Kloppage Time: A habilidade do Liverpool para marcar gols no fim dos jogos

Balançar a rede adversária nos minutos finais das partidas virou marca dos Reds nesta temporada

0
514
Liverpool van Dijk Joe Gomez Wijnaldum Clive Brunskill Collection Getty Images Sport
Clive Brunskill Collection Getty Images Sport

A semifinal do Mundial de Clubes entre Liverpool e Monterrey foi decidida por um gol de Firmino aos 90 minutos de jogo após grande assistência de Alexander-Arnold. Mas gols decisivos tardios não são nenhuma novidade para os Reds.

A temporada 2019/20 do Liverpool até a virada do ano é quase perfeita. Em 30 jogos, são 25 vitórias, dois empates e apenas três derrotas. Sendo apenas uma realmente considerável: 2 a 0 para o Napoli pela Champions.

PL BRASIL NO YOUTUBE: LEICESTER PODE TERMINAR NO G4?

As outras duas foram: nos pênaltis contra o Manchester City na Supercopa da Inglaterra, 5 a 0 frente ao Aston Villa pela Copa da Liga, com o time só com garotos de no máximo 19 anos.

Klopp conseguiu manter o nível técnico e tático da equipe lá no alto. Mas tão importante quanto isso, a competência emocional do Liverpool também é impressionante. Em uma liga tão disputada quanto a Premier League, isso realmente faz diferença.

Dos 30 jogos disputados até agora, o Liverpool marcou um gol após os 85 minutos em nove deles, ou seja, quase um terço. A marca fica mais absurda ainda se notarmos que em 7 desses 9, os gols renderam pontos à equipe de Klopp. A intensidade do Liverpool dura realmente todos os 90 minutos.

Após a virada contra o Aston Villa com gols aos 87 e 94 minutos, Klopp disse que “não quer exagerar na sorte”. Mas completou falando que isso é fruto da concentração e frieza da equipe. De fato, o Liverpool parece mentalmente mais forte que nunca.

Liverpool van Dijk Joe Gomez Wijnaldum Clive Brunskill Collection Getty Images Sport
Clive Brunskill Collection Getty Images Sport
Leia mais: Mundial de clubes: os ingleses ligam para o torneio?

Lista dos gols do Liverpool após 85 minutos

Firmino 90′ x Monterrey – vitória
Salah 90′ x Watford – aumentou o saldo
Wijnaldum 90′ x Everton – aumentou o saldo
Firmino 85′ x Palace – vitória
Robertson 87′ x Villa – empate
Mané 90+4′ x Villa – vitória
Origi 90+4′ x Arsenal – empate
Salah 87′ x Genk – aumentou o saldo
Lallana 85′ x United – empatou
Milner 90+5′ x Leicester – vitória

E não pense que isso é apenas sorte. Dos 10 gols listados, apenas o tento anotado por Milner, contra o Leicester, veio de uma bola parada, um pênalti, no caso.

Então, todos os outros foram jogadas trabalhadas e construídas com frieza. Parece que jogar bola por “apenas” 90 minutos não é suficiente para vencer o Liverpool nesta temporada.

Kloppage Time

Catherine Ivill Collection Getty Images Sport
Catherine Ivill Collection Getty Images Sport

Durante anos, o Manchester United, comandado por Sir Alex Ferguson, manteve a fama de marcar gols nos acréscimos do jogo. Quando o treinador ficava em pé na beira do gramado e começava a olhar no relógio, então todos sabiam que estava na hora do Fergie Time.

A coisa era tão séria que até rendeu uma Champions League ao clube na temporada 1998/1999, contra o Bayern de Munique, com gols de Sheringham aos 91 e Solskjaer aos 93.

Mas desde a chegada de Jurgen Klopp, parece que a mística mudou de lado. Na temporada de estreia do treinador, em 2015/16, a equipe conquistou sete pontos com gols após os 85 minutos. Na atual temporada, com menos de um turno completo, já são seis pontos desse jeito, como por exemplo, o jogo contra o Aston Villa.

Virgil Vin Dijk acredita que isso vem da habilidade de ‘manter os nervos no lugar e seguir o plano de jogo do treinador‘. Além do mais, com um técnico tão intenso e obcecado pela vitória, é natural que o Liverpool lute até o final. Será que estamos diante da era do Kloppage Time?