A emocionante homenagem que o Liverpool proporcionou a treinador com câncer terminal

4 minutos de leitura

Em janeiro último, o ex-treinador da seleção da Inglaterra, o sueco Sven-Goran Eriksson, revelou que estava com um câncer terminal. “Na melhor das hipóteses, tenho mais um ano de vida“, disse ele, que tem 75 anos.

Na oportunidade, Eriksson também confessou que tinha o sonho de treinar o Liverpool, algo que não havia conseguido. Mas o clube fez questão de realizá-lo neste sábado (23).

Eriksson foi escolhido para treinar o Liverpool Legends, time de jogadores aposentados com passagem pelos Reds, num amistoso realizado contra o Ajax Legends em Anfield.

O jogo das lendas de Liverpool e Ajax

A partida beneficente entre ex-jogadores contou com várias estrelas em Anfield. Do lado do Liverpool, jogaram ídolos como Steven Gerrard, Fernando Torres, Daniel Agger, Maxi Rodriguez, Dirk Kuyt e o brasileiro Fábio Aurélio.

Sven-Goran Eriksson teve a honra de comandar o time graças a um convite de Jürgen Klopp. O sueco foi ovacionado pela torcida dos Reds e disse ter criado uma “memória inesquecível”.

Em janeiro, logo após revelar a doença, ele se declarou torcedor do Liverpool desde criança.

— Meu pai ainda está vivo e continua sendo torcedor do Liverpool, e eu também sou torcedor do Liverpool, sempre fui. Então, sempre desejei ser o técnico do Liverpool— disse à “Sky News” em janeiro.

O jogo terminou em vitória do Liverpool por 4 a 2, de virada. Os holandeses abriram o placar com Boerrigter e Musampa, mas os Reds viraram com Vignal, Cissé, El Zhar e Torres.

A doença de Eriksson

Também em janeiro, o treinador revelou à estação de rádio sueca “P1” seu diagnóstico: “Todos podem ver que tenho uma doença que não é boa, e todos supõem que é câncer, e é”.

— Eu sei que, na melhor das hipóteses, é cerca de um ano. Na pior hipótese, ainda menos. Mas não acredito que os médicos que tenho possam ter certeza total, eles não podem marcar um dia — disse o sueco.

Ele ainda diz que é melhor não pensar sobre o tempo que lhe resta e “tem que enganar o cérebro”, mas que poderia ficar pensando nisso o tempo todo, “sentar em casa e ficar miserável, achando que é azarado”.

— É fácil acabar nessa posição. Mas não, veja os aspectos positivos das coisas e não se afunde nos contratempos, porque este é o maior contratempo de todos, é claro — contou.

Eriksson comandou a seleção inglesa e levou os Três Leões às quartas de final em duas Copas do Mundo durante sua passagem, entre 2001 e 2006. Ele também treinou o Manchester City em 2007, além de Leicester, seleções do México e Costa do Marfim, times suecos, portugueses, italianos e chineses.

Diogo Magri
Diogo Magri

Jornalista formado pela ECA-USP, campineiro e repórter na PL Brasil. Passagens por EL PAÍS, Revista Veja e Futebol Globo CBN.

Contato: [email protected]