Kyle Walker, a evolução constante do lateral

Conheça a história do lateral-direito ex-Tottenham

Kyle Walker

Bora dar continuidade ao especial Road to Russia? É a nossa série especial de matérias sobre os 23 convocados de Gareth Southgate para a Copa do Mundo 2018! Estamos produzindo um conteúdo diferenciado para cada atleta. Curiosidades, histórias, estatísticas e muito mais. O nosso personagem de hoje é Kyle Walker!

A história de Kyle Walker

O lateral direito mais caro da história do futebol merece a nossa atenção, não? E se ele for eleito três vezes melhor da posição em um dos melhores campeonatos do mundo – senão o melhor?

Kyle Walker fez ótimas temporadas pelo Tottenham, até ser contratado pelo Manchester City, com um valor astronômico. Nos Citizens, uma campanha histórica carimbou seu nome na lista de Gary Southgate.

Kyle Walker e Danny Rose são amigos desde a infância (Foto: Getty Images)

Kyle Walker nasceu em 1990, na cidade de Sheffield, no Reino Unido. Assim como muitos nomes do futebol inglês, como Walcott e Sterling, o lateral tem heranças jamaicanas. Seu pai nasceu no país caribenho, enquanto sua mãe, na Terra da Rainha.

Leia mais: PL Brasil entrevista: Fred Caldeira

O futebol faz parte da sua vida desde o início de sua vida – principalmente, quando conheceu o seu melhor amigo. Quando ainda estava no ensino fundamental, Danny Rose, lateral do Tottenham que também foi convocado, já era seu companheiro.

Eles passaram boa parte da infância juntos. Danny e Kyle jogavam juntos contra os outros amigos durante toda o a vida estudantil. Mas foi na juventude que a amizade se fortaleceu com um espírito mais esportivo, no futebol.

O lateral direito começou no time da cidade (Foto: Site Oficial do Tottenham)

Início no Sheffield United

Walker iniciou sua carreira no time da cidade onde nasceu. Em 2003, com quase 14 anos foi jogar na base do Sheffield United longe de seu amigo, que teve sua chance no Leeds United. Após 5 temporadas, teve sua primeira oportunidade profissional.

O Sheffield United estava na Championship e tinha alguns nomes conhecidos atualmente, como Gary Cahill, convocado também para a Copa, e Nathan Dyer, que ainda jogou a Premier League por outros quatros times.

O time fez uma boa campanha, embora tenha perdido a final dos Play-offs para o Burnley por 1 a 0 depois de ficar em terceiro na classificação do campeonato. Ainda naquela partida, Walker se tornou o jogador mais jovem, aos 18 anos, a atuar em Wembley vestindo as cores do Sheffield United.

Walker foi emprestado muitas vezes pelo Tottenham até dar certo (Foto: Getty Images)

Após uma boa temporada inicial, o jovem garoto recebeu sua primeira grande oferta – e logo aceitou-a.  O time era o Tottenham, então o jovem promissor lateral direito teve de deixar a cidade onde passou quase toda sua vida.

Entretanto, o time londrino preferiu emprestá-lo para ganhar rodagem. Kyle jogou no Northamptom, e, após a volta para o Sheffied United, em 2009/10, o lateral ainda foi emprestado ao Queens Park Rangers e ao Aston Villa durante a temporada 2010/11 e o começo da seguinte.

Ascensão no Tottenham

Em 2011, os Spurs decidiram mantê-lo na equipe, acreditando que o inglês já havia adquirido muita experiência durante todos os empréstimos e poderia completar o que faltava à equipe, apesar de ter um elenco qualificado.

Kyle Walker foi tendo suas primeiras oportunidade ao lado de Danny, seu inseparável amigo de infância. O lateral esquerdo havia sido contratado pelo Tottenham anos antes, e, ao lado de Gareth Bale, Luka Modric, Harry Kane e o companheiro que jogava na lateral direita, era considerado uma das principais promessas do time.

Após boas apresentação com a camisa londrina, o lateral foi pela primeira vez convocado em fevereiro de 2011. Sua primeira participação, entretanto, foi contra a Espanha, no final daquele ano, mas ainda sem muita expressão dentre os escolhidos.

As três temporadas seguintes foram boas para o time e para o atleta, que parecia começar a ser mais importante para o elenco. Mas foi com a chegada do treinador argentino Mauricio Pochettino, em 2014, que o lateral ganhou mais espaço.

Eles foram melhorando gradualmente, até que, em 2015/16, deixaram os gigantes para traz e foi vice-campeão, perdendo apenas para a incrível campanha do Leicester. Na temporada seguinte, o time repetiu o feito, e foi para a sua segunda participação em Liga dos Campeões.

Kyle foi eleito como o melhor lateral direito da Premier League nas temporadas 2011/12, 15/16 e 16/17, além de vencer o prêmio de melhor jogador jovem da Premier League, dado pelo PFA.

O inglês foi campeão da Premier League com o Manchester City (Foto: Reprodução)

Chegada ao City

Foi com esse histórico e avanço progressivo que Kyle chamou a atenção de Pep Guardiola.

Com uma proposta tentadora, o Tottenham cedeu o atleta, tornado-o o lateral mais caro da história do futebol inglês, sendo contratado por mais de 50 milhões de euros.

O lateral direito deixou o companheiro de infância, Danny Rose, no Tottenham e estava agora sendo comandado por um dos melhores treinadores da história do futebol, continuando seu avanço aos 27 anos de idade.

Polivalente, Kyle Walker foi importantíssimo para a histórica campanha do título inglês. O lateral ajudou a equipe quebrar recordes atuando como lateral direito, sua posição de origem, mas chegou a jogar na linha três zagueiros, como ala e meia direita, e até do lado esquerdo.

Sete assistências, foram originadas de aproximadamente um passe-chave por jogo, número bom para um lateral. Além disso, com Guardiola, o lateral atingiu a média de quase 90% de passes certos, tendo também mais de 65% de desarmes completos.

O histórico e os números indicam que Kyle Walker está pronto para fazer uma boa Copa do Mundo com a seleção inglesa.