Os jogadores que passaram por Liverpool e Manchester City na carreira

Ao todo, 17 atletas já atuaram com as camisas dos Reds e dos Citizens

Steve-McManaman-of-Liverpool-Stu Forster Collection Getty Images Sport
Stu Forster Collection Getty Images Sport

A 12ª rodada da Premier League será marcada por um dos jogos mais esperados da temporada europeia: Liverpool x Manchester City. O duelo entre o campeão europeu e o bicampeão da PL tem ganhado muita rivalidade nos últimos anos.

Com a volta aos holofotes dos Reds e a ascensão dos Citizens, ambos se consolidaram como os principais times do país. E durante a história, já foram vários jogadores (mais precisamente, dezessete) a vestirem as camisas de ambas as equipes.

Vamos relembrar abaixo todos os atletas que já jogaram por Liverpool e Manchester City!

Acompanhe a PL Brasil no YouTube!

Afonso Alves – Brasileiros na Premier League

Entre os 17 jogadores que passaram por Citizens e Reds, dois deles ainda estão na ativa por algum dos dois clubes e irão se enfrentar nesta temporada.

No lado do Liverpool, James Milner. Sexto jogador com mais partidas na história da Premier League, o polivalente camisa 7 dos Reds jogou no Manchester City entre 2010 e 2015, após boa passagem pelo Aston Villa. Seu período em Manchester coincidiu com um período de sucesso do time – ele venceu duas Premier League, uma Copa da Inglaterra, uma Copa da Liga e uma Supercopa da Inglaterra no Etihad Stadium.

Após cinco temporadas, ele se transferiu para o Liverpool de graça. Milner tem praticamente a mesma quantidade de jogos pelos dois times (147 no Man City e 135 no Liverpool), e nos Reds é o vice-capitão. Venceu uma Champions League e uma Supercopa Europeia em Anfield.

Já do lado azul do confronto, temos Raheem Sterling. O atacante foi revelado no Liverpool, onde ganhou projeção, principalmente no vice-campeonato da PL em 2013/14. Mas após quase cem jogos nos Reds e uma longa e confusa novela de renovação de contrato, em 2015, ele deixou Anfield e foi para o time de Manchester.

Leia mais: A paixão “masoquista” de Robert Plant pelo Wolverhampton

À época, o camisa 7 dos Citizens foi o inglês mais caro da história do futebol, custando 44 milhões de libras (superado apenas por Harry Maguire nesta temporada). E o investimento mostrou-se certeiro. Em especial nas mãos de Pep Guardiola, Sterling se mostrou um dos principais atacantes do mundo e é um dos grandes nomes da equipe onde conquistou duas PLs, uma FA Cup, duas Copas da Liga e uma Community Shield.

Leia mais: Os brasileiros com mais títulos no futebol inglês

Como citado acima, Sterling se destacou no Liverpool na campanha do vice da PL em 2013/14. Naquele elenco, estavam outros dois jogadores que também passaram pelo Manchester City: Daniel Sturridge e Kolo Touré.

O atacante foi outro grande nome do vice-campeonato dos Reds, e esteve em Anfield entre 2013 e 2019, com 116 jogos e um título de Champions League. O que poucos lembram é que Sturridge foi revelado pelos Citizens, em 2006. Então bem jovem (17 anos), fez 21 jogos até 2009 e deixou o clube.

Já o zagueiro, depois de fazer história nos Invincibles do Arsenal, jogou no Manchester City entre 2009 e 2013, ganhando uma Premier League e uma Supercopa da Inglaterra. Em 2013 se transferiu para o Liverpool, onde passou quatro anos e não deixou muitas saudades.

Leia mais: Além de recordes de público: o que explica o sucesso do futebol feminino na Inglaterra?

Dos outros nomes com passagens nos dois times, apenas um ainda está na ativa. Hoje no Brescia, Mario Balotelli jogou no Man City entre 2010 e 2013 e no Liverpool de 2014 a 2016. Se nos Reds não foi marcante, nos Citizens venceu uma PL e uma FA Cup, e protagonizou uma das maiores comemorações da liga contra o Manchester United.

Dos outros 12 nomes da lista, quatro fizeram mais jogos pelo Manchester City que pelo Liverpool. Um deles é bastante conhecido pela história em um rival: um dos maiores treinadores da história do Man United, Sir Matt Busby fez carreira como jogador com 115 jogos no Liverpool e 204 no Man City. O período da lenda inglesa nos campos foi interrompido após se alistar ao exército e ir para a II Guerra Mundial.

Laurence Griffiths Collection Getty Images Sport
Laurence Griffiths Collection Getty Images Sport

Os outros tiveram passagens discretas por ambos os lados. Nicolas Anelka, que na Inglaterra teve destaque jogando por Arsenal e Chelsea, passou pelo Liverpool emprestado por seis meses em 2002. Saiu de lá para o Manchester City, onde ficou até 2005.

