O rápido renascimento do Ipswich Town nos anos 2000

Campeão da Copa da UEFA em 1981, o Ipswich Town deu um salto considerável no início dos anos 2000, fazendo excelente campanha na Premier League e conseguindo vaga em competição europeia. No entanto, o progresso foi barrado com o rebaixamento logo em seguida.

Ipswich Town
THIS PICTURE CAN ONLY BE USED WITHIN THE CONTEXT OF AN EDITORIAL FEATURE. NO WEBSITE/INTERNET USE UNLESS SITE IS REGISTERED WITH FOOTBALL ASSOCIATION PREMIER LEAGUE. Ipswich Town's Marcus Stewart scores from the penalty spot during the Premiership football match against Newcastle United at Portman Road, Ipswich.

No futebol inglês, há diversos times que já tiveram seus dias de glória, mas atualmente vivem muito abaixo do que já foram no passado. Aston Villa, Everton, Newcastle e Sunderland são alguns exemplos de clubes que, embora tenham uma tradição respeitável, hoje em dia deixam a desejar, com jejum de títulos prolongado e campanhas medíocres. Podemos também incluir nesta categoria o Ipswich Town, clube de cidade homônima com menos de 200 mil habitantes.

Conquistas importantes e instabilidade do Ipswich Town

Campeões ingleses na temporada 1961/62 (ano de estréia do time na primeira divisão) e vencedores da Copa da Inglaterra em 1977/78 em cima do Arsenal, os Tractor Boys – como são conhecidos – conquistaram a glória máxima na temporada 1980/81, batendo o AZ Alkmaar na final e se sagrando campeões da Copa da UEFA.

Liderados por Sir Bobby Robson (o treinador comandou o clube em mais de 709 partidas, entre 1969 a 1982), o Ipswich Town se tornou um time temido, tanto na Inglaterra quanto no continente (até hoje detém a marca de nunca haver perdido um jogo em casa nas competições europeias).

No entanto, após a saída do lendário treinador, os Blues passaram por momentos de aperto, sendo rebaixados para a segunda divisão na temporada 1985/86.

Por lá ficaram até a temporada 1991/92, sendo promovidos justamente na temporada inaugural da Premier League. Com campanhas desastrosas, o time foi novamente rebaixado ao final da temporada 1994/95.

Após eliminação em três play-offs consecutivos, o clube conseguiu o tão sonhado acesso. A equipe bateu o Barnsley por 4 a 2, participando assim do mais alto escalão em 2000/01.

Leia mais: Os 50 piores jogadores do Campeonato Inglês, segundo o Four Fourt Two

A brilhante temporada 2000/01: 5º lugar na Premier League e vaga na Copa da UEFA

Nesta época, as façanhas das décadas anteriores já não representavam tanto peso assim, e o Ipswich Town era um dos favoritos a um novo rebaixamento naquela temporada. Que perspectiva poderia se criar de um time que era recém promovido, afinal?

E ainda mais, que teve uma janela de transferências muito discreta, perdendo o artilheiro da temporada anterior (David Johnson, que foi para o Notthingham Forest) e tendo como sua principal contratação o defensor Hermann Hreidarsson, que havia sido rebaixado nos dois últimos clubes que havia atuado.

Apesar da derrota para o Tottenham na estreia, os Tractor Boys começaram a mostrar o seu valor ao receberam o Manchester United em seus domínios, segurando um empate em 1 a 1.

Os Red Devils seriam campeões ao final daquela jornada. Contra o Leeds United, que chegaria às semi-finais da Champions League naquela época, uma vitória autoritária, exibindo a todos o estilo de jogo que caracterizaria o time ao longo da liga.

Com um futebol ousado e envolvente, o Ipswich Town fez história na temporada 2000/01. (Foto: Planet Football)

O triunfo foi seguido por um empate contra o Arsenal de Bergkamp e Henry. Tamanha foi a superioridade do Ipswich Town contra os Gunners, que até a imprensa classificou o time londrino como “muito sortudo” ao segurar o resultado.

