10 jogos marcantes do Manchester United na Champions League

Relembre grandes vitórias dos Red Devils na história da principal competição europeia

0
807
10 jogos marcantes do Manchester United na Champions League
FRANCK FIFE/AFP via Getty Images

O Manchester United conquistou a Champions League em três oportunidades: 1967/1968, 1998/1999 e 2007/2008. O primeiro título foi conquistado sob o comando do eterno Sir Matty Busby e o outros dois pelo lendário Sir Alex Ferguson

Durante esses longos anos, os Red Devils conquistaram importantes vitórias, que marcaram o torcedor. A PL Brasil lista dez jogos marcantes do Manchester United na história da Champions League.

Acompanhe a PL Brasil no YouTube!

  • ESQUADRÕES IMORTAIS | MANCHESTER UNITED 1999

10 jogos marcantes do Manchester United na Champions League

Benfica 1×4 Manchester United (1967/1968)

O Manchester United de Bobby Charlton e George Best goleou o Benfica de Eusébio por 4 a 1, na final da então Copa dos Campeões da Europa da temporada 1967/1968, no Estádio de Wembley, que teve um público de mais de 90 mil pessoas. 

Pelo placar, a vitória aparenta ter sido tranquila, mas não foi. O triunfo foi construído na prorrogação, após um empate em 1 a 1 no tempo normal. A primeira etapa foi equilibrada e terminou sem gols.

Mas já aos 8’ do segundo tempo, Charlton tirou o zero do placar com gol de cabeça. O empate da equipe portuguesa veio 22 minutos depois, com Jaime Graça. E por pouco, o Benfica não virou com Eusébio. O United foi salvo por seu goleiro Alex Stepney.

Jogo foi para o tempo extra. E já aos 3’, George Best recolocou os ingleses na frente do placar. No minuto seguinte, o aniversariante do dia Brian Kidd fez o terceiro. E o quarto veio novamente com Charlton, aos 10’ da prorrogação. 

A parti dali foram pouco mais de 20 minutos para o Manchester United comemorar seu primeiro título europeu, dez anos depois da tragédia de Munique. Bobby Charlton e Bill Foulkes, sobreviventes do acidente aéreo, jogaram a decisão.

Leia mais: 1968: ano de ouro para o Manchester United

Manchester United 2×1 Bayern de Munique (1998/1999)

A maior vitória do clube no famigerado Fergie Time não poderia ficar de fora da lista. A virada do Manchester United diante do Bayern nos acréscimos da decisão europeia de 1998/1999 simboliza uma das maiores finais da história da Champions

O United, em geral, não foi bem diante do rival alemão. E os bávaros abriram o placar logo aos 6’ do primeiro tempo. Os alemães foram superiores durante quase todo o confronto. 

Porém, os gols dos Red Devils chegaram aos 46’ e 48’ da segunda etapa (ou 91’ e 93’ em contagem sequenciada), com Teddy Sheringham e Ole Gunnar Solskjaer. Ambos deixaram o banco de reservas para entrarem nas páginas mais bonitas da história do Manchester United

Os dois tentos saíram após cobranças de escanteio de David Beckham. Aquela noite de 26 de maio de 1999, no Camp Nou, é uma das mais marcantes para os torcedores dos Diabos Vermelhos e um dos mais marcantes jogos do clube na história da Champions League.

ERIC CABANIS/AFP via Getty Images

Leia mais: Fergie time: as maiores vitórias do Manchester United nos minutos finais

Manchester United 1×1 Chelsea (2007/2008)

O terceiro título europeu dos Red Devils. O jogo que colocou frente a frente, em Moscou, Manchester United e Chelsea. A taça que foi decidida pelo escorregão de John Terry, ídolo blue, e pela grande defesa do gigante Edwin Van der Sar

O time de Sir Alex Ferguson saiu na frente, com gol de cabeça de Cristiano Ronaldo, que subiu muito aos 26’ do primeiro tempo após bom cruzamento de Wes Brown. O empate veio nos últimos instantes do primeiro tempo. Frank Lampard aproveitou rebote da defesa do United e deixou tudo igual. 

Pode-se dizer que a primeira etapa teve um Manchester United melhor. Porém, esta realidade mudou no segundo tempo e na prorrogação. Os Blues jogaram pela virada, mas não conseguiram fazer o segundo gol. Resultado: penalidades. 

Na disputa por pênaltis, 6 a 5 para os Diabos Vermelhos, com sete cobranças para cada lado. O United perdeu apenas uma, logo com Cristiano Ronaldo, autor do gol no tempo normal e futuro melhor do mundo da temporada. 

Já os Blues perderam dois, com Terry e Anelka. Na quinta cobrança, o então camisa 26 do Chelsea teve a oportunidade de sagrar os londrinos campeões europeus pela primeira vez, mas escorregou e chutou para fora. Na sétima, Anelka perdeu o duelo com Van der Sar, que defendeu a cobrança e decretou o terceiro título europeu do United, mais um muito emocionante.

