Home Brighton Alexis Mac Allister: o jogador do Brighton destaque na Libertadores

Alexis Mac Allister: o jogador do Brighton destaque na Libertadores

Atleta está emprestado ao Boca Juniors, semifinalista da competição

0
701
Marcelo Endelli Collection Getty Images Sport Mac Allister River-Plate-v-Boca-Juniors
(Credit Marcelo Endelli Collection Getty Images Sport)

Após o fim da temporada 18/19, o Boca Juniors foi ao mercado para reforçar seu elenco. Foram contratados Eduardo Salvio e Daniele De Rossi. Sem tanto prestígio, mas cercado de muita expectativa, contratou-se também, Alexis Mac Allister, promessa argentina de apenas 20 anos.

Alexis Mac Allister: o jogador do Brighton destaque na Libertadores

Foi justamente o jovem meio-campista quem mais encantou os Xeneizes até o momento, em especial na competição continental. Na fase eliminatória, tem-se destacado não só como um dos principais jogadores do Boca Juniors, mas de todo o torneio.

Veja também: 5 PROMESSAS DA SELEÇÃO INGLESA

Família de jogadores

De ascendência escocesa e nascido na província argentina La Pampa em 24 de dezembro de 1998, Alexis Mac Allister é o mais novo de três irmãos jogadores de futebol. Hoje no Boca Juniors, joga ao lado de Kevin Mac Allister (não, não é o personagem de Esqueceram de Mim) e já atuou junto de Francis Mac Allister nos tempos de Argentinos Juniors.

A tradicional equipe argentina aliás, não é apenas o clube em que os irmãos se formaram nas categorias de base, mas onde o pai deles, Carlos Mac Allister, iniciou a carreira de jogador de profissional. Com uma trajetória também marcada por passagens por Boca Juniors e Racing, aposentou-se em 1999 e é, desde 2015, secretário nacional de Esportes da Argentina.

Início como profissional

Alexis chegou à equipe principal do Argentinos Juniors no final do ano de 2016, para fazer parte do elenco que disputava a Primeira Nacional, equivalente à segunda divisão de futebol do país. Teve algumas oportunidades saindo do banco de reservas, mas sem muito destaque.

Na temporada seguinte, conquistado o acesso à Superliga, alcançou maior protagonismo, sendo titular em grande parte do campeonato. E atuação memorável na vitória por 2 a 0 sobre o Boca Juniors, seu clube atual, quando autor de um gol e uma assistência.

O início da edição 18/19 também foi de brilho para o versátil meio-campista, com três gols em nove partidas. E a boa sequência após 52 partidas desde que promovido aos profissionais do clube fez o mercado internacional se voltar para a jovem promessa argentina.

Contratado pelo Brighton

Graham Potter Brighton Laurence Griffiths Collection Getty Images Sport
(Credit: Laurence Griffiths Collection Getty Images Sport)

Em janeiro de 2019, especulou-se um forte interesse do Santos em contar com Alexis Mac Allister, após a chegada de Jorge Sampaoli na Vila Belmiro. Mas foi o Brighton quem fechou a contratação do jogador, à época com 20 anos recém-completos, por oito milhões de euros, com vínculo até junho de 2023.

Chris Hughton, então técnico dos Seagulls, demonstrou otimismo com a transferência: “Alexis é um empolgante jovem jogador que trouxemos para o futuro e que já causou um grande impacto jogando na Argentina”.

E apesar de não ter sido escolha de Graham Potter, o estilo de jogo do meio-campista ofensivo se encaixa bastante na filosofia que tem tentado empregar o novo treinador do Brighton.

Na época, o clube optou pela contratação mesmo sem poder contar com ele de imediato, ante o não-preenchimento dos requisitos exigidos pela Federação Inglesa para a concessão de um visto de trabalho – situação semelhante à vivida pelo brasileiro Douglas Luiz, que esteve impossibilitado de jogar pelo Manchester City.

Assim, em razão do empecilho, atrelado à vontade do Argentinos Juniors de manter o jogador, Alexis permaneceu na equipe argentina, emprestado até o final da temporada. Foram mais 14 partidas pelo clube, na liga nacional e na Copa Sul-Americana.

Emprestado ao Boca Juniors

Marcelo Endelli Collection Getty Images Sport Mac Allister River-Plate-v-Boca-Juniors

Encerrado o empréstimo de Mac Allister ao Argentinos Juniors, o Brighton não pôde, mais uma vez, contar com o jogador. Novamente não lhe foi concedido o visto de trabalho, situação que o clube também vivencia com o sul-africano Percy Tau, agora emprestado ao Club Brugge.

Não faltaram interessados em contratar o jogador, sobretudo no futebol argentino, dentre os quais Racing, San Lorenzo, Estudiantes e Indepedente. Mas o destino do meio-campista foi o Boca Juniors, por empréstimo, até o final da temporada 19/20, sem opção de compra.

A expectativa da diretoria do Brighton era de que, em um dos clubes dos maiores clubes da América do Sul, e forte candidato a campeão dos torneios que disputa, Mac Allister atingisse maiores destaque e visibilidade no cenário internacional, além de eventualmente conquistar espaço nas convocações da seleção argentina.

Leia mais: Estádios de Manchester: os lugares que todo torcedor precisa visitar

Situações estas que tornariam muito mais provável a possibilidade de o jovem jogador argentino se encaixar nos requisitos da federação inglesa para atuar no país.

E é justamente o que vem acontecendo. Logo em sua primeira partida pelos Xeneizes, foi titular contra o Athletico, na Arena da Baixada, em confronto válido pelas oitavas da Copa Libertadores. E foi dele o gol que assegurou a vitória por 1 a 0 ao clube argentino.

Na partida de volta, em La Bombonera, assistência para o gol de Salvio nos minutos finais. Já nas quartas, contra a LDU, novamente destaque – responsável por uma assistência na vitória em Quito e eleito pelo jornal Olé um dos melhores em campo no empate em Buenos Aires.

Já no Campeonato Argentino, geralmente poupado, por enquanto foi titular em uma única oportunidade, no clássico contra o River Plate.

E assim, foram necessárias apenas três partidas de destaque pelo Boca Juniors para que fosse convocado pela primeira vez para a seleção principal da Argentina – ainda que para partidas amistosas, que não são contabilizadas pelos critérios futuramente avaliados pela FA.

Mas importante que faça parte do processo de renovação do treinador Lionel Scaloni – o jogador foi uma das sete novidades na última convocação do técnico argentino – e conquiste espaço no grupo para figurar nas próximas listas.

No empate por 0 a 0 com o Chile, em Los Angeles, substituindo Paulo Dybala no segundo tempo, fez sua primeira aparição pela Albiceleste. Cinco dias depois, foi titular na vitória por 4 a 0 sobre o México.