João Cancelo: o “reforço” que o Manchester City ganhou

O português é o lateral mais confiável dos Citizens na temporada

0
558
João Cancelo
Clive Brunskill/Getty Images

Uma das críticas mais comuns a Pep Guardiola e ao Manchester City é em relação à montagem de elenco. O City, apesar de possuir excelentes jogadores, vem sendo um time desequilibrado nas últimas temporadas, com posições bem melhor servidas do que outras. As laterais são um bom exemplo de um setor que ainda deve individualmente.

Nessa última janela de transferências a zaga foi bem reforçada com Rúben Dias e Nathan Aké (que até pode jogar de lateral), enquanto Ferrán Torres chegou para ser mais uma opção ao ataque. Gastos elevados, mas as laterais foram deixadas de lado e jogadores como Kyle Walker, Benjamin Mendy e Oleksandr Zinchenko ganharam um grande voto de confiança.

Contudo, quem melhor tem aproveitado suas chances e fincado um lugar no time é João Cancelo, o português de 26 anos que chegou ao Etihad Stadium em agosto de 2019, vindo da Juventus. Polivalente e fazendo as duas laterais do campo, vamos buscar entender sua evolução em relação à temporada passada e seu papel na equipe de Pep Guardiola.

Leia mais: Todas as contratações de Pep Guardiola no Manchester City

João Cancelo, a falta de brilho em 2019/2020

João Cancelo e Luka Modric em ação pela Champions League
DAVE THOMPSON/POOL/AFP via Getty Images

Na última temporada, Cancelo demorou para de fato ter uma sequência pelos Citizens. Para se ter uma ideia, contando apenas Premier League, jogou apenas dez dos 28 primeiros jogos a que foi relacionado, fosse como titular fosse entrando durante a partida.

Em compensação, participou dos últimos seis jogos, sendo cinco de titularidade – e titular também nos dois confrontos decisivos de Uefa Champions League, contra Real Madrid e Lyon. Assim, Cancelo participou de 44% dos jogos do City na PL.

Essa demora para conseguir minutos impactou nos seus números. No Campeonato Inglês, ao todo, disputou 16 partidas, sendo 13 como titular. Nenhum gol ou assistência e uma média de um passe para finalização por jogo.

Apesar disso, é válido ressaltar como ele terminou bem a temporada e, na lateral esquerda, trazendo perspectiva para o setor que conta com um inconstante Mendy. O recado de que ele poderia ser mais utilizado em 2020/2021 estava dado.

Leia mais: As 10 piores contratações do Manchester City na era Premier League

João Cancelo, a consolidação em 2020/2021

Michael Regan/Getty Images

Dos seis jogos em que entrou em campo na Premier League 2020/2021, todos foram como titular, quatro atuando como lateral-esquerdo e dois como direito. Claro, a lesão que Mendy teve condicionou que ele fosse reposto por Cancelo, mas o português também vem ocupando a direita quando Walker não está apto para jogar. Assim, participou portanto de 60% dos jogos da equipe até aqui na liga.

Cancelo é destro, então quando atua pela esquerda joga com o pé trocado, naturalmente buscando o centro do campo, sendo mais um armador. O ponta do setor (geralmente Raheem Sterling) fica encarregado de abrir o campo e partir para o enfrentamento. Assim, na esquerda sua capacidade criativa se desenvolve.

Em todo o elenco, ele é o 3º jogador em passes para finalização por jogo nessa temporada, ficando atrás de Kevin De Bruyne e Riyad Mahrez. Além disso, já tem uma assistência na competição. Não ficando apenas nos números, chama atenção sua capacidade de ler o jogo e encontrar o companheiro bem posicionado. Cancelo é pouco afobado com a bola, uma ótima notícia para a proposta de jogo do City.

Já pela direita, seu jogo fica mais dinâmico. Contra o Arsenal, ele funcionou como um interior com a bola, ou seja, ocupava a zona central do campo. Contra o Fulham, porém,  ocupou bastante o corredor e atacou a linha de fundo. É a versatilidade que Pep sempre cobra somado ao bom nível de precisão que ele vem tendo.

Leia mais: Mount segue vital para o Chelsea, apesar dos altos investimentos do clube

Se ofensivamente seus números e seu desempenho são convincentes, defensivamente o jogador não fica atrás, pelo contrário. Falando em números, Cancelo é o líder do City em média de desarmes por jogo (2,8), líder em interceptações (2,2) e o 2º em cortes, empatado com Walker (1,3).

Sua capacidade para pressionar e recuperar a posse tem sido notável, com tempo de bola para pressionar e encurtar o raio de ação do adversário. Uma atuação marcante se deu contra o Liverpool, quando seu trabalho defensivo sobre Mohamed Salah foi impecável. O bom papel na transição defensiva impede que os adversários castiguem as suas costas, situação com a qual Mendy, por exemplo, ainda sofre muito.

Leia mais: Os 5 melhores laterais da década da Premier League

Situação dos laterais do Manchester City

João Cancelo com Pep Guardiola
RUI VIEIRA/POOL/AFP via Getty Images

A situação ainda é preocupante para o azul de Manchester. Walker até fez bons jogos nesta Premier League, chegando a ser um destaque defensivo. Por outro lado, em jogos grandes ele segue comprometendo: falhas capitais contra Leicester, Liverpool e Tottenham estão aí e atestam o problema.

Mendy também não passa segurança, especialmente na defesa. Os adversários constantemente levam vantagens no seu setor e o time fica muito vulnerável. Além disso, a questão física pode sempre ser um problema para o francês. Mas, sendo justos, desde que voltou da lesão ele fez sim jogos interessantes, contra Olympiacos, Burnley e Fulham.

Zinchenko, por sua vez, vem perdendo cada vez mais espaço com Pep, algo evidente nesta temporada. Isso porque o ucraniano entrou em um único jogo na atual edição da PL e tem ganhado mais minutos apenas nos jogos da Champions League.

Assim sendo, o saldo é sucinto: João Cancelo é o lateral mais confiável do City no momento. Sua polivalência, qualidade técnica e leitura tática o credenciam para ter vaga assegurada no time do técnico catalão.

Em uma temporada oscilante, em que a equipe ainda não conseguiu deslanchar e a briga pelo título não é certa, a grande notícia para os Citizens é o “reforço” de Cancelo, que parece enfim ter aterrissado em Manchester, dando motivos para Pep Guardiola sorrir.

Leia mais: Os 10 clubes ingleses que mais gastaram com reforços nos últimos 5 anos