Já o também atacante Craig Bellamy jogou duas temporadas no Liverpool (2006-07 e 2011-12) e no Man City (2008-09 e 2009-10). Nos dois clubes, ficou marcado por confusões, com o lateral John Arne Riise nos Reds e com o treinador Roberto Mancini.

Por fim, o ex-lateral esquerdo Mark Kennedy ficou quatro anos nos azuis e dois anos nos vermelhos, mas não chegou nem a 100 jogos somando-se ambas as passagens (16 no Liverpool, 66 no Man City).

Leia mais: Altos e baixos da Premier League #11 – Liverpool, Emery e Chris Wilder

Steve-McManaman-of-Liverpool-Stu Forster Collection Getty Images Sport
Stu Forster Collection Getty Images Sport

Jogadores que fizeram história pelo Liverpool também tem passagens pelo Manchester City, apesar de não serem tão conhecidas. É o caso de Steve McManaman, que fez 272 jogos pelo Liverpool entre 1990 e 1999. De lá foi para o Real Madrid, e em 2003 voltou à Inglaterra com uma passagem discreta de dois anos pelo Manchester City.

Roteiro parecido com o de Robbie Fowler. Sétimo maior artilheiro da PL, ele marcou 183 gols e ganhou cinco troféus nos Reds, recebendo da torcida o apelido de “Deus”.

Chegou ao Liverpool em 1993 e saiu em 2001 (naquilo que considerou “um dos maiores erros da carreira”). Após dois anos no Leeds United, chegou no City em 2003, e com altos e baixos, deixou Manchester e voltou a Anfield, onde ficou até 2007.

Fowler e McManaman faziam parte do grupo que a mídia nos anos 1990 apelidou de “Spice Boys” (uma referência à banda Spice Girls, para dizer que os atletas se preocupavam mais com festas, fama e holofotes do que com o futebol). Ao lado deles no “reconhecimento”, entre outros nomes, também estava David James.

Leia mais: Manipulação de resultado marcou último Liverpool x Man United antes da 1ª Guerra

Julian Finney Collection Getty Images Sport
Julian Finney Collection Getty Images Sport

Este, que é o quarto com mais jogos na história da PL, fez 214 partidas ao total nos Reds. Mas, apesar disso, nunca foi unanimidade. O segundo clube onde o goleiro fez mais jogos na Inglaterra foi justamente o Man City – 96 entre 2004 e 2006, sem grande sucesso.

O outro da lista a passar dos 200 jogos no Liverpool foi Steve McMahon. Nome histórico do fim dos anos 1980, chegou a ficar na 54ª posição em uma eleição dos maiores do clube pela torcida. Depois de 204 jogos e quatro ligas nacionais em Anfield, se transferiu para os azuis de Manchester. Lá fez 87 partidas de 1991 a 1994, sem o mesmo destaque.

Quem quase atingiu os 200 jogos em Anfield foi Dietman Hamann. Entre 1999 e 2006, fez 191 partidas na equipe, onde ganhou destaque pelos títulos em internacionais – em especial pela grande participação no milagre da final da Champions League de 2005.

Em 2006, numa transferência estranha, assinou com o Bolton e em uma mudança de planos, deixou o clube no dia seguinte para ir ao Manchester City. Ficou por lá até 2009, e até hoje é um dos nomes mais conhecidos da era pré-títulos dos Citizens no século.

Leia mais: Mario Balotelli: talentoso e polêmico atacante marcou a Premier League

Dois outros jogadores tiveram pouquíssimo destaque em ambos os lados. O primeiro é Nigel Clough, filho de Brian Clough, lendário treinador do Nottingham Forest. Ele fez história como jogador no mesmo Forest, mas depois passou pelos atuais líderes da PL entre 1993 a 1998 – foram apenas 39 jogos em cada lado, somando míseros 11 gols.

O outro é mais conhecido da nova geração: o espanhol Albert Riera, que jogou por empréstimo no Man City em 2005-06 e passou pelo Liverpool de 2008 a 2010. Fez muito pouco nos dois times – 15 jogos nos Citizens e 40 nos Reds.

Peter Beardsley Liverpool Credit Allsport UK Allsport Getty Images
Allsport UK Allsport Getty Images

Por fim, o último nome da relação é Peter Beardsley. O motivo é especial: Beardsley é o único na história do futebol inglês a ter passado pelos rivais das duas cidades (Liverpool, Everton, Manchester City e Manchester United).

Muito conhecido pelo sucesso no Newcastle, o ex-atacante fez 131 partidas no Liverpool entre 1987 e 1991, chegando no clube com a responsabilidade de lidar com as saídas das lendas Kenny Dalglish e Ian Rush.

Apesar dos altos e baixos, ele ficou marcado pelos títulos – tanto que, na mesma eleição já citada dos 100 maiores jogadores dos Reds pela torcida, foi o 11º.

Já no Manchester City, foi uma passagem rápida: um curto empréstimo em 1998, com seis partidas e nenhum gol. Esta serviu apenas para que ele atingisse o recorde de único jogador a vestir as camisas dos times vermelhos e azuis de Liverpool e Manchester.