Maguire e Wan-Bissaka: reforços poderão transformar a defesa do Manchester United

Zagueiro e lateral direito foram boas adições ao elenco dos Red Devils

0
158
bissaka manchester united
Crédito: Manchester United

Desde que Rio Ferdinand e Vidic deixaram de ser a dupla defensiva do Manchester United, o clube passou por diversos percalços no setor de defesa como um todo. Na lateral direita, ainda que Rafael tenha tido um bom tempo de clube, a carência pós-Neville é evidente.

Juntamente com o Chelsea, os Red Devils são considerados o elo fraco dentro do Big 6. Os rivais possuem trabalhos mais consolidados – Guardiola, Klopp, Pochettino e Emery já estão num patamar mais avançado -, assim como são detentores de elencos mais completos.

Ciente das carências do grupo, principalmente na parte defensiva, o clube contratou o promissor lateral direito Wan-Bissaka, de 21 anos. Ele estava no Crystal Palace e custou cerca de 50 milhões de libras aos cofres dos Diabos Vermelhos.

O lateral, mesmo que muito habilidoso, está longe de ser a solução para todos os problemas da equipe no setor. Diante disso, o United quebrou o recorde de transferências por um defensor e desembolsou cerca 80 milhões de libras por Harry Maguire, zagueiro que estava no Leicester.

Ambos jovens, ainda não chegaram ao ápice de suas carreiras e possuem vasta experiência na Premier League. Ainda que os valores assustem, a contribuição dentro de campo que ambos poderão fornecer poderá trazer a tranquilidade que há muito o torcedor não sente.

Exemplo disso foi o primeiro jogo da temporada, em que ambos destoaram com a precisão técnica dentro de campo. Eficientes, anularam muito bem as investidas londrinas e deixaram boa parte da torcida otimista com o que ainda poderá ser visto dentro de campo.

Leia mais: Listamos o melhor reforço de cada time do Big 6 

Não por acaso, o setor onde os Blues menos tiveram eficácia na produção ofensiva foi pelo lado de Wan-Bissaka. Já Maguire foi dominante em todas as suas ações, inclusive aparecendo no ataque com certo protagonismo.

O zagueiro foi eleito o Jogador da Partida, o que fez jus à ótima estreia desempenhada por ele. Inclusive, em um dos muitos lances onde foi superior, ele venceu uma disputa com o camisa 9 adversário, Abraham, e gerou o contra-ataque que findou no segundo gol dos Red Devils na goleada por 4 a 0.

Agora, a PL Brasil traz uma análise detalhada sobre a qualidades dos dois jogadores.

Harry Maguire

Com 26 anos, o zagueiro possui vasta experiência na Premier League e é um dos jogadores mais consistentes da liga na posição. Ainda que para muitos o valor pago tenha sido exorbitante, a compra se justifica pela necessidade do clube em ter um atleta que passe segurança na posição além de Lindelof.

Com uma precisão de 70% nos desarmes, Maguire se destaca muito pela força física. Apesar de não ser rápido e não ter grande capacidade de interceptação no passe, o inglês se sobressai nos combates corpo a corpo e nos duelos em bola aérea.

Ele subiu em 445 bolas disputando jogo aéreo na última temporada. Dessas 445, ele perdeu 130. Ou seja, ele perde uma disputa a cada quatro tentativas. Números que mostram o domínio do atleta quando se trata de disputas pelo alto.

Além disso, ele possui 99 duelos 50/50 na PL. Ele tromba e recupera a bola, abusando da sua superioridade física perante os adversários.

Leia mais: Esses são os 50 maiores clubes da Inglaterra, segundo este jornal inglês

Outro fator muito positivo do defensor é o número mínimo de erros. Em toda sua carreira de Premier League, apenas um erro cometido por ele gerou gol. Ademais, não possui nenhum gol contra.

Smalling, zagueiro que vive tirando o sono dos próprios torcedores, é três anos mais velho e possui três erros que originaram gols adversários. Chris também possui a estatística negativa de ter feito quatro gols contra. Diferença discrepante entre os dois, e que mostra uma das grandes diferenças que Harry proporcionará no setor.

O valor pago assusta, principalmente por ser maior do que o Liverpool acertou por van Dijk – um dos melhores zagueiros do mundo na atualidade. Todavia, ele é um atleta com capacidade de jogar em qualquer time do Big 6.

Ele ainda não atingiu o auge da sua qualidade técnica. Com apenas 26 anos, como já mencionado, conhece muito bem os caminhos da PL e trará a consistência que há muito a torcida do clube não desfruta em setor defensivo.

Aaron Wan-Bissaka

Congolês naturalizado inglês, o jovem lateral direito de 21 anos é uma das maiores promessas da posição. Cria da base do Crystal Palace, teve na última temporada o seu momento de maior destaque na carreira até aqui.

Foi eleito o Jogador do Mês do clube em agosto, setembro, outubro e março durante a temporada 2018-19. Ao fim da mesma, sagrou-se como o Jogador do Ano dos Eagles, consolidando com justiça a grande temporada que fez.

Como características principais, Wan-Bissaka se destaca pela velocidade, imponência física e precisão na marcação. Ágil, ele também destaca-se nos dribles executados, sendo uma ótima arma tanto para defender, quanto para atacar – ainda que a segunda virtude precise ser aprimorada.

Sempre muito concentrado, o inglês se destaca pela habilidade em desarmes, interceptações e bloqueios. Ou seja, além de muito preciso no 1×1, ele também tem como virtude antecipar-se a seus oponentes para retomar a posse e interceptar passes para interromper progressões ofensivas.

Na última temporada pela Premier League, teve uma média de seis desarmes e três interceptações por jogo. Além disso, teve cinco clearences de média, que é quando o defensor afasta o perigo, e foi driblado apenas uma vez por jogo. Números que mostram o quão difícil é para ultrapassar o jogador.

Leia mais: Premier League vira referência em campanhas contra racismo e LGBTfobia

Preciso na defesa, o lateral também vai bem no ataque. Ainda que não seja tão eficaz quanto – haja vista sua deficiência em manter a posse -, consegue desenvolver bons números de passes dentro do jogo, além de efetuar dribles.

Em números, ele teve média de dois dribles por jogo, 36 passes executados e precisão de 86% no mesmo. Agregado a isso, média de um passe chave. Ele consegue desequilibrar a pressão através do drible, passando bem a bola e procurando criar chances fatais.

Contribui mais por dentro, visto que é bom passador e driblador. Sua média de cruzamentos é de um por jogo, o que mostra que não vai tanto ao fundo. No entanto, já mostrou que é versátil e consegue adaptar-se a diferentes cenários.

Suas virtudes com certeza agregarão ao esquema de Solskjaer, que careceu de alguém eficaz na função. Com um Young fora da validade e Dalot ainda cru no setor de defesa, o novo camisa 29 do clube possui todos fatores em seu favor para ser o dono da posição.

*As estatísticas inseridas nesse texto foram extraídas do site WhoScored.