Lucas Leiva lembra discurso emocionante no vestiário após escorregão de Gerrard em Liverpool x Chelsea

7 minutos de leitura

Lucas Leiva foi um dos precursores da onda de brasileiros na era moderna do futebol inglês. Viveu dez anos na Premier League e sequer precisou empilhar troféus para escrever uma história de idolatria no Liverpool. Mesmo tendo passado por momentos de dificuldade no clube, como lesões sérias e o fatídico episódio do “escorregão” de Gerrard, ainda deixou os Reds adorado pela torcida e foi eleito pelos fãs como o melhor jogador do clube em 2011.

Em entrevista exclusiva à PL Brasil, o ex-volante comentou sobre a idolatria que criou no Liverpool, a mágica passagem de Philippe Coutinho pelos Reds e deu bastidores sobre o jogo contra o Chelsea, em 2014, em que o deslize de Gerrard “custou o título” da Premier League para a equipe. Os rivais se enfrentam na próxima quarta-feira (31).

Na primeira parte da conversa, Lucas falou sobre seu tempo no Brasil, a mágoa que teve com a seleção brasileira, o futuro da Amarelinha e os seus próximos passos na carreira.

Idolatria no Liverpool

Lucas Leiva foi vice-campeão da Premier League com o Liverpool em 2008/09, quando ficou no quase, quatro pontos atrás do Manchester United de Cristiano Ronaldo. Mas também reconhece: depois de anos difíceis no início, “explodiu” em 2010.

— Em 2010 e 2011, antes da minha lesão no joelho, provavelmente foi meu melhor momento no Liverpool.

Lucas Leiva Liverpool
Lucas Leiva contra o Wolverhampton, em 2010 – Icon Sport

O brasileiro foi eleito o melhor jogador dos Reds na temporada 2010/11, superando nomes como Carragher, Gerrard, Kuyt e Luis Suárez. O carinho da torcida foi “puxado” por atuações de destaque e jogadas que demonstravam sua entrega em campo. No entanto, depois de anos de invasão brasileira no Liverpool, é humilde e entende que seu posto de ídolo já foi jogado para trás.

Por conta dos títulos, com certeza o Firmino é o maior brasileiro do Liverpool. Ele ganhou todos os possíveis. Fabinho e Alisson fazem parte desse processo também. Eu estive lá no início da carreira dele (Firmino) no Liverpool, e ele pegou um time em transição também. Persistiu, ficou e agora saiu como uma lenda, porque realmente merece – disse Lucas Leiva.

Philippe Coutinho

“Eu fui o segundo brasileiro quando cheguei, imagina agora… A comunidade brasileira está aumentando e eu me sinto muito feliz, porque o Liverpool aceita e cuida muito bem dos estrangeiros”, revelou Lucas entre risos. Para ele, o ambiente acolhedor ilustra, por exemplo como um jogador tão querido viveu seu melhor momento na vida: Philippe Coutinho.

Coutinho Liverpool
Philippe Coutinho pelo Liverpool em 2014 – Icon Sport

— O Philippe é um craque e é extremamente humilde. Acho que no Liverpool ele se sentia amado e apoiado, era o principal jogador naquele momento, mas também entendo o lado dele (na saída). Poxa, foi uma oportunidade que ele teve de jogar com Suárez, Iniesta, Messi, e ele tinha muita vontade –revelou Lucas.

Para ele, a saída do “Little Magician (Pequeno Mágico)” não tinha nada a ver com o Liverpool e sim o “sonho de criança de jogar pelo Barcelona“, mas o ambiente que ele encontrou na Espanha pode ter impactado na sua queda, principalmente por ser uma pessoa quieta e reservada. Mas Lucas não esquece dos momentos positivos:

— Ele foi para o Bayern, ganhou uma Champions League também, então vamos olhar o lado positivo. Jogou uma Copa do Mundo (2018) e, na minha opinião, ele foi o melhor da seleção brasileira naquela Copa, então não foi de tudo ruim.

O escorregão de Steven Gerrard

“Triste”. É assim que Lucas Leiva começa a lembrar de um dos momentos mais icônicos da era Premier League — motivo de risada para algumas torcidas e a razão da tristeza dos Reds. Ele destaca o contexto daquele momento: “um ano tremendo, a melhor fase do Suárez, ele e o Sturridge numa dupla de ataque incrível…”.

Gerrard Liverpool Chelsea
Gerrard contra o Chelsea, em 2014 – Icon Sport

Foi no dia 27 de abril de 2014, em jogo do Liverpool contra o Chelsea, válido pela 36ª rodada da Premier League. Os Reds tinham 80 pontos e lideravam o campeonato, enquanto os Blues, com 75, ainda tentavam alcançar os rivais.

Foi ainda no primeiro tempo que Gerrard, lenda máxima do clube, escorregou no campo de defesa ao receber um passe e viu Demba Ba marcar o gol da vitória por 1 a 0 dos Blues. Aquele momento sacramentou o escape do título da Premier League das mãos de “Stevie G”, Lucas Leiva e companhia.

— No vestiário, o Brendan Rodgers até acabou dizendo: ‘Pô, o Gerrard já salvou a gente tantas vezes, Tá na hora da gente tentar ajudar ele’, mas eu acho que ninguém tinha capacidade que o Gerrard tinha de poder ajudar tanto como ele fez em várias ocasiões — relembra o ex-volante.

Lucas também recorda que o movimento dos companheiros e de todo o time do Liverpool para dar um título inglês ao seu capitão lembra muito o que ocorreu com Messi recentemente, na Copa do Mundo. Todos queriam e torciam para o título que faltava, mas não teve um final tão feliz quanto poderia:

—  O vestiário ficou muito triste e chateado. Eu diria que é mais ou menos como agora vendo a Copa do Mundo, a Argentina jogando pelo Messi e querendo dar aquele título para ele de alguma forma. A gente também gostaria muito de ter ajudado o Gerrard a vencer uma Premier League com o Liverpool, que é o time dele.

A torcida, no entanto, segue até hoje. Se o título não veio em campo, que venha na área técnica: “A gente espera pelo menos que ele ganhe como treinador agora, com certeza é um cara que vai ser vencedor”.

Ao fim da rodada, a derrota fez com que o Liverpool seguisse com os mesmos 80 pontos e a liderança, mas Chelsea, o 2º colocado, já tinha 78, enquanto o Manchester City, 3º e com um jogo a menos, com 77. Os Citizens venceram seus três últimos jogos, alcançaram 86 pontos e foram campeões passando o time de Gerrard, que parou em 84 e ficou com o vice.

A música da torcida do Chelsea

O episódio triste para Gerrard e os Reds se transformou em música de zoação para o Chelsea. Os torcedores dos Blues cantam até hoje, como exemplificado no clássico que abriu a atual edição da Premier League para os dois nessa temporada.

A letra tira sarro do escorregão do capitão do Liverpool e como ele entregou o título nos pés de Demba Ba.

Just when they thought they were Champions…Steve Gerrard Gerrard (Bem quando eles acharam que seriam campeões… Steve Gerrard Gerrard )

Steve Gerrard, Gerrard,

He slipped on his f**** arse, (Ele escorreu na **** da sua bunda

He gave it to Demba Ba, (Ele deu a bola para Demba Ba)

Steve Gerrard Gerrard

Guilherme Ramos
Guilherme Ramos

Jornalista pela UNESP. Escrevi um livro sobre tática no futebol e sou repórter da PL Brasil. Já passei por Total Football Analysis, Esporte News Mundo, Jumper Brasil e TechTudo.

Contato: [email protected]