E assim eles seguiram, se tornando cada vez mais mortais em seu estilo de jogo, um fato apoiado com a estatística de que, dos 57 gols marcados na liga, 18 ocorreram nos primeiros dez minutos de partida.

O tradicional time azul nunca se contentava em esperar em seu campo; sempre tomava a iniciativa e partiam pra cima, independente do time adversário.

Sonhar não custa nada

Em janeiro, eles já haviam alcançado 40 pontos, o que é considerado o mínimo para se manter na primeira divisão. Mas os jogadores queriam mais.

Motivados pelas glórias do passado, se mantiveram durante a maior parte da temporada entre os cinco primeiros, e não tiveram uma recaída até fevereiro, quando o fator elenco começou a pesar.

Mesmo com todas as limitações, o Ìpswich Town manteve chances reais de classificação para a UEFA Champions League até a última rodada, mas um empate contra o Derby e uma vitória imponente do Liverpool sobre o Charlton fora de casa significariam fim de linha no que diz respeito a maior competição da Europa.

O clube terminou a temporada na quinta colocação, apenas quatro pontos atrás do vice-líder Arsenal. A “frustração” foi amenizada com a classificação para a Copa da UEFA.

George Burley, treinador do time que estava no cargo desde 1994, conquistou o prêmio de melhor treinador da temporada. Além disso, o atacante inglês Marcus Stewart foi o vice-artilheiro da competição com 19 gols, ficando na frente de Thierry Henry e Michael Owen.

George Burley ganhou o prêmio de melhor treinador ao final daquela temporada. (Foto: Planet Football)

Do céu ao inferno: o rebaixamento na temporada seguinte

A temporada 2001/02 começou com enormes expectativas, e o clube desta vez investiu consideravelmente. Para substituir o goleiro Richard Wright, que havia se transferido para o Arsenal, o Ipswich Town trouxe o italiano Matteo Sereni por 4,5 milhões de libras – maior quantia paga pelo clube em um jogador na época. Os atacantes Finidi George e Marcus Bent também representaram um grande investimento.

A boa movimentação no mercado de transferências não foi suficiente para livrar o time do rebaixamento. Foi uma temporada irreconhecível, onde o péssimo desempenho em muitas partidas, juntamente com má sorte, culminaram no descenso.

Em 38 partidas, foram apenas nove vitórias, terminando assim na 18ª colocação.  O time também teve a pior defesa do campeonato, tendo sofrido 64 gols (mesmo número do Leicester, que foi o lanterna).

Na Copa da UEFA, o clube passou por Torpedo Moscou-RUS e Helsingborg-SUE antes de cair para a Inter de Milão na terceira fase, em um agregado de 4 a 2 para os italianos.

Mesmo com o rebaixamento na liga, o Ipswich Town ainda disputou mais uma edição do torneio na temporada 2002/03, conquistando a vaga por meio do Fair Play da UEFA. No entanto, foram novamente eliminados, desta vez na segunda fase.

Foi o fim da rápida ascenção do tradicional time do leste inglês. Desde a última queda, o clube participou de dois play-offs (2003/04 e 2004/05) mas não conseguiu passar das semi-finais nas duas oportunidades. Já são 16 temporadas no segundo escalão inglês.

Os Tractor Boys lutam nesta temporada para conseguir uma vaga nos play-offs. (Foto: Getty Images)

Marcado na memória

O começo dos anos 2000 de fato ficará marcado para sempre na memória dos torcedores do clube.

Em tão pouco tempo, o Ipswich Town impressionou a todos. Demonstrou o que poderia ser o retorno às glórias, mas o desfecho foi decepcionante.

Retornou para a segunda divisão inglesa e vive atualmente apenas de campanhas regulares. Quem sabe um dia, os Tractor Boys poderão novamente fazer bonito – e desta vez por um período mais prolongado.