7 jogadores que foram campeões da Libertadores e da Premier League

Todos esses atletas foram campeão ingleses e da maior competição sul-americana

0
353
Libertadores Tevez Manchester City Alex Livesey Collection Getty Images Sport
Credit Alex Livesey Collection Getty Images Sport

A PL Brasil apresenta uma lista de seletos jogadores que foram campeões tanto da Premier League quanto da Copa Libertadores. Entre coadjuvantes e protagonistas, os sete atletas aqui elencados conquistaram os dois títulos na carreira.

7 jogadores que foram campeões da Libertadores e da Premier League

5 ESTÁDIOS INGLESES QUE NÃO EXISTEM MAIS

Leia mais: Alexis Mac Allister: conheça o jogador do Brighton que é destaque na Libertadores

Rodrigo Possebon

Ainda nas categorias de base do Internacional, Rodrigo Possebon foi contratado pelo Manchester United com status de promessa. Sua passagem por Old Trafford foi breve e discreta, mas marcada pelos títulos da Premier League e da Copa da Liga, ambos na temporada 08/09.

Naquela edição do Campeonato Inglês, esteve em campo por apenas 52 minutos, somadas as três partidas em que utilizado saindo do banco de reservas. Já na copa nacional, relacionado para todas os jogos e titular em três deles, nas fases iniciais.

Na temporada seguinte, foi emprestado ao Braga, também sem brilho, e acabou cedido ao Santos, sem custos, em agosto de 2010. No clube brasileiro, tampouco teve destaque e disputou apenas 16 partidas junto daquela geração dourada da Vila Belmiro.

Ainda assim, esteve presente na campanha vitoriosa da Libertadores em 2011. E foi titular nas três primeiras partidas do torneio, na fase de grupos, contra Deportivo Táchira, Cerro Porteño e Colo Colo. Nas fases eliminatórias, esteve em campo nos jogos decisivos das oitavas e das semifinais, mas não foi relacionado para a final contra o Penãrol.

Hernán Crespo

Chelsea Hernan Crespo Odd Andersen Collection AFP-min
Credit Odd Andersen Collection AFP

Formado nas categorias de base do River Plate, Hernán Crespo chegou à equipe principal do clube argentino em 1993 e rapidamente se transformou em referência dos Milionários.

Foi o grande destaque na conquista da Libertadores em 1996, quando principal goleador do time na competição, com 10 tentos. E também foi o autor dos dois gols da partida final, na vitória por 2 a 0 sobre o América de Cali, no Monumental de Nuñez.

As ótimas atuações o levaram ao Parma, onde foi ídolo e artilheiro. Na Itália, ainda se destacou por Lazio e Internazionale, até ser vendido ao Chelsea, em 2003, por 26 milhões de euros.

Pelos Blues, não conseguiu se firmar como titular absoluto – ao todo, foram 73 jogos e 25 gols – acumulando empréstimos a Milan e Internazionale. Mas foi importante, sobretudo, no título da Premier League 05/06, com 30 partidas disputadas e 10 gols marcados.

Juan Verón

Juan Sebastian Veron Manchester United Clive Brunskill Collection Getty Images Sport
Clive Brunskill Collection Getty Images Sport

Juan Sebastián Verón iniciou a carreira de jogador no Estudiantes, o mesmo clube em que seu pai, Juan Ramón Verón, tornou-se ídolo histórico. E o meio-campista tem carreira semelhante ao do compatriota Crespo, com passagens por Parma, Lazio, Internazionale e Chelsea.

Além de uma trajetória de sucesso no futebol italiano, também foi campeão na Inglaterra – mas não pelos Blues, e sim pelo Manchester United. Chegou a Old Trafford em 2001 pela quantia de 42 milhões de euros, após destaque na Lazio.

E pelos Red Devils foram 10 assistências e 11 gols em 82 partidas, período em que foi campeão da Champions League 01/02 e da Premier League 02/03. Se protagonista no título europeu, teve participação mais discreta na conquista da liga nacional, com apenas 21 partidas como titular.

Em 2006, após de uma década no futebol europeu, retornou ao Estudiantes, para fazer história por seu clube formador – onde atualmente é o presidente. Foi bicampeão argentino, em 2007 e 2010, e campeão da Libertadores em 2009, como capitão, e um dos principais jogadores da equipe e de toda a competição – decisivo, sobretudo, nas partidas contra o Cruzeiro.