Leia mais: Quiz: Quais as escalações de Chelsea x Manchester United da Champions 2008?

PSG 1×3 Manchester United (2018/2019)

O Manchester United perdeu o jogo de ida das oitavas de final da Champions League 2018/2019 por 2 a 0, em Old Trafford. Di Maria e Mbappé marcaram para os franceses. E o United ainda teve Paul Pogba expulso, o que representou sua ausência no jogo de volta.

O time do PSG era comandado por Thomas Tuchel, que não pode contar com Neymar, lesionado, nem na partida de ida nem na de volta. Já os Red Devils tinham Ole Gunnar Solskjaer como treinador interino, após a demissão de José Mourinho poucos meses antes. 

Após o 2 a 0 na ida, a eliminatória parecia decidida. Ledo engano. Mesmo sem Pogba, os Diabos Vermelhos conseguiram uma virada histórica, tipicamente red devil. 

Logo aos 2’, após recuo mal feito da defesa do PSG Romelu Lukaku deu esperanças ao torcedor, ao abrir o placar driblando Buffon. Aos 11’, Bernat empatou e parecia decidir definitivamente a parada. Porém, a esperança e empolgação inglesa foram acendidas novamente aos 29’, novamente com Lukaku, que contou com falha de Buffon, após finalização de Rashford

A segunda etapa do PSG foi melhor. Mbappé perdeu oportunidades de gols importantes. Mas, aos 44’, Dalot arriscou de fora da área e a bola tocou no braço de Kimpembe. Após revisão do VAR, a arbitragem marcou pênalti. Marcus Rashford, camisa 10 do United, que nunca antes havia cobrado uma penalidade como profissional, venceu Buffon e decretou a histórica e inimaginável virada. 

ANNE-CHRISTINE POUJOULAT/AFP via Getty Images

6 de março de 2019: marcante para o Manchester United, marcante para Marcus Rashford, marcante para a Uefa Champions League.

Manchester United 7×1 Roma (2006/2007)

Naquele 10 de abril de 2007, em uma grande noite em Old Trafford, o Manchester United se garantiu na semifinal da Champions League ao derrotar a Roma por incríveis 7 a 1. Os Red Devils perderam o jogo de ida por 2 a 1, na capital italiana. 

O primeiro tempo da equipe de Alex Ferguson foi de manual: 4 a 0 nos primeiros 45 minutos. Aos 18’, o placar já estava 3 a 0, com gols de Carrick, Smith e Rooney, em sequência. Aos 42’, Cristiano Ronaldo marcou o quarto. 

A segunda etapa consolidou a incrível performance, com mais um gol de Cristiano Ronaldo e outro de Carrick, este um golaço de fora da área que parou no ângulo do goleiro Doni. Quando estava 6 a 0, De Rossi descontou. E aos 35’ da segunda etapa, Patrice Evra, que entrou no lugar de John O’Shea, deu números finais à goleada. 

Leia mais: Manchester United 7×1 Roma: uma grande noite em Old Trafford

Manchester United 10×0 Anderletcht (1956/1957)

No dia 26 de setembro de 1956, o Manchester United alcançou sua maior vitória na história da Copa dos Campeões. No Maine Road, os Red Devils golearam o Anderletcht por incríveis 10 a 0. 

Sir Matt Busby mandou a campo a seguinte equipe: Ray Wood; Mark Jones, Bill Foulkes, Roger Byrne, Liam Whelan; Duncan Edwards, Eddie Colman, Johnny Berry, Dennis Viollet, Tommy Taylor e David Pegg.

O 10 a 0 dos Diabos Vermelhos diante do clube belga foi construído com gols de Tommy Taylor (3x), Dennis Viollet (4x), Liam Whelan (2x) e Johnny Berry. A histórica goleada foi vista por 43.635 no Maine Road.

Leia mais: Maine Road: relembre a trajetória da antiga casa do Manchester City

Manchester United 4×3 Real Madrid (2002/2003)

A final da Champions League da temporada 2002/2003 foi disputada por Milan e Juventus, em Old Trafford. Mas pode-se dizer que foi o duelo entre Manchester United e Real Madrid, também no Teatro dos Sonhos, pelas quartas de final, o mais marcante da competição.

Os Red Devils derrotaram os merengues por 4 a 3 naquele 23 de abril de 2003. Porém, foi Ronaldo que decretou a classificação do time espanhol naquela noite. O atacante brasileiro marcou três gols e foi aplaudido pelos presentes em Old Trafford. No agregado, o Real Madrid venceu por 6 a 5 e classificou-se para a semifinal.

