portões do estádio. 84.569 pessoas viram a vitória do City por 1 a 0. No entanto, o resultado era o de menos. Com quase três mil torcedores a mais do que a capacidade comportava, o público registrado neste dia foi o maior da Inglaterra até novembro de 2016, quando Tottenham x Leverkusen superaram.

PL BRASIL NO YOUTUBE: LEICESTER PODE TERMINAR NO G4?

Após esse jogo histórico, o estádio passou por uma ampliação em 1935, quando sua capacidade aumentou para 88.000 torcedores. Após isso, o projeto visava uma reforma em 1939 e outra em 1944. A primeira seria para cobrir a Main Stand e o canto do placar, enquanto a segunda visava cobrir finalizar a cobertura da arquibancada do placar.

No entanto, o rebaixamento do Manchester City em 1938 acabou suspendendo ambas reformas que, um ano depois, foram completamente abandonadas por conta do estouro da Segunda Guerra Mundial.

Durante a guerra, o Old Trafford, estádio do Manchester United, sofreu graves danos devido a um ataque nazista em Manchester, forçando os Red Devils a jogarem no Maine Road por algum tempo após o fim da grande guerra. O United pagava 5 mil libras por temporada e também destinava parte da renda da bilheteria para o rival.

Foi durante esse tempo que ocorreu o recorde de público da liga. No dia 17 de janeiro de 1948, 83.260 torcedores foram assistir Manchester United x Arsenal. Os Diabos Vermelhos voltariam a usar o estádio também entre 1956 e 1957.

A partir da década de 1950, o Maine Road começou a passar por sucessivas reformas e readequações, como reflexo disso, a capacidade do estádio foi caindo pouco a pouco. Em 1953 o estádio recebeu refletores. Quatro anos depois, a arquibancada principal foi reconstruída e passou a se chamar Kippax, por conta de uma rua nas proximidades.

Leia mais: A abertura britânica aos treinadores estrangeiros na Premier League

Na década seguinte, cadeiras começaram a ser instaladas no estádio, consequentemente diminuindo a capacidade, mas dando mais conforto aos torcedores. Com aproximadamente 18,5 mil cadeiras, o Maine Road foi, por algum tempo, o estádio com o maior número de lugares sentados do país.

Nos anos 1970, o estádio recebeu uma nova arquibancada, a North Stand, que permaneceu de pé até a demolição do Maine Roda. Em meados dos anos 1980, havia um projeto ambicioso para uma grande reforma no estádio, que acabou sendo engavetado devido a pressão de diretores que achavam que o clube já havia gastado demais recentemente no estádio.

Os anos 1990, no entanto, foram cruéis com o estádio. Em 1992, a Platt Lane foi demolida e deu lugar a um setor só de cadeiras e camarotes. Durante o ano de 1993, a arquibancada foi chamada de Umbro, mas voltou a sua nomenclatura original no final dos anos 1990. Dois anos depois, em 1994, foi a vez da Kippax ser demolida, dando fim a era dos jogos com torcedores assistindo as partidas em pé. A demolição se deu por conta do relatório Taylor.

Maine Road estádio Manchester City Gary M. Prior Getty Images
Gary M. Prior Getty Images

Essa foi a última grande reforma do Maine Road, que começava a custar muito dinheiros aos cofres do clube. Para se ter noção, a arquibanca que foi construída no lugar da Kippax custou cerca de 16 milhões de libras aos cofres do clube. Isso, na época, era quatro vezes mais que o volume de negócios do clube, segundo o então presidente Francis Lee.

Leia mais: Quem é Gláuber, ídolo cult e “jogador invisível” do Manchester City

O Maine Road ainda teria mais três etapas de reforma depois dessa. O custo estimado delas era 24 milhões de libras. No entanto, o final dos anos 1990 foram trágicos para o clube, que enfrentou grave crise técnica e chegou a ser rebaixado para a terceira divisão inglesa, fato que acabou levando o clube a abandonar as reformas seguintes.

Nesta época, o estádio que outrora teve capacidade para 88 mil, tinha sua capacidade atual em torno de 34 mil, oscilando um pouco durante alguns anos. Os dias do Maine Road, no entanto, estavam contados.

O City tinha um plano de aumentar a capacidade do estádio para 45 mil torcedores, mas a mudança para o estádio City of Manchester começou a ser mais atraente para o clube. A mudança foi anunciada e no dia 11 de maio de 2003, o Maine Road recebia seu último jogo oficial: Manchester City x Southampton.

Leia mais: O que o futebol inglês faz para combater o preconceito nas redes sociais?

E a despedida não podia ser pior. Derrota por 1 a 0 e o sueco Michael Svensson foi o último jogador a marcar um gol oficial no estádio. Os ingressos para a partida foram vendidos por um preço bastante salgado, cerca de 250 libras. Apesar disso, o estádio lotou completamente com 34.957 torcedores. Ao apito final, as bandas Badly Drawn Boy e Doves fizeram apresentações musicais.

Em 2003, quando o City se mudou para o City of Manchester, algumas propostas de compra foram feitas. O Stockport County e o Sale Sharks, um clube de rúgbi, foram especulados como possíveis interessados, mas nenhuma proposta se concretizou, de fato. Outra saída especulada foi que alguns ex-jogadores do Manchester City queriam transformar o local num centro esportivo, que acabou não se concretizando também.

Sem nenhuma proposta oficial, o destino do Maine Road foi selado no final de 2003, quando sua demolição começou. Foram 10 meses até o fim do processo. O estádio deu lugar a um conjunto habitacional com 474 casas e assim o lendário Wembley do Norte dava adeus.

Um fato interessante e que poucos conhecem é que o primeiro título de Alex Ferguson no comando do Manchester United foi no Maine Road e contra um clube brasileiro. No dia 5 de agosto de 1987, Manchester United e Atlético-MG entraram em campo no estádio para disputar a final do Manchester International Football Tournement, um torneio de pré-temporada.

Com hat-trick do atacante escocês Brian McClair, os Diabos Vermelhos venceram o Galo por 3 a 1. É claro que pela inexpressividade do confronto, o título acabou ficando esquecido com o passar do tempo, mas na frieza da história o primeiro título de Sir Alex Ferguson foi diante do Galo e no estádio do seu rival.

Não há posts para exibir

1 COMENTÁRIO

  1. Lindo esse estádio , a torcida do City lembra com orgulho desse magnífico e tem até música pra ele …
    #CmonCity

Comments are closed.