Kloppage Time: A habilidade do Liverpool para marcar gols no fim dos jogos

Balançar a rede adversária nos minutos finais das partidas virou marca dos Reds nesta temporada

Liverpool van Dijk Joe Gomez Wijnaldum Clive Brunskill Collection Getty Images Sport
Clive Brunskill Collection Getty Images Sport

A semifinal do Mundial de Clubes entre Liverpool e Monterrey foi decidida por um gol de Firmino aos 90 minutos de jogo após grande assistência de Alexander-Arnold. Mas gols decisivos tardios não são nenhuma novidade para os Reds.

A temporada 2019/20 do Liverpool até a virada do ano é quase perfeita. Em 30 jogos, são 25 vitórias, dois empates e apenas três derrotas. Sendo apenas uma realmente considerável: 2 a 0 para o Napoli pela Champions.

PL BRASIL NO YOUTUBE: LEICESTER PODE TERMINAR NO G4?

As outras duas foram: nos pênaltis contra o Manchester City na Supercopa da Inglaterra, 5 a 0 frente ao Aston Villa pela Copa da Liga, com o time só com garotos de no máximo 19 anos.

Klopp conseguiu manter o nível técnico e tático da equipe lá no alto. Mas tão importante quanto isso, a competência emocional do Liverpool também é impressionante. Em uma liga tão disputada quanto a Premier League, isso realmente faz diferença.

Dos 30 jogos disputados até agora, o Liverpool marcou um gol após os 85 minutos em nove deles, ou seja, quase um terço. A marca fica mais absurda ainda se notarmos que em 7 desses 9, os gols renderam pontos à equipe de Klopp. A intensidade do Liverpool dura realmente todos os 90 minutos.

Após a virada contra o Aston Villa com gols aos 87 e 94 minutos, Klopp disse que “não quer exagerar na sorte”. Mas completou falando que isso é fruto da concentração e frieza da equipe. De fato, o Liverpool parece mentalmente mais forte que nunca.

Liverpool van Dijk Joe Gomez Wijnaldum Clive Brunskill Collection Getty Images Sport
Clive Brunskill Collection Getty Images Sport
Leia mais: Mundial de clubes: os ingleses ligam para o torneio?

Lista dos gols do Liverpool após 85 minutos

Firmino 90′ x Monterrey – vitória
Salah 90′ x Watford – aumentou o saldo
Wijnaldum 90′ x Everton – aumentou o saldo
Firmino 85′ x Palace – vitória
Robertson 87′ x Villa – empate
Mané 90+4′ x Villa – vitória
Origi 90+4′ x Arsenal – empate
Salah 87′ x Genk – aumentou o saldo
Lallana 85′ x United – empatou
Milner 90+5′ x Leicester – vitória

E não pense que isso é apenas sorte. Dos 10 gols listados, apenas o tento anotado por Milner, contra o Leicester, veio de uma bola parada, um pênalti, no caso.

Então, todos os outros foram jogadas trabalhadas e construídas com frieza. Parece que jogar bola por “apenas” 90 minutos não é suficiente para vencer o Liverpool nesta temporada.

Kloppage Time

Catherine Ivill Collection Getty Images Sport
Catherine Ivill Collection Getty Images Sport

Durante anos, o Manchester United, comandado por Sir Alex Ferguson, manteve a fama de marcar gols nos acréscimos do jogo. Quando o treinador ficava em pé na beira do gramado e começava a olhar no relógio, então todos sabiam que estava na hora do Fergie Time.

A coisa era tão séria que até rendeu uma Champions League ao clube na temporada 1998/1999, contra o Bayern de Munique, com gols de Sheringham aos 91 e Solskjaer aos 93.

Mas desde a chegada de Jurgen Klopp, parece que a mística mudou de lado. Na temporada de estreia do treinador, em 2015/16, a equipe conquistou sete pontos com gols após os 85 minutos. Na atual temporada, com menos de um turno completo, já são seis pontos desse jeito, como por exemplo, o jogo contra o Aston Villa.

Virgil Vin Dijk acredita que isso vem da habilidade de ‘manter os nervos no lugar e seguir o plano de jogo do treinador‘. Além do mais, com um técnico tão intenso e obcecado pela vitória, é natural que o Liverpool lute até o final. Será que estamos diante da era do Kloppage Time?