Danilo

Manchester City Clive Brunskill Collection Getty Images Sport
Clive Brunskill Collection Getty Images Sport

Revelado pelo América Mineiro, Danilo chegou ao Santos em 2010 e foi campeão da Libertadores no ano seguinte. Titular indiscutível, esteve em campo em todos os minutos do clube na competição.

E se o Peixe iniciou mal o torneio – sem vencer nas três primeiras partidas – o lateral foi fundamental na classificação às oitavas, balançando as redes em três partidas seguidas da fase de grupos. E ainda foi o autor do gol do título, na vitória por 2 a 1 sobre o Peñarol, no Pacaembu.

Naquele mesmo ano, foi para o Porto, onde ficou por quatro temporadas, até ser contratado pelo Real Madrid, clube em que foi bicampeão da Champions League. Em sequência, transferiu-se ao Manchester City, a pedido de Pep Guardiola.

E apesar de campeão das duas edições da Premier League que disputou, não foi unanimidade em Manchester, acumulando muito tempo como reserva, em meio a diversas lesões. Assim, após 60 partidas pelo clube, foi envolvido na contratação de João Cancelo junto à Juventus.

Gilberto Silva

JIM WATSON Collection AFP
JIM WATSON Collection AFP

Contratado junto ao Atlético Mineiro, o volante chegou ao Arsenal em 2002 e rapidamente se transformou em titular absoluto do clube londrino. O Invisible Wall foi fundamental no bicampeonato da Copa da Inglaterra e no título invicto da Premier League 03/04.

Ídolo do Arsenal, é tido como um dos principais jogadores da história da Premier League. Em suas seis temporadas na Inglaterra, foram 244 partidas pelos Gunners, sendo 170 na liga inglesa.

Após passagens por Panathinaikos e Grêmio, retornou ao Atlético Mineiro em 2013. E já naquele ano, sagrou-se campeão da Libertadores. Não era titular absoluto e pouco jogou na fase de grupos, mas foi importante em todas as fases eliminatórias antes das finais.

Carlos Tévez

Libertadores Tevez Manchester City Alex Livesey Collection Getty Images Sport
Credit Alex Livesey Collection Getty Images Sport

Carlos Tévez chegou ao Boca Juniors ainda nas categorias de base e rapidamente se tornou destaque em La Bombonera. Em sua primeira passagem pelo clube, conquistou o Campeonato Argentino, a Copa Sul-americana, a Copa Libertadores e o Mundial de Clubes.

O título do principal torneio da América do Sul foi em 2003, com Carlitos sendo um dos grandes protagonistas da competição e autor do primeiro gol da partida final, na vitória por 3 a 1 sobre o Santos.

Após novo destaque, no Corinthians, foi contratado pelo West Ham, em 2006, mas passou duas temporadas emprestado pelo clube londrino ao Manchester United. Nos Red Devils, foi campeão da Champions League e da Premier League 07/08, quando autor de 14 gols na liga nacional.

Jogando bem em Manchester, permaneceu na cidade, mas foi para o rival, o Manchester City, onde obteve ainda mais destaque e foi novamente campeão inglês, em 2012. Pelos Citizens, foram 148 partidas, com 73 gols e 36 assistências, sendo artilheiro da Premier League na temporada 10/11.

Filipe Luís

Depois de quatro temporadas de muito destaque pelo Atlético de Madrid – quando campeão de La Liga e da Liga Europa, além de vice da Champions League – Filipe Luís foi contratado pelo Chelsea com altas expectativas, por 20 milhões de euros.

Entretanto, reserva de Azpilicueta, não conseguiu repetir o brilho pelos Blues. No título da Premier League 2014/2015, participou de apenas 15 partidas, das quais nove como titular. Após uma única temporada em Stamford Bridge, o lateral brasileiro retornou ao clube madrilenho.

O jogador disputou outras quatro temporadas na Espanha até voltar ao futebol brasileiro, em julho de 2019, para defender o Flamengo. Chegou junto de Rafinha, para formar dupla estrelada de laterais.

Além do título do Campeonato Brasileiro, a temporada resultaria na conquista da Libertadores. Recém chegado, Filipe Luís ficou de fora das oitavas de final contra o Emelec, mas foi titular em todas as partidas seguintes, contra Internacional, Grêmio e River Plate.