Listamos um jogador emprestado de cada time do Big Six que merece nova chance

Quem deve ficar para a próxima temporada?

Listamos um jogador emprestado de cada time do Big Six que merece nova chance

Sendo a liga que mais gasta em contratações no mundo, os grandes times da Inglaterra fazem uso de uma excelente ferramenta para a evolução de seus jovens jogadores: o sistema de empréstimos.

Embora o apreço pelos jogadores da base tenha melhorado consideravelmente na Inglaterra nos últimos anos, principalmente pelos títulos conquistados pela base a nível de seleção, ainda assim é difícil o processo de inserção de um jovem talento da base no time principal. Os times contratam ferozmente a cada temporada, e as chances desses atletas são mínimas.

Desta forma, o sistema de empréstimos (especialmente para times da segunda divisão inglesa) tem sido uma excelente maneira desses talentos ganharem experiência de jogo e preparação para a cobrança de um clube maior.

Listamos aqui um jogador emprestado de cada time do Big Six que se destacaram nesta temporada e que pedem passagem em seus clubes de origem.

Leia mais: Jogadores do Fulham que merecem permanecer na Premier League

Arsenal – Reiss Nelson

Seguindo os passos de seu compatriota Jadon Sancho, Reiss Nelson foi para a Alemanha em busca de mais tempo de jogo, emprestado pelo Arsenal ao Hoffeinhem.

O jovem ponta inglês atuou em 23 partidas pela Bundesliga 2018/19, tendo iniciado como titular em cinco oportunidades. Nelson marcou sete gols na liga, e o jogador tem tudo para seguir evoluindo.

Ele registrou um gol a cada 92 minutos em campo, uma média de quase um por jogo. Sempre entrando no segundo tempo, Reiss Nelson incendiou as partidas com sua velocidade e capacidade de drible. O inglês também jogou os primeiros minutos de sua carreira pela Uefa Champions League.

Voltando ao Arsenal, a expectativa é de que Unai Emery possa integrá-lo e que no mínimo ele tenha a mesma relevância que teve no clube alemão. Potencial pra isso não falta.

Chelsea – Tammy Abraham 

O Chelsea é, de longe, o time que mais têm jogadores emprestados na Inglaterra e é um tanto difícil selecionar apenas um que merece oportunidades na próxima temporada. Vários deles tiveram um excelente período de empréstimo, e aqui fazemos menção honrosa ao defensor Reece James.

Mas não podemos deixar de destacar o atacante Tammy Abraham. Com apenas 21 anos, Abraham já tem a honra de ostentar o feito de ter sido vice-artilheiro da Championship, uma liga que é recheada de centroavantes experientes. Foram 25 gols em 37 jogos, além de três assistências na conta.

Abraham está sendo um dos pilares da boa campanha do Aston Villa, que disputará contra o Derby County a final dos playoffs da segunda divisão inglesa.

A joia do time azul vive o seu melhor momento na carreira e esse é o timing perfeito para que o clube londrino finalmente dê oportunidades ao inglês no time principal.

Centroavante de ofício, Abraham se destaca por aliar força e velocidade. Nesta temporada mostrou ser um bom oportunista e deixou a impressão de que poderia marcar muito mais gols (registrou 19 grandes chances perdidas), o que é natural levando em consideração a sua idade.

Sofrendo com a linha de frente, o Chelsea deve finalmente dar mais oportunidades ao que pode ser o futuro 9 da seleção inglesa.

Manchester City – Jack Harrison

Depois de incendiar a MLS pelo New York City, Harrison se transferiu para o time azul de Manchester e foi enviado por empréstimo ao Middlesbrough na temporada 2017/18. O meia não recebeu tantas oportunidades como deveria e um novo empréstimo foi feito nesta temporada, desta vez para o Leeds United.

Sob o comando de Marcelo Bielsa, Harrison ganhou valiosos 2684 minutos em campo, tendo um papel importante no 4-1-4-1 do argentino. O jogador de 22 anos atuou principalmente pelo lado esquerdo, sendo crucial em diversos momentos da temporada.

