Lyon pode ser o único clube francês à bater de frente com o PSG

Além do Botafogo, o norte-americano Jhon Textor é acionista do Lyon e quer ser o quanto antes o único clube da França à igualar o PSG. Assim, Textor garantiu que irá formar uma equipe para bater de frente contra o esquadrão do PSG. Na entrevista,  decidiu cutucar o time de Neymar e Cia.

“Por que não? Se levarmos padrões europeus aos jovens americanos, eles serão igualmente bons.O Paris veio para a Flórida com esse programa estúpido, a PSG Academy, colocando camisa em todo mundo. O pessoal do PSG criou o programa, a licença, e me disseram que nenhuma criança iria ao PSG. Eu pensei: ‘Por quê? Por que dizer isso?”,questionou Textor. 

Textor ainda criticou o programa do PSG de captação de jogadores, o PSG Academy.

“Por que vir à Flórida, onde há latinos, e dizerem que nenhuma dessas crianças estará no time? Por que estão aqui? Para vender camisas? Se eu posso encontrar 11 jogadores no mundo que você não pode achar ou comprar, nós podemos te vencer. Nós (Lyon) não vamos vencê-los todo ano, mas o Lyon já venceu o PSG antes”, afirmou Textor.

Lyon quer inovar em contratações

Primeiramente, Textor quer mudar a filosofia de negócios do Lyon e sair da mesmice em contratar jogadores conhecidos. Portanto, pretende inovar em tecnologia para buscar atletas que olheiros do PSG não consigam encontrar. Isso porque, Textor sabe que se for disputar com o clube de Paris, dificilmente conseguirá ganhar no braço.

“Eu acredito que as regras vão mudar. É como se o PSG fosse o único time francês, para quem vê de fora, mas eu sei que não é verdade”, diz Textor.

“Para ser mais igual, temos que achar jogadores que eles não conseguem achar, aumentar nossas receitas e pagar mais. As pessoas não gostam de ver o mesmo campeão sempre.”

Certamente, o principal objetivo do Lyon é retornar à disputar a Champions League. Entretanto, o empresário não quer apenas participar, e sim montar um grande time para chegar longe na competição. Contudo, não pretende vender o meia Lucas Paquetá. A princípio, ele conta com o brasileiro para a temporada 2022/23.

Jean-Michel Aulas (presidente do Lyon) é incrível. Ele me mantém informado, está fazendo um grande trabalho para preparar o time para os próximos dois, três anos. Tenho detalhes, mas ele não me pergunta: ‘Tenho que vender Paquetá?’ É um importante jogador, e eu não tomo essas decisões”, finalizou Textor.