A história de “Blue Moon”, a música da torcida do Manchester City

Canção de mais de 80 anos é marca em canto da tradicional torcida do Manchester City em seu estádio

Blue Moon
MANCHESTER, ENGLAND - OCTOBER 23: Manchester City fans celebrate during the Barclays Premier League match between Manchester United and Manchester City at Old Trafford on October 23, 2011 in Manchester, England. (Photo by Laurence Griffiths/Getty Images)

Uma canção que já foi cantada por mais de 60 artistas, já foi música de alguns filmes e que hoje faz parte de uma das maiores torcidas da Inglaterra. A série Cantos dos Ingleses de hoje vai trazer a história da música “Blue Moon”, cantada pela torcida do Manchester City.

A canção, que tem origem norte americana, foi composta por Richard Rodgers e Lorenz Hart em 1933. Os dois haviam sido contratados pela Metro, famosa produtora de filme americana. O intuito era de que a música entrasse no filme Hollywood Party. No entanto, não foi utilizada na forma original.

Em 1934, no filme Manhattan Melodrama, a segunda chance de emplacamento da música. Sem sucesso, a cena que continha trecho da canção foi cortada do filme.

Os dois filmes eram produzidos pela mesma produtora, a Metro. Seu diretor, Jack Robbins, vendo o não emplacamento nos filmes e que a música poderia ser lançada comercialmente, pediu a Lorenz Hart para que adaptasse a canção para uma versão com letras mais românticas.

A partir de 1935, enfim, a canção foi finalmente gravada e, além disso, começou a ser variada por diversos artistas, passando por Frank Sinatra até Elvis Presley, que, a princípio, foi o primeiro a trazer sua versão rock n' roll.

Além de ter sido diversas vezes adaptada por vários artistas, a canção ainda teve participação em muitos filmes, como “Os Irmãos Marx no Circo”, “Amor à Toda Velocidade”, “Grease: Nos Tempos da Brilhantina” e “Um Lobisomem Americano em Londres”.

Leia mais: Cantos dos Ingleses: a origem de “I’m Forever Blowing Bubbles”

Manhattan Melodrama também tentou emplacar a canção na década de 30.

O nascimento nas arquibancadas

A relação da torcida do Manchester City com a canção se inicia nos anos 80. Durante o período entre 1980 e 90, a torcida sofreu visto que viu seu clube ser rebaixado da primeira divisão inglesa duas vezes.

Na temporada 89/90, uma das temporadas que marcam o retorno do clube a primeira divisão inglesa, então, a torcida entoa o canto pela primeira vez, em Anfield Road.

Um dos torcedores do Manchester City e especialista da história do clube, Gary James já contou a Manchester City Tv sobre a primeira vez em que viu a torcida cantar a música: 

“Ela não havia sido cantada pelos torcedores nas temporadas anteriores. em Anfield, torcedores do City foram mantidos no estádio por um tempo depois do jogo, e alguns deles começaram a cantar enquanto saíamos de lá. Eles cantaram uma espécie de versão melancólica, mas que pegou”.

Como resultado, a tradicional e famosa música dos anos 30 começou a ser cantada frequentemente pelos torcedores dos Citizens, tornando-se um hino em todos os jogos no Etihad Stadium hoje em dia.

Blue Moon eternizado no uniforme

A relação da torcida com a canção chegou a inspirar um uniforme produzido pela Nike. A marca trouxe na temporada 2015/16, em seu segundo uniforme, desenhos nas mangas que traziam à ideia de uma lua.

Camisa número dois faz alusão à “Blue Moon” em suas mangas. (Reprodução: Nike)

A canção é muito marcante, independente do estilo que for tocada. Mas, para a torcida do Manchester, a melhor versão da música é quando todos levantam seus cachecóis e entoam o som por todo o estádio durante as partidas do City.

Para a atual temporada da Premier League, o Manchester City vem como atual campeão e, inegavelmente, um dos favoritos a título. Certamente, é motivo de sobra para ouvir muitas e muitas vezes o canto da torcida.

Confira a letra de Blue Moon

“Blue moon,

You saw me standing alone

Without a dream in my heart

Without a love of my own

Blue moon

You knew just what I was there for

You heard me saying a prayer for

Someone I really could care for

And then there suddenly appeared before me

The only one my arms will hold

I heard somebody whisper please adore me

And when I looked, the moon had turned to gold

Blue moon

Now I’m no longer alone

Without a dream in my heart

Without a love of my own