Ele produziu quatro gols e duas assistências em 37 jogos na Championship. Mais do que os números, Jack Harrison contribuiu com profundidade ofensiva, fazendo valer de sua habilidade no drible, que lhe permitia recompor na marcação sempre que possível.

Jack terá que vencer uma concorrência feroz no Manchester City, que tem peças de elite no time titular e no banco de reservas. No entanto, ele é um nome interessante para o esquadrão de Pep Guardiola na próxima jornada e seria especial vê-lo recebendo minutos em campo no Etihad Stadium.

Liverpool – Harry Wilson

Harry Wilson está preparado para receber seus primeiros minutos com Jurgen Klopp. O galês de 22 anos simplesmente teve uma temporada fantástica atuando pelo Derby County, conduzindo o time à final dos playoffs da competição. É bem possível que Wilson se transfira para um time da Premier League se não receber suas primeiras oportunidades em Anfield.

Nesta temporada, foram 40 jogos como titular do Derby County, totalizando 16 gols e três assistências. Harry é o artilheiro do time na segunda divisão inglesa e o segundo em grandes chances criadas (6).

Ele costuma entregar quase dois passes decisivos por jogo, o que é extremamente benéfico para os Reds.

Harry Wilson também tem grande aproveitamento em duelos ganhos pelo chão (4.4 por jogo), sendo vice-líder do time no quesito. Essa sua capacidade de sair vencedor em duelos 1×1 encaixa bastante no Gegenpressing do comandante alemão. Além de tudo isso, tem um excelente remate de média e longa distância, tendo feito belíssimos gols nesta temporada.

Avaliando o seu desempenho nesta jornada e todo o seu potencial, será no mínimo estranho se o galês não for integrado ao time do Liverpool na próxima temporada. Será uma grande adição ao esquadrão vermelho.

Manchester United – Dean Henderson

Dean Henderson vem de dois maravilhosos empréstimos em sua carreira. Na temporada 2017/18 atuou pelo Shrewsbury Town e foi simplesmente brilhante na terceira divisão. Nesta temporada subiu de patamar e foi imponente no Sheffield United, sendo um dos principais responsáveis pelo acesso direto à primeira divisão.

O arqueiro inglês de 22 anos atuou em todas as 46 partidas do Sheffield na temporada e em nenhum momento foi questionado.

Ele terminou com média de 0.9 gols sofridos por jogo e registrou 21 clean sheets (o melhor no quesito). Os números são absurdamente bons, ainda mais se tratando de um campeonato completamento insano como a Championship.

Henderson se destaca por ter um arremesso longo de qualidade e muita habilidade em defender com os pés. É um goleiro seguro e com considerável reflexo, o que lhe concede muita vantagem nos lances 1×1.

Tendo sido questionado nas últimas partidas da temporada, David De Gea pode ter agora um substituto que vai lhe fazer trabalhar em dobro. Henderson é um dos melhores de sua geração na posição.

Tottenham – Cameron Carter-Vickers

O defensor completou o seu terceiro empréstimo seguido na Championship. Nesta temporada, Carter-Vickers atuou pelo Swansea e registrou o maior número de minutos em campo em toda a sua carreira (2202).

Ele atuou em 30 jogos da Championship, sendo 23 como titular. O jogador do Tottenham teve desempenho interessante, tendo um aproveitamento de 49.9 passes certos por jogo (92%), o que demonstra a sua participação nas construção da fase ofensiva do time.

Além disso, Carter-Vickers fez 3.8 cortes por jogo e teve uma média de 1.2 interceptações, sendo bem eficaz em sua área de dominância. Apesar de ter apenas 1.83m, altura que pode ser considerada apenas regular para um zagueiro, o norte-americano ganhou mais da metade dos duelos aéreos em que disputou, muito por conta de sua excelente impulsão.

Com um elenco relativamente curto, Cameron pode ser uma excelente opção para Mauricio Pochettino na próxima temporada. Ele pode ser um bom reserva para os zagueiros titulares e um bom norte para o futuro dos Spurs.