João Félix perdeu o brilho?

João Félix sendo expulso
Foto: Reprodução/oGol

Em 2019, João Félix chegou ao Atlético de Madrid por 127 milhões de euros, a contratação mais cara da história do clube e a 5ª mais cara da história do futebol mundial. Assim, inevitavelmente, criou-se uma expectativa enorme sobre o futuro do jogador português. Contudo, há quem diga que o atacante ainda não conseguiu corresponder às expectativas. Portanto, confira a seguir a análise da coluna Conceito Premier.

JÓIA DO BENFICA ENCANTA O MUNDO

Félix passou a atuar pelo time titular do Benfica ainda em 2018, aos 18 anos. E só precisou de 28 minutos para marcar seu primeiro gol. Assim, no dia 25 de agosto de 2018, o português entrou para empatar a partida contra o Sporting, o maior rival dos Encarnados. Deste então, passou a ser utilizado com frequência no time titular.

Contudo, foi em 11 de abril de 2019 que o jogador mostrou seu potencial ao mundo. Nessa noite, João Félix marcou três gols e ainda deu uma assistência na vitória do Benfica por 4 x 2 sobre o Frankfurt, pelas quartas de final da Liga Europa. Assim, se tornou o jogador mais jovem a marcar um hat-trick pelo campeonato. Logo, o jovem atacante passou a ser cobiçado por diversos gigantes do futebol europeu.

Imediatamente, começaram as comparações com outros craques já consolidados no futebol mundial. Muitos apontavam para Félix como o “novo Cristiano Ronaldo“. Contudo, é com um craque brasileiro que o atacante é comumente associado: Kaká. Além da semelhança física, os dois jogadores têm características muito parecidas no jogo: principalmente a velocidade e a qualidade técnica.

Além disso, João Félix já admitiu ver o craque brasileiro como seu maior ídolo no futebol, ao lado do português Rui Costa. Contudo,  todas essas comparações podem ter atrapalhado o desenvolvimento do camisa 7 do Atlético de Madrid. Isso porque são estabelecidos padrões muito altos para um jogador tão novo, que tem de lidar com essa pressão.

JOÃO FÉLIX NO ATLÉTICO DE MADRID

Em julho de 2019, o Atlético anunciou a promessa portuguesa como o reforço mais caro de sua história. Desde então, jogando por uma das ligas mais prestigiadas do mundo,  Félix passou a ter sua qualidade questionada por torcedores e pela imprensa. Assim, essa coluna busca investigar se o jogador português realmente “perdeu o brilho”.

Primeiramente, é importante ressaltar os problemas físicos pelos quais o jogador passou nos últimos anos, visto que estes evidentemente dificultaram seu desenvolvimento. Desde que chegou ao Atlético de Madrid, João Félix sofreu sete lesões e contraiu o coronavírus uma vez.

Esses são números altíssimos se for considerado que o jogador chegou ao time madrileno há pouco mais de dois anos. Isso se torna ainda mais preocupante levando em conta que Félix ainda tem 21 anos e, portanto, está em um momento de evolução técnica e física. Assim, os problemas físicos podem ter prejudicado seu potencial.

JOÃO FÉLIX PERDEU O BRILHO?

Por outro lado, o português tem 19 gols e nove assistências em 79 jogos pelo Atlético de Madrid. Assim, possui uma média de 176 minutos para participar de um gol. O número por si só não é baixo, mas o atacante mostrou maior efetividade pelo Benfica, onde participou de um gol a cada 92 minutos.

Contudo, essa análise é rasa e não considera o papel cumprido por João Félix nessas equipes. No Benfica, o português era a principal referência do setor ofensivo. Assim, grande parte dos gols passavam pelos seus pés. Por outro lado, no Atlético, o português jogou ao lado de centroavantes de ofício, como Morata e Suárez. Assim, passou a atuar como articulador da equipe, papel que cumpre com maestria desde que chegou à Espanha.

Portanto, é injusto pensar que o jogador tenha perdido o brilho, ainda mais considerando que o português tem apenas 21 anos e foi acometido por diversas lesões. Assim, ao contrário do que pensa parte da imprensa e dos torcedores, o desempenho de João Félix não regrediu. O que aconteceu foi uma mudança nas características do jogador, necessárias para atuar na liga espanhola, bem como no Atlético de Madrid.