5 saídas de jogadores do Arsenal que deixaram mágoas no torcedor

Gunners perderam jogadores importantes de forma sintomática para rivais do Big 6

1
654
koscielny bordeaux ídolos do arsenal
Crédito: Bordeaux divulgação

A penúltima janela de transferências do Arsenal foi aclamada pela crítica esportiva. Depois de contratar seis peças importantes, o clube ainda saiu com saldo positivo para a temporada 2019/20. Porém, uma saída deixou um gosto amargo na boca do torcedor londrino: a de Laurent Koscielny.

O francês era o capitão e ídolo do time, além de uma das peças essenciais no setor defensivo, que vem sofrendo nas últimas temporadas com lesões e reposições questionáveis. Ainda assim, “Kos, The Boss”, como era chamado pela torcida, forçou sua saída para o futebol francês.

Rendendo pouco aos cofres do clube e abandonando o novo trabalho que vem sendo guiado por Unai Emery, Koscielny entra para a lista de jogadores que marcaram época no Arsenal, mas saíram pela porta dos fundos. Hoje apresentaremos outros cinco atletas que deixaram mágoas ao deixarem os Gunners.

1. Emmanuel Adebayor

A temporada era a de 2005/06 quando Emmanuel Adebayor chegou ao Arsenal por 7,5 milhões de euros, vindo do Mônaco. Sua passagem pela equipe rendeu 62 gols em 142 partidas, time pelo qual mais marcou e jogou na carreira.

O atacante do Togo, no entanto, tomou uma decisão definitiva para a sua carreira no meio de 2009. Resolveu deixar o Arsenal para jogar pelo Manchester City. Depois de sua saída dos Gunners, não poupou palavras para criticar ex-companheiros e o técnico Arsène Wenger.

“Eu era o jogador mais forte da nossa equipe, apesar de na época pesar só 73 quilos. O Chelsea tinha Essien e Ballack. Nós tínhamos Rosicky…Se eu perguntava a ele ‘como você está’, ele se lesionava por dois meses e meio”, disse ao veículo francês So Foot.

2. Samir Nasri

Quando chegou ao Arsenal, Samir Nasri era uma referência técnica em meio ao tempo de vacas magras devido à divida com o estádio. Veio em com a responsabilidade de tomar o lugar de Hleb, que estava de saída para o Barcelona. Foram 125 partidas, 27 gols e 16 assistências em sua passagem.

Em 2011, no entanto, a relação teve um fim traumático para o torcedor. Cesc Fàbregas havia deixado o time e este era o melhor jogador segundo o próprio Nasri. Na mesma janela, o francês também resolveu sair e aceitou a proposta do Manchester City.

“Eu fiz um balanço antes de ir para o Manchester City. Estava indo jogar junto com Yaya Touré, Sergio Agüero, David Silva e Carlos Tévez. Eu estava há três anos no Arsenal, sem nenhum título”

3. Cesc Fàbregas

Na mesma janela em que Nasri deixou o Arsenal, uma outra novela fora ainda maior e dramática. A saída de Cesc Fàbregas teve altos e baixos, com momentos em que o jogador dava a entender que estava feliz em Londres e outros em que deixava margem para embarcar para Barcelona.

Ao fim da janela, os Gunners haviam perdido sua maior estrela e sem uma reposição que suprisse a necessidade que ficaria o meio-campo do time. Anos depois o título de “judas” ganhou ainda mais força quando o espanhol embarcou de volta para Londres, mas desta vez para vestir o azul do Chelsea.

O retorno para a Inglaterra deixou uma angústia maior na torcida graças à seguinte afirmação de Fàbregas anos antes.

“Se eu tiver que deixar o Barcelona, eu irei voltar para o Arsenal. Eu gostaria”

4. Robin van Persie

Torcer para o Arsenal na 2ª década do século XXI foi um desafio enorme para quem se acostumou com os Invencíveis. Somente uma temporada depois de perder Fàbregas, outro grande nome da equipe resolveu deixar o time de Londres para seguir carreira em outro lugar. Robin van Persie seguiu viagem para o rival Manchester United em 2012.

Ídolo e substituto de ninguém menos que Thierry Henry, van Persie não demorou para ganhar o carinho da torcida gunner. Sob o comando de Wenger, fez 276 jogos e marcou 132 vezes. Porém, justamente na temporada em que atingiu a marca de 30 gols na Premier League, o holandês decidiu se transferir para um rival.

Devido à sua idade e ao alto valor salarial, Robin não possuía um vasto mercado para ser explorado pela Europa. O United se prontificou a pagar 30 milhões de euros, valor abaixo do mercado. A saída foi forçada pelo atacante e ,na temporada que estava por se iniciar, sua camisa foi queimada pela torcida.

5. Alexis Sanchez

Alexis Sanchez foi outro que deixou arranhada sua imagem em Londres. Mesmo antes de sua saída estava claro o desdém do chileno com Wenger e o Arsenal. Risadas em meio a goleadas contra os Gunners, má conduta e uma forçada saída para o Manchester United fizeram de Sanchez um inimigo.

O atacante chegou ao Arsenal vindo do Barcelona e a torcida comemorou sua contratação como sendo o início de uma nova era. Mesut Özil chegara uma temporada antes e a dupla prometia sucesso. Títulos da Copa da Inglaterra vieram, mas toda a memória boa que poderia ficar na mente dos adeptos se esfarelou com a face de escárnio do jogador.