Thierry Henry: 5 mudanças nas regras do futebol sugeridas pelo ídolo do Arsenal

5 minutos de leitura

Ídolo do Arsenal, o ex-atacante Thierry Henry atualmente é um dos comentaristas da emissora “CBS Sports”. Depois da rodada da Champions League com os primeiros jodos das semifinais, nesta semana, o ídolo do Arsenal e seleção francesa e sugeriu cinco mudanças nas regras do futebol.

O tema surge com certa frequência no cenário mundial. Em 2020, por exemplo, outra lenda dos Gunners tocou no assunto. O ex-técnico Arsène Wenger, que se tornou diretor de desenvolvimento do futebol mundial na Fifa em novembro de 2019, sugeriu alteração nas regras de lateral, impedimento e cobrança de faltas na ocasião.

Henry foi nomeado na brincadeira “Rei por um dia” pela apresentadora da CBS, Kate Abdo, e em sua “coroação”, deu cinco sugestões de como, na sua visão, o futebol poderia melhorar.

Leia mais:

As mudanças do ‘rei' Henry para o futebol

No exercício, o ex-jogador propôs cinco mudanças. Entre suas sugestões, está o evidente interesse em deixar o jogo mais dinâmico e com mais tempo jogado, tentando diminuir a quantidade de minutos perdidos com lesões e ceras. Também sugeriu alterações na pontuação da tabela e mais tecnologia à arbitragem

1. Fim da cera

Henry deseja eliminar as artimanhas do tempo perdido — como Newcastle, Leeds e Brentford têm dominado nesta temporada. Segundo levantamento do banco de dados da “Opta”, as três equipes são as que menos deixam a bola correr no jogo – menos de 53% dos minutos têm bola em jogo nas partidas envolvendo esses times, em média.

Gráfico mostra equipes que menos "disputam" os jogos em campo na Premier League - Reprodução/Opta

Henry
Gráfico mostra equipes que menos “disputam” os jogos em campo na Premier League – Reprodução/Opta

— Quando uma equipe se recusa a jogar – faz cera, chuta a bola para fora – o árbitro pode dar um chute livre, assim como no rugby, a 25 jardas de distância do gol, e você pode colocar a bola onde quiser – disse Henry.

2. Pontuação extra por muitos gols

A segunda regra proposta pelo francês prevê que as equipes que marquem três gols em uma partida ganhem um ponto extra, independentemente do resultado.

No caso da última rodada da Premier League, por exemplo, em que o Fulham venceu o Leicester por 5 a 3. O Fulham receberia três pontos pela vitória, mais um por marcar três vezes, e então sairia de campo com quatro pontos; o Leicester, mesmo perdendo, ganharia um ponto por ter feito três gols.

O ídolo do Liverpool e também comentarista Jamie Carragher perguntou o que aconteceria se uma equipe marcar sete gols – o que aconteceu na vitória dos Reds sobre o Manchester United nesta temporada. Henry confirmou que a equipe goleadora receberia dois pontos extras, um para cada três tentos marcados.

willian fulham leicester
Willian marcou duas vezes na vitória do Fulham sobre o Leicester (Foto: Twitter/Fulham)

3. Transparência na arbitragem

Henry sugere que árbitros deem entrevistas após os jogos e usassem microfones durante as partidas – parecido com o que acontece em jogos da NFL.

— Os árbitros devem comparecer após o jogo e falar com a imprensa, por favor, e usar um microfone também. Quero ouvir o que você diz, porque às vezes eles não são tão educados, eu também não era às vezes – sugeriu Henry.

4. Diligência nas transferências

A quarta mudança sugerida pelo ex-atacante soa mais como crítica. Para ele, diretores esportivos ou qualquer pessoa responsável pelas transferências do exterior nos clubes deveriam fazer seu trabalho com o maior zelo possível, para evitar frustrações. Segundo Henry, “você não compra uma casa sem visitá-la”.

— Eu vi tantos jogadores chegarem a lugares sem ninguém saber se eles poderiam se adaptar ao local. Você sabe do que ele é capaz? Você conhece o seu histórico? – indagou o comentarista

5. Substitutos para lesionados

Assim como na primeira sugestão, Henry quer tornar o futebol mais dinâmico. Para isso, ele propôs que em casos em que jogadores que se lesionem durante a partida, o treinador possa fazer uma substituição temporária. Dessa forma, a equipe não ficaria com um atleta a menos enquanto o lesionado recebe atendimento.

Fora contra o Bayern, Neymar completará ausência em mais de 30% dos jogos do PSG no mata-mata da Liga dos Campeões
Neymar saindo de campo lesionado no PSG – Foto: Icon Sport

Essa ideia, inclusive, já foi proposta para a Premier League, mas foi bloqueada pela International Football Association Board (IFAB), entidade que gere as regras do esporte.

Guilherme Ramos
Guilherme Ramos

Jornalista pela UNESP. Escrevi um livro sobre tática no futebol e sou repórter da PL Brasil. Já passei por Total Football Analysis, Esporte News Mundo, Jumper Brasil e TechTudo.

Contato: [email protected]