Joe Montemurro deixará o Arsenal Women ao fim da temporada. E agora?

0
433
montemurro arsenal women
Mandatory Credit: Photo by Matt Impey/Shutterstock

O Arsenal Women anunciou no dia 31 de março a saída de Joe Montemurro, atual treinador do elenco. No clube desde 2017/2018, o australiano deixará o comando das Gunners no final da temporada. Nesse período, Montemurro encerrou um jejum de seis anos do clube sem ganhar a liga nacional. Porém, seu desempenho recente em meio ao crescimento de novos adversários tem sido questionado. 

A PL Brasil trará hoje para vocês uma pincelada da história de Joe Montemurro no Arsenal Women. Falaremos também sobre a atual temporada do australiano e o que esperar do futuro de um dos times mais vitoriosos da Inglaterra no futebol feminino.

O início de Joe Montemurro no Arsenal Women 

A temporada era a de 2017/2018 e o Arsenal não vivia um grande momento dentro da Women’s Super League. O ex-manager Pedro Martínez Losa, que havia ficado à frente do clube durante quatro anos, não obteve o sucesso necessário. Foi campeão da FA Cup em 2016 e da Copa da Liga um ano antes, mas esteve longe de conquistar a maior competição nacional. 

Com esses resultados ruins, Montemurro assumiu o time londrino em novembro. O time estava numa briga pela sexta posição em uma liga com 10 equipes e o novo treinador elevou o patamar da equipe até finalizar a competição em 3º, somente um ponto a menos que o vice-líder Manchester City

A temporada seguinte seria a do auge de Joe Montemurro no Arsenal. As Gunners encerraram naquele ano um grande jejum de títulos da liga, ao vencer pela primeira vez desde 2012. O time conquistou 54 pontos em 60 possíveis, sendo 18 vitórias e apenas duas derrotas. 

Vivianne Miedema, que havia chegado na época anterior, marcou 22 duas vezes e foi a artilheira daquela WSL. O time vivia um novo momento, que entrou em paralelo com a nova fase do cenário inglês com mudanças positivas da liga nacional. A perspectiva era bastante positiva. Certo? 

Leia mais: Acordo histórico de TV promete impulsionar WSL e futebol feminino na Inglaterra

O Arsenal começou bem na temporada 2019/2020. As boas vitórias vinham, o time possuía um ataque poderoso e a equipe chegou a avançar para as quartas da Women’s Champions League. Porém, nos duelos decisivos contra o Chelsea, as Gunners perderam duas vezes – incluindo um 4 a 1 em casa.

O último jogo da temporada acabou sendo um difícil 3 a 2 contra o Liverpool, isso antes da parada devido à pandemia do novo coronavírus. Sem poder demonstrar uma reação para ao menos terminar dentro da zona de classificação para a UWCL, o Arsenal viu-se em uma temporada perdida. O time ainda foi vice para as Blues na Copa da Liga e foi eliminado nas quartas da competição continental pelo PSG).

A atual temporada do Arsenal 

Na atual temporada, o Arsenal iniciou sua campanha dando esperanças para sua torcida. Venceu o Reading por 6 a 1 na rodada de abertura e na semana seguinte emplacou um 9 a 1 sobre o West Ham. Porém, na WSL, os deslizes podem ser bastante cruéis para quem sonha com título. As comandadas de Montemurro perderam para o Manchester United e viram o Chelsea se afastar. 

Na rodada seguinte à derrota, o time poderia continuar na corrida com um confronto direto. Porém, empatou com as Blues dentro de casa em 1 a 1. Dois jogos depois, as Gunners tiveram mais dois tropeços, derrota para o Manchester City e empate contra o mesmo Reading que goleou no início da WSL. 

Em 2019/2020, o time teve um problema nítido para ser consertado: a defesa. O Arsenal de Joe Montemurro foi a 4ª melhor defesa, levando só 13 gols em 15 partidas. Números bons, mas que mascaram o desempenho nas derrotas contra adversários diretos. Sob pressão, a equipe não soube controlar as adversárias, o que acabava prejudicando o rendimento ofensivo nos clássicos. 

Montemurro não resolveu o problema em 2020/2021. Noëlle Maritz e Steph Catley chegaram para o setor no início da temporada, mas as sozinhas não solucionaram os defeitos da defesa. Por outro lado, Joe Montemurro ainda viu uma queda de desempenho em outras jogadoras de outras áreas do campo, como Danielle van de Donk. Dessa maneira, o sistema se tornou frágil como um todo. 

Sem resolver os problemas e tendo outras equipes crescendo no cenário nacional, como as Red Devils, o tempo foi fechando para o treinador. Joe Montemurro não parecia dar novas expectativas para o Arsenal Women, demonstrando pequenas falhas em diversas escolhas na gestão da equipe – mesmo sendo adorado por parte das jogadoras. 

Saída de Montemurro e futuro do Arsenal Women 

E no dia 31 de março, Joe Montemurro anunciou sua saída do Arsenal ao final da temporada. Segundo o comunicado do clube, a escolha veio da parte do treinador que decidiu dar uma pausa na carreira para dar atenção à sua família. Uma escolha que ele considerou bastante complicada:

“Essa foi a decisão profissional mais difícil da minha vida, pois eu amo absolutamente esse trabalho e esse clube.”

O treinador destacou que pretende deixar tudo organizado para o seu sucessor. E a principal tarefa que ele ainda tem na temporada é classificar a equipe para a UWCL. O Manchester United conta com 38 pontos em 19 jogos, mas seu saldo é bem menor do que o das rivais (+18 contra +43). Com 38 pontos em 18 partidas, as Gunners dependem apenas de si para manter a terceira vaga. 

Leia mais: 5 jogos marcantes do Arsenal na Champions League

E o futuro do Arsenal depende bastante dessa classificação para a Champions League. Afinal, essa é a maior competição da Europa e define muito as regras de contratação dos times. Com a vaga nas mãos há mais dinheiro no caixa e melhores argumentos para convencer jogadoras de alto nível. Isso já seria meio caminho andado para o próximo treinador fazer um bom trabalho. 

A parte que ainda não pode ser prevista do futuro das Gunners é a ambição da direção. Ao que indica a saída de Montemurro, o Arsenal preferia continuar com o treinador – mesmo o trabalho não sendo dos melhores. Nessa hipótese, estaria o clube pensando em grandes voos? Em princípio, os indícios dão a entender que sim. Isso porque o primeiro nome especulado é o de Stephan Lerch.

O treinador alemão deixa o Wolfsburg ao final da temporada. Pelo time, Lerch foi pentacampeão da Frauen-Bundesliga de forma consecutiva. Ele ainda foi vice-campeão da UWCL em 2019/20. Lerch aparenta ser um manager com características bem marcantes, o que poderia dar nova cara ao Arsenal. 

Se a contratação do Lerch vai ser ou não uma prioridade, apenas o tempo dirá. O que não pode faltar ao Arsenal é uma mentalidade vencedora. Mais times vem crescendo na WSL, querendo brigar por títulos. Isso torna a competição ainda mais competitiva e as Gunners precisam manter o seu papel como grande clube.

Leia mais: Emile Smith Rowe: o garoto que ajudou a mudar a cara do Arsenal

Não há posts para exibir