O primeiro tempo terminou empatado em 1 a 1. Ronaldo abriu o placar aos 12’, e Ruud van Nistelrooy deixou tudo igual aos 43’. O segundo tempo mal havia começado, e Ronaldo colocava novamente os espanhóis a frente, aos 5’ da segunda etapa. O 2 a 2 veio logo em seguida com gol contra de Ivan Helguera, aos 7’ do segundo tempo. Aos 14’, Ronaldo fez o terceiro, no seu tento mais bonito da noite. 

Laurence Griffiths/Getty Images

Os donos da casa não desistiram, e David Beckham, que começou o jogo no banco de reservas, marcou dois e deu números finais a partida. O 4 a 3 não foi suficiente para os Red Devils, mas bastou para marcar esse incrível duelo entre ingleses e espanhóis.

Juventus 2×3 Manchester United (1998/1999)

Não foi somente na final de Barcelona que o Manchester United protagonizou uma histórica virada na Champions League 1998/1999. Para chegar à decisão diante do Bayern de Munique, os Red Devils venceram a Juventus, em Turim, pela semifinal da competição. 

O time italiano chegou a estar vencendo por 2 a 0, mas a equipe de Alex Ferguson alcançou o 3 a 2. O jogo de ida, em Old Trafford, terminou empatado em 1 a 1. 

A Juventus tinha nomes como Zinédine Zidane, Edgar Davids, Didier Deschamps e o centroavante Filippo Inzaghi. E foi o atacante, camisa 9 da Juve naquela ocasião, que colocou os Red Devils em situação complicada, com dois gols na primeira etapa, aos 6’ e 11’. 

O time de Ferguson estava em apuros. Mas contava com um Roy Keane inspirado. O então camisa 16 fez o primeiro do United após cobrança de escanteio de Beckham, aos 24’ do primeiro tempo.

Na frente, os Red Devils contavam com uma entrosada dupla formada por Andy Cole e Dwight Yorke. E Yorke deixou tudo igual aos 34’, depois de cruzamento de Cole. Atrás, Schmeichel ia garantindo o 2 a 2. 

O 2 a 2 era suficiente para os visitantes, mas o 3 a 2 veio aos 38’ da segunda etapa. Cole decretou a vitória e a classificação para a final dos Diabos Vermelhos. O resto é história.

Leia mais: Manchester United x Juventus: a virada antes do histórico título no Camp Nou

Manchester United 4×0 Milan (2009/2010)

De um lado nomes como Wayne Rooney, Rio Ferdinand e Edwin van der Sar, do outro Ronaldinho, David Beckham e Thiago Silva. Pelo jogo de volta das oitavas de final da Uefa Champions League da temporada 2009/2010, os Red Devils golearam os rossoneros por 4 a 0, em Old Trafford. Na ida, em Milão, os ingleses também venceram, dessa vez por 3 a 2.

O destaque daquela partida no Teatro dos Sonhos, realizado em 10 de março de 2010, foi o então camisa 10 Wayne Rooney. O atacante marcou balançou as redes defendidas por Abbiati em duas oportunidades. Park e Fletcher completaram para os donos da casa.

ANDREW YATES/AFP via Getty Images

Com a vantagem do jogo da ida, os Diabos Vermelhos não tiveram muitas dificuldades para confirmarem a eliminação do Milan. Já aos 13’ da primeira etapa, Rooney fez 1 a 0 na primeira chegada da sua equipe. 

No primeiro minuto da segunda etapa, Rooney novamente marcou. Se já estava difícil para os italianos, o segundo gol praticamente decretou a classificação do time inglês. Aos 14’ do segundo tempo, Park fez 3 a 0. E já no fim, aos 43’, Darren Fletcher deu números finais ao placar da partida. 

Manchester United 4×0 Porto (1996/1997)

Naquela edição da Champions League, o Porto era um dos principais favoritos ao título europeu. A equipe portuguesa conquistou 16 dos 18 pontos conquistados na fase de grupos. Mas essas credenciais não foram suficientes para eliminar a equipe de Cantona, Giggs, Beckham e Alex Ferguson

No jogo da ida daquele embate válido pelas quartas de final da Liga dos Campeões de 1996/1997, os Red Devils golearam o Porto por 4 a 0, no dia 5 de março de 1997. 

Os ingleses abriram o placar com David May aos 22 minutos da primeira etapa. 12 minutos depois, Éric Cantona fez 2 a 0. No segundo tempo, Ryan Giggs, aos 16’, e Andy Cole, aos 35’, decretaram a goleada do time comandado por Sir Alex Ferguson. 

Shaun Botterill/Allsport

Na partida de volta, realizada no dia 19 de março de 1997 no estádio do Porto, o placar acabou empatado em 0 a 0. Uma curiosidade interessante: David Beckham é um dos que fizeram a camisa 7 do United ser tão icônica, mas pela presença de Cantona, usou em 1996/1997 